"Tu vais vencer, Podes crer, Porque a nossa força é brutal. Mais de um século de histórias para contar. Sporting, tu nunca vais acabar" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

quinta-feira, dezembro 08, 2016

Fora da Europa sem brilho nem brio

Naquela cabeça as provas europeias são "peaners". Não há mesmo nada a fazer...

Nuno M Almeida

sábado, dezembro 03, 2016

A dois pontos da liderança

É agora evidente que as notícias sobre a nossa morte neste campeonato eram manifestamente exageradas.

Vamos agora focar-nos num bom resultado na Polónia, em Varsóvia, e a seguir: ataque ao primeiro lugar, na Luz!

Nuno M Almeida

domingo, novembro 27, 2016

Estamos na Final Four!

Empatámos frente ao Dínamo Moscovo, 3-3, no jogo em que só precisávamos do empate para chegar à final-four da prova.

Cinco inicial do Sporting: Marcao, Leo, Alex Merlim, Cavinato e Dieguinho. Suplentes: Gonçalo, Varela, Pedro Cary, Djô, Diogo, João Matos, Deo, Caio e Fortino.

Cinco do Dínamo Moscovo: Gustavo, Badretdinov, Nanco, Burkov e Fernandinho. Suplentes: Poddubny, Ari, Fukin, Robinho, Cirilo, Suchlin, Wilde e Pereverzev.

Parabéns, rapazes! Parabéns aos adeptos que foram cinco estrelas no apoio, neste final de tarde em Odivelas.


Participantes na Final Four:

Sporting (Portugal)
Ugra (Rússia)
Kairat (Cazaquistão)
Inter Movistar (Espanha)

Nuno M Almeida

sábado, novembro 26, 2016

O essencial foi conseguido

Sofremos esta noite para vencer o Boavista no Bessa, em jogo da 11.ª jornada da I Liga, mas conseguimos o que queríamos: 3 pontos e pressão agora colocada sobre o primeiro classificado.

Domínio leonino na primeira parte, bolas na trave e Bas Dost a fazer o único golo do jogo, concluindo com mérito uma boa jogada.

Com pulmão e arreganho ainda tivemos que jogar os últimos oito minutos da partida com menos um, devido a expulsão de Ruben Semedo, mas conseguimos manter o jogo controlado, não tendo o Boavista tido oportunidades para fazer o golo do empate. 

Num campeonato longo e com o Inverno a chegar, sinónimo de terrenos e condições meteorológicas mais complicadas, parece-me lógico termos exibições menos vistosas mas eficazes, e sobretudo resultadistas, como a desta noite.

Com este triunfo estamos no segundo lugar, com 24 pontos, menos dois que o líder Benfica.

Nuno M Almeida

quinta-feira, novembro 24, 2016

Rumo ao Jamor, com escala em Setúbal

Sorteio da Taça de Portugal - oitavos de final:

V. Setúbal-Sporting, jogo a ser marcado entre 13 e 15 de Dezembro.


Nuno M Almeida

quarta-feira, novembro 23, 2016

Inigualáveis!



Nuno M Almeida

terça-feira, novembro 22, 2016

De cabeça erguida

Dois jogos com o Real, duas derrotas. Ambas imerecidas. Vale o que vale, até porque não gosto de vitórias morais. Caímos de pé!

Nuno M Almeida

segunda-feira, novembro 21, 2016

E porque não voltar a ganhar?


Nuno M Almeida

quinta-feira, novembro 17, 2016

E que tal falarmos de futebol?

Na semana do campeonato da calúnia, difamação e tentativa ignóbil de linchamento na praça pública do nosso presidente Bruno Carvalho - roçando a comunicação social a patetice e o ridículo - importa relevar que hoje há Taça em Alvalade, com um simpático clube da Ilha Terceira, e que é já na próxima terça-feira que recebemos o colosso do futebol mundial, Real Madrid.

Deixemos assim para os trauliteiros, mensageiros e avençados do Estado Lampiânico as manobras de diversão e as habituais jogadas sujas, e foquemo-nos no essencial, ou seja,  no apoio ao nosso clube, aos nossos jogadores e à nossa equipa técnica.

Tudo o resto é apenas cheiro nauseabundo vindo de Carnide...



Nuno M Almeida

terça-feira, novembro 15, 2016

Nem Goebbels...



Nem este sinistro personagem - mestre da propaganda nazi - seria tão eficaz no assassinato de carácter que uns energúmenos afectos a um clube com nome de bairro de Lisboa, de forma despudorada e concertada, estão a fazer a Bruno Carvalho.

É que eles já nem disfarçam, só que se esquecem que quando toca a cerrar fileiras e a defender os nossos, até malta como eu que não estive com o actual presidente e não me revejo no seu estilo, dizemos sempre 'PRESENTE'!

Se é este o clima que querem para o futebol português, quanto a mim um perfeito disparate, vamos então a isso! Primeiro os nossos! Lamento é que alguns saudosistas do 'croquetismo' façam o jogo desta gente!

NOTA: não me revejo neste tipo de infelizes incidentes que costumam caracterizar o futebol português, até porque prezo o chá que em miúdo os meus pais me deram. 
E muito menos vou elogiar os protagonistas desta lamentável novela do túnel de Alvalade, Bruno Carvalho ou Carlos Pinho. 
No entanto, não posso deixar de ter alguma compreensão pelo presidente do meu clube, até porque segundo o que pessoas ligadas à estrutura do futebol do Sporting há pouco tempo me confidenciaram, esse senhor de Arouca e o seu filho, são useiros e vezeiros a provocar os sportinguistas quando connosco se cruzam! E quando somos provocados na nossa própria casa...

Nuno M Almeida

segunda-feira, novembro 14, 2016

E agora, patetas?



Não aprecio o estilo de Bruno Carvalho nem votei nele - algo que nunca escondi - mas causa-me repugnância a forma como tão gratuitamente lhe batem, faça ou diga o homem o que fizer ou disser.

Isto para lamentar a facilidade com que foi logo crucificado na praça pública, após o incidente dos túneis de acesso ao relvado, aquando do último Sporting-Arouca. Sem terem visto as imagens vários artistas do costume vieram logo a terreiro a salivarem de raiva dizendo que Carvalho tinha feito isto e aquilo, por alguns até pateticamente ilustrado com plantas dessa zona do nosso estádio.

Agora que a SIC divulgou imagens que cabalmente demonstram que o nosso presidente foi provocado pelo aspirante rasca a Steven Seagal de Arouca, quero ver se os patetas de serviço Guerra, Ventura e Gomes da Silva se retratam em público e são homenzinhos para pedir desculpa à figura máxima do nosso Sporting.

Nuno M Almeida

sábado, novembro 12, 2016

O que os adeptos querem é ganhar!

Pouco me interessa o discurso belicista de Bruno Carvalho.
Pouco ou nada me importa a sua vida familiar.
Pouco me importa a oposição, silenciosa ou não.
Pouco me importa que os rivais andem a minar o terreno. Não somos anjinhos para acreditar que não seria assim.

O que eu quero e seguramente querem todos os sócios que dizem sempre presente e que não viram as costas ao que o clube lhes pede, são vitórias dentro do campo e mais troféus no museu do clube. Isso é o que se exige a quem lidera o clube e essa é a medida de avaliação da actuação de uma Direção. Tudo o resto é mero ruído... eleitoral!

Nuno M Almeida

domingo, novembro 06, 2016

Voltamos a depender apenas de nós!



Com o empate no dragão entre os nossos rivais e com o nosso claro triunfo caseiro frente ao Arouca, encurtamos distância e voltamos a depender apenas de nós próprios.

Com o maestro Adrien a música é outra, bem como com Campbell no apoio a Bas Dost, aliando a uma consistência defensiva reforçada pela experiência de João Pereira na direita. Schelotto, desculpa lá qualquer coisinha.

Vamos agora esperar que tenha sido dado um passo forte e sólido rumo a uma sequência bem mais positiva de resultados!

Os indefectíveis adeptos leoninos, esses, continuam a dizer presente e a serem inexcedíveis no apoio à equipa!

Nuno M Almeida

quarta-feira, novembro 02, 2016

Um único objectivo: ganhar!

Pseudo-crise ou não, e que tal mais logo os graúdos seguirem este magnífico exemplo dos nossos miúdos?



Nuno M Almeida

sábado, outubro 29, 2016

Um paradigma errado?

Ainda a procissão vai no adro, infelizmente para nós com péssimas indicações, pelo que muito ainda se pode fazer para recuperar o atraso face ao líder, mas hoje não consigo deixar de questionar certas coisas.

Uma delas é esta: valerá a pena a alteração radical do paradigma do nosso futebol? Quando os resultados não são bons tudo se coloca em causa, é humano, mas fará sentido não dar espaço e oportunidade a jovens como Matheus Pereira, Palhinha, Podence, Medeiros, e em vez disso optar por estrangeiros de qualidade duvidosa que pouco parecem acrescentar? Em que outra paragem da Segunda Circular é que já havíamos visto isto?

Espero sinceramente que a factura a pagar por tudo isto não venha a ser demasiado pesada, tanto financeira quanto desportivamente. E talvez seja bom não esquecer que o pilim do contrato com a NÓS não é para desbaratar...

Nuno M Almeida

sexta-feira, outubro 28, 2016

Perspectiva-se uma época muito difícil

Que falta de classe e categoria...

Os habituais erros de arbitragem não justificam tudo! De todo!

Já nem me lembro da nossa última vitória no campeonato. Verdadeiramente inadmissível!

Nuno M Almeida

Sem espaço para errar!



Joga-se hoje na Madeira uma partida quase de tudo ou nada. Na sequência de vários jogos com resultados pouco positivos, com excepção da taça de Portugal, é crucial arrancar hoje três pontos na Madeira para não vermos os maiores rivais descolarem ainda mais na classificação, Braga incluído...

Até podemos compreender em parte os argumentos de Jesus, de que vários reforços chegaram no final da janela de transferências, sem realizarem a pré-época connosco, mas também é verdade que quase todos vinham com o ritmo da competição dos seus anteriores clubes: Bas Dost - Wolfsburgo, Campbell - Arsenal... Aliado a isso, a verdade é que quando um jogador tem qualidade rapidamente se integra e pega de estaca, seja em que clube for, pelo que repito - compreendo e aceito apenas em parte o argumentário de Jesus.

A resposta decisiva tem que ser dada em campo e hoje é o momento ideal para o fazer, até porque se ganharmos na Madeira e na próxima semana na Alemanha, concretamente em Dortmund, estará dado o mote para um novo e vitorioso ciclo! Depois disso poucos se lembrarão desta sequência de empates e derrotas, e ainda de exibições menos conseguidas.

Cabe agora a Jorge Jesus e aos nossos futebolistas provarem o que realmente valem!


Nota: num país que muitas vezes funciona numa lógica de aldeia, em que qualquer noticiazinha dá pano para mangas, vieram agora os jornaleiros noticiar que Alan Ruiz tem que estacionar o seu Ferrari vermelho longe do parque dos restantes colegas. 
Terem os nossos futebolistas os carros vermelhos, azuis, amarelos ou cor de rosa é para o lado que durmo melhor. 
O que lhes exijo enquanto adepto e sócio é que tenham fora dos relvados uma conduta impecável e que dentro das quatro linhas dêem o litro. 
Por isso, no caso de Ruiz, mais do que a cor do seu carro, preocupa-me que os milhões nele investidos ainda não tenham tido qualquer retorno a nível do seu desempenho desportivo. Tudo o resto é conversa da treta!

Nuno M Almeida

segunda-feira, outubro 24, 2016

Parabéns, Rui!

Rui Patrício na lista de nomeados para o prémio Bola de Ouro 2016. Justo reconhecimento para o melhor guarda-redes do último Europeu e para o seu treinador Nelson Pereira.




Nuno M Almeida

Próximos da tolerância zero!



Ainda Jorge Jesus treinava equipas que não lutavam pelo título e já eu aqui defendia que deveria ser contratado pelo nosso clube. Em concreto, treinava Jesus o Belenenses, equipa formatada para lutar pela subida de divisão - na altura 'abençoada' por um processo administrativo que a manteve na primeira  liga - e conseguiu ter o enorme mérito de chegar à final da Taça e apurar o clube do Restelo para as competições europeias. Portanto, dúvidas dissipadas sobre aquilo que achava e acho das suas qualidades enquanto treinador.

Ao que torcia o nariz, e ainda hoje o faço, é ao seu perfil humano, à sua qualidade enquanto líder motivador e à forma como age, fala e se comporta perante os seus pares. Jesus poderia perfeitamente ter chegado a Alvalade e publicamente ignorado os ataques ressabiados, típicos de 'mulher enganada ou trocada', vindos da Luz. Ao invés, optou por um ataque sem limites a Rui Vitória, encaixando este em silêncio todas essas atoardas. A cada vitória leonina, quer Jesus quer Carvalho desferiam disparos e  ostentavam uma bazófia e uma gabarolice parolas, provavelmente iludidos pela conquista da Supertaça. Errado! Aliás, estratégia erradíssima e muito pouco avisada, como infelizmente a nação leonina constatou no final da temporada.

Mandava a sensatez e o bom senso que desenvolvêssemos em silêncio e na pacatez de Alcochete o nosso trabalho, longe de holofotes, de provocações e de climas de guerrilha, que em regra acabam por ser contraproducentes. Infelizmente Jesus optou pela outra via, A do confronto, da provocação e da guerra sem tréguas. Era o cérebro, o Ferrari, toda uma panóplia de palermices que a cada conferência de imprensa jorravam da sua boca. No final teve que engolir tudo. Como geralmente acontece quando se festeja e se canta de galo precocemente.

Esta época, e ao fim de muitos anos, a par de Paulo Bento tornou-se o primeiro treinador a beneficiar do crédito da continuidade, pese embora não ter ganho nada de relevante. Para além disso, conseguiu que Bruno Carvalho abrisse ainda mais os cordões à bolsa e lhe aumentasse o já chorudíssimo salário para evitar a fuga para o falido FC Porto.
E o que temos visto? Um Jorge Jesus teimoso na rotação de jogadores pelo onze titular, novamente incapaz de gerir exigências de competições paralelas (Liga, Champions...) e a cada nova crítica a não ter a humildade de arrepiar caminho e dar o braço a torcer. Pelo contrário, insiste na soberba e num egocentrismo insuportável. Para além disso parece longínquo aquele toque de Midas de quem extraía o máximo dos seus atletas:
Onde anda Jefferson?
Onde pára o Markovic que com ele brilhou em Carnide?
Que se passa com um William Carvalho demasiado lento e complicativo?
Onde está o Bryan Ruiz afirmativo da época passada?
Porque razão a cada jogo há mexidas nos laterais?
Porque persiste Elias, natural substituto de Adrien (Deus nos livre!), em manter-se no ritmo de jogo do campeonato brasileiro, sem que Jesus o corrija?
Qual a razão para que Bruno César não seja mais vezes titular?
Não merecerá Campbell a titularidade, ao lado de Bas Dost, em vez de um tal de André?

Com excepção do esplendor exibicional de Gelson, tem sido um autêntico deserto de ideias, de consistência, de incompetência competitiva e de uma incompreensível onda de indefinições.

Em Outubro, e descontando o azar do grupo da Champions que em sorte nos calhou. registamos já uma derrota em Vila do Conde, um empate inacreditável em Guimarães e a perda inconcebível de dois pontos caseiros perante o Tondela. Tudo isto, depois de uma propagandeada e tão elogiada estratégia de contratações de Agosto... a qual no entanto nos atira para uma distância de cinco pontos da liderança, para uma quase certa eliminação da Liga milionaria e para uma sequência de exibições crescentemente cinzentas, cenário que nem o mais pessimista adepto leonino seguramente perspectivaria

Posto tudo isto, pergunto então a Bruno Carvalho onde está o artista especializado em criar obras primas, o homem que à boca cheia afirma que as suas equipas terão sempre a obrigação de serem as melhores em campo e o treinador ao qual foram dadas condições de trabalho e remuneratórias como há muito nenhum outro tivera em Alvalade?

Carvalho legitimamente apostou num treinador com provas dadas no futebol português - e mais em concreto na Luz, mesmo sabendo-se que nos dias actuais quem se senta no banco de Carnide tem a vida 'facilitada' por factores externos ao rectângulo de jogo. Por isso mesmo, para o bem e para o mal, estarão ambos associados, quer em cenário de derrota ou de vitória. Espero sinceramente que seja o segundo a ocorrer porque prezo o meu clube, porque vivencio o sportinguismo há muitas décadas e porque, gostando mais ou menos da personalidade de quem lidera ou representa o Sporting, desejo sempre o melhor a quem quer que ostente o símbolo do leão.

No entanto, e porque a massa associativa tem sido inexcedível na sua abnegação, no seu apoio e no crédito dado, quer à actual direcção quer ao treinador, julgo que tudo tem um limite, pelo que a partir de agora estamos muito próximos de um contexto de tolerância zero!

Não há donos do clube, os presidentes, os treinadores e o jogadores passaram, passam e passarão, mas o Sporting será eterno e os seus sócios serão sempre soberanos e detentores da palavra final sobre quem pretendem ver a liderar os destinos do clube, pelo que nos cumpre exigir resultados, porque não voltamos as costas e porque dizemos sempre presente quando nos é pedida a nossa contribuição: quotas em dia, aquisição de gameboxes, presença massiva em Alvalade no apoio à equipa, deslocação ao terreno dos adversários, contribuição extraordinária para a construção do pavilhão...

Por tudo isto, acima de tudo e todos, deverão estar sempre os supremos interesses do Sporting Clube de Portugal!

Nuno M Almeida

sábado, outubro 22, 2016

Vergonha!

Continuemos assim, senhor 5 milhões. Insista nas suas indefinições, que lá vamos jogando um futebol risível e atirando pontos pela janela. Qualquer treinador bem mais baratinho faria, no minimo, igual! 

Nuno M Almeida