"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

quinta-feira, julho 19, 2007

Muita pedra para partir...

Bem sei que se tratou de apenas o 2º jogo da época, o 1º "a sério", se considerarmos as circunstâncias do jogo com o Sintrense, em Alcochete. Nada do que ontem aconteceu pode trazer conclusões definitivas ou perspectivas seguras sobre o que será a época 2007-2008, mas importa reflectir e analisar o que se viu e o que não se viu ontem em Albufeira, porque, tendo em conta o que aí vem, fiquei preocupado:

- Confirmaram-se os meus receios, já aqui anteriormente expressos, sobre as consequências da inesperada sangria que se verificou na equipa titular, sobretudo se olharmos para a equipa que venceu a Taça. O mesmo não é dizer que os novos jogadores serão menos úteis que os que saíram. Ainda é cedo para fazer essa análise com rigor. O que me parece indiscutível é que a nossa produção colectiva é inferior à que apresentamos o ano passado, na pré-época, e muito trabalho terá Paulo Bento pela frente. Tendo em conta este facto, parece-me desde já desajustado o número reduzido de jogos nesta pré-época. Ainda estamos a tempo de resolver esta questão.

- Em termos individuais parece-me, nesta primeira análise, que os reforços nos trazem qualidade acrescida ou pelo menos equivalente. Se a adaptação ao novo meio, a integração no colectivo e a assimilação de novos conceitos e processos serão bem sucedidas, só mais adiante perceberemos. Vejamos então:

Stojkovic: é guarda-redes sem dúvida, tem presença e escola. Não me parece que tenhamos ficado a perder no imediato e suspeito que no curto médio prazo o saldo nos será favorável. Se perdemos experiência e segurança na ligação com os defesas, ganhamos autoridade e presença na pequena área. Para a comparação, sempre inevitável, com o seu antecessor ser justa, temos que nos lembrar quem era Ricardo com 23 anos e qual era o seu curriculum.

Gladstone: Deixou bem claro, nos 45 minutos que esteve em campo, o que devemos esperar dele: simplicidade de processos, sem medo de aliviar para a Av. Padre Cruz ou até para Telheiras.

Izmailov: A aquisição que parece com entrada mais facilitada, além do guarda-redes. Jogador de quem a bola não foge das botas aos gritos, revela cultura colectiva juntamente com superior capacidade técnica. Boa aquisição.

Derlei: Dada a fraca produção colectiva os avançados ficam em desvantagem. A bola ou não chegou ou chegou cheia de arame farpado. Mais do que uma certeza fica-me o feeling de que não iremos chorar a sua aquisição.

Purovic: Deixou-me uma boa impressão, afinal a confirmação do que lhe conhecia do Euro sub-21 do ano passado. Para um jogador com a sua envergadura física trata muito bem a bola e tem uma velocidade de execução interessante. A vantagem de contratar jogadores europeus é esta: sabem que no Velho Continente não há tempo para beber um mate ou para adornos quando a redonda está nas imediações.

A crónica já vai longa por isso deixo algumas notas soltas:

- Adrien voltará aos juniores?

- O equívoco de Pereirinha a lateral é para manter?

- André Marques não é uma carta fora do baralho mas poderá, deverá ficar com Ronny?

- Farnerud vai a caminho de repetir o ano passado e Paredes no caminho inverso?

- Alguém poderá mostar o vídeo dos penaltys ao Tiago e perguntar-lhe se valia a pena ter lá alguém para fazer aquela figura. É que o homem já estava no chão antes da bola partir. Se ficasse no seu sítio, sem se mexer, pelo menos ficaria melhor no filme e até se arriscaria a ver-lhe bater uma bola ou outra na testa…

verdão