"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

quarta-feira, maio 12, 2010

Conselho sem voz

Como alguns de Vós saberão, candidatei-me pela Lista A ao Conselho Leonino nas últimas eleições. Ao contrário de muitos, não creio ser este órgão social do clube, inútil ou sem sentido. Aliás se assim fosse, nunca teria aceite tal convite, algo que fiz com toda a honra e respeito que o Sporting merece.

Infelizmente já há alguns dias que tenho conhecimento do descontentamento dos actuais Conselheiros demissionários, extensível aliás a elementos sufragados pela própria lista C, grande vencedora do último acto eleitoral.

É com preocupação que verifico que não foi possível dar um novo alento, um novo moral a estes Conselheiros proporcionando-lhes uma simples reunião. Numa época difícil, cheia de problemas, não deveriam ser os Conselheiros escutados mais vezes? Não é esse o propósito principal de um orgão denominado de "Conselho Leonino"?... Dar conselhos que possam de alguma forma contribuir para a resolução de problemas?

A Direcção tem toda a legitimidade para implentar as medidas que ache mais convenientes para fortalecer o Sporting, isso não está nem pode estar em questão. Não implica porém, que se pratique uma politica autista onde a voz de um orgão que integra representantes tão válidos como Luis Aguiar de Matos, Pedro Faleiro Silva e Ernesto Ferreira da Silva, apenas para mencionar os cabeças de lista, não seja consultada numa base regular que vá para além do mero vinco estatutário.

Assim,

(i) Por compreeender as razões apresentadas pelos agora demissionários Conselheiros que, relembro, apenas se pretendiam fazer ouvir (ii) Por entender que foi para tal que foram mandatados por todos os que neles depositaram seu voto (iii) Por considerar serem pessoas cujo Sportinguismo é inquestionável e exemplar (iv) Por ver neste acto um alerta à nação leonina de que é possível fazer mais e melhor pelo orgão social Conselho Leonino (v) Por entender bem o que é estar quase um ano só para ser ouvido no Sporting (vi) Por ser uma posição pessoal e não obrigatoriamente extensível à organização Ser Sporting;

Manifesto hoje aqui no Sangue, a minha inteira solidariedade para com os sócios demissionários.
Segue a carta:

Exmo. Senhor Presidente,
É do conhecimento geral que o Sporting Clube de Portugal vem atravessando, desde alguns anos a esta parte, um dos períodos mais conturbados da sua história, necessitando, por isso e para o ultrapassar, do contributo e apoio incondicional dos seus sócios.
Por assim o entendermos, por paixão e devoção ao clube do nosso coração, aceitámos integrar, sem reservas, a lista para o Conselho Leonino encabeçada por um dos ora signatários, concretamente por Luís Aguiar de Matos.
Mas fizemo-lo, também, por entendermos ser o Conselho Leonino um órgão importante para o bom desenvolvimento do Clube, através do contributo de todos os seus membros.
Todavia, não decorrido um ano, somos forçados a concluir o contrário!
Com efeito, verifica-se que o Conselho Leonino já não reúne desde o mês de Novembro de 2009, isto é, há cerca de 6 (seis) meses, não obstante os muitos
momentos difíceis e sensíveis por que passou o nosso Clube durante a época que está agora a findar, o que para nós é manifestamente incompreensível e censurável.
Verifica-se, também, que o Conselho Leonino não reúne desde aquela data, não por vontade ou por falta de interesse de alguns dos Conselheiros eleitos, designadamente por parte dos Conselheiros ora signatários, mas sim por falta de interesse de V. Exa., enquanto Presidente da Mesa da Assembleia Geral, do Presidente do Conselho Directivo, do Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar e da larga maioria dos restantes membros que o compõem, bem patenteada pelo facto de nunca terem respondido afirmativamente aos pedidos formulados para esse efeito.
É forçoso, pois, concluir que o Conselho Leonino é, na actualidade, um órgão que não reúne, não produz e que não é chamado a participar na vida do Clube.
Estando ferido na sua essência o espírito que presidiu à nossa candidatura e eleição, por esgotada que está a possibilidade de podermos servir o Clube, enquanto Conselheiros Leoninos, de forma activa, livre e cooperante, vimos apresentar a nossa resignação aos cargos para que fomos eleitos, com efeitos imediatos, o que fazemos em nome do respeito que se nos impõe observar pelo Sporting Clube de Portugal e por todos os seus sócios.


Com os melhores cumprimentos,
Luis Aguiar de Matos
Margarida Caldeira da Silva
Luis Dória Cortesão
Carlos Paiva Raposo


Abraço de Leão,
Verdão.