"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

sexta-feira, maio 07, 2010

15 anos



Hoje que passam 15 anos sobre o fatídico acontecimento que levou dois adeptos Sportinguistas, permitam-me a mim, que vivi demasiado perto este drama, fazer uma homenagem aos que partiram e os que sofreram na pele o amor pelo Sporting.


Escrevi este texto há 4 anos, mas hoje penso o mesmo. Nestes 15 anos, tivemos frustrações, momentos de glória, épocas decepcionantes e outras entusiasmantes. Indignámo-nos, festejámos, vociferámos ou rejubilámos. Porque estamos vivos, porque continuamos a poder fazer isto tudo ! o Zé e o Paulo não. Até sempre rapazes !

"7 de maio de 1995

como me lembro deste dia. foi nos meus tempos de juve leo. como sempre chegámos cedo ao estádio após mais uma das nossas concentrações. estavamos já nas bancadas na cantoria quando resolvemos vir beber um café e visitar as edificantes instalações sanitárias junto à porta 16. estavamos quase despachados, quando vemos que o Porto estava a chegar e a policia n estava a cobrir a varanda. corremos logo para lá ... fui o primeiro a não cair, mas por muita, muita sorte pois sendo um dos primeiros a chegar à grade, estou provavelmente vivo só por acaso, porque me afastei um pouco para trás ( sendo a frente ocupada logo por outros .. ) ao ver um policia a correr e ter pensado que este ia chamar reforços para nos tirar dali, e queria estar bem posicionado para n ficar entalado se fossemos alvo de uma investida. de repente ouvi gritar " cuidado !!! isto está a cair ! " e quando olhei para a frente já não estavam lá metade das pessoas e ouvia os gritos , o som da grade a cair cá em baixo, e de repente o silêncio, assustador, a cara das pessoas que olhavam incrédulas e horrorizadas e o conseguir equilibrar-me á ultima hora ao atirar-me para trás, ficando a 50 cm de cair. ainda hoje me lembro de tudo, quase em pormenor ! horrível. e embora tenha esta memória em termos de imagens e sons relativamente ao que pensei só me lembro de estar meio para fora do estádio e pensar " onde é que me posso agarrar !??!". Sentei-me no chão a chorar, um amigo meu caiu, n sabia se algo lhe tinha acontecido e nem tinha coragem de ir ver, pois para me ajudar a equilibar empurrei-o. quando espreitei ele estava encostado a uma árvore com o pulso aberto, mas vivo. ao mesmo tempo aquela enorme poça de sangue que saia das cabeças dos que naquele dia nos deixaram. uma coisa tenho certeza. ninguém mandou pedras ao Dr Domingos Gomes. em cima não estavam mais de 3\4 pessoas, os que não caímos, a policia fechou logo o espaço e apenas nos deixou a nós porque compreenderam que n estávamos em condiçoes de termos toda a gente a fazer-nos perguntas e cá em baixo ainda menos . nesse dia a música: " A namorada eu deixei e o trabalho abandonei, para te dizer que até morrer Sporting te amarei " teve um novo sentido. dolorosamente real. foi o nosso ( do grupo que fundou o núcleo de VII Rius ) último ano de JUVE LEO. podia ali ter ficado com 19 anos. e isso n fazia sentido. quando jogamos com o porto, penso sempre nos dois que se foram nessa tarde e sei que poderia ser eu que n estaria a ver as vitórias e mesmo as derrotas. por isso amanhã estarei contente só por poder estar no estádio, agora no meu sector A3, a vibrar com o jogo, a sofrer com as bolas que passam a rasar o poste, a indignar-me quando somos prejudicados, a festejar os golos, a carpir as mágoas das derrotas, no fundo a viver. sabendo que "SPORTING TE AMAREI ATÉ MORRER", sempre ... "

Mário Rui Oliveira