"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

segunda-feira, maio 21, 2018

Rui, as tuas lágrimas também são as minhas!


Sempre tive uma especial admiração e apetência pelo posto de guarda-redes no meu desporto de eleição. Ou não fosse filho de um antigo guarda-redes do grande Clube Oriental de Lisboa.

Também por isso, cresci a idolatrar Vaz, Fidalgo, Damas, Meszaros, e tantos, tantos outros grandes nomes que passaram pela nossa baliza e que sempre prestigiaram o nosso emblema.

Foi assim com alguma surpresa e bastante desconfiança - mea culpa - que vi o teimoso Paulo Bento apostar em ti, dando-te a titularidade. Tinhas 18 anos, eras lançado às feras nos Barreiros, frente ao Marítimo, e logo aí garantiste uma vitória para as nossas cores defendendo uma grande penalidade. Mostravas estar talhado para fazer história. 

Ficou assim registado que 19 de Novembro de 2006 seria a estreia de um predestinado na defesa das nossas redes.

Tiveste momentos comprometedores, algumas vezes tremeste, tantas vezes duvidámos de ti, mas mostraste de que fibra eras feito. Não vacilaste, não desististe, apostaste tudo em crescer enquanto atleta e homem, assumindo os erros, procurando evoluir, mas também declarando sempre amor eterno ao clube que te viu crescer.

Foste campeão da Europa pelo teu país, considerado o melhor guarda-redes do torneio - no qual também competiram monstros como Buffon ou Neuer - jogaste todas as principais competições pelo teu Sporting, mostrando sempre estar à altura dos melhores e olhando de frente - como os corajosos fazem - para os desafios que te foram sendo colocados.

Tens sido um profissional de mão cheia, um homem de família, responsável, cumpridor, sereno, e um verdadeiro ídolo para as crianças, tu que envergas a braçadeira de capitão com uma classe e uma dignidade como poucos na nossa história leonina.

Por tudo isto, não esmoreças, não vaciles, porque sabes tão bem quanto eu que a determinada altura todos caímos, mas só os campeões se reerguem. 

Não te deixes abater, tendo sempre a certeza e a convicção de que muitos dos que agora te criticam e põem em causa o teu profissionalismo e dignidade, jamais, em momento algum, chegarão aos teus calcanhares!

Nuno M Almeida