"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

segunda-feira, maio 21, 2018

Não gosto de apelos a salvadores da pátria


Estou fartinho de Bruno Carvalho, dos seus actos imponderados e da trupe de fiéis acólitos generosamente remunerados que ainda o apoiam no conselho directivo.

Mas também não gosto de salvadores da pátria, de homens providenciais ou de vagas de fundo. Nada mesmo!

Numa nação de três milhões e meio, com tantos sportinguistas de qualidade, acabamos sempre por caír nesta tentação de lançar gritos desesperados e de resumir a salvação a um único homem.

Mas porquê Rogério Alves? Porque esteve na lista de Godinho Lopes? Porque foi advogado de Paulo Pereira Cristovão? Ou de Álvaro Sobrinho? Ou porque é um homem próximo de José Maria Ricciardi?

Sei que haverá aplausos vindos da Maçonaria, também da Opus Dei e até de algumas corporações, mas reitero: num possível cenário pós-Carvalho é este o perfil que desejamos ou que necessitamos? Um homem de falinhas mansas que consegue estar bem com Deus e com o diabo? Um homem que ao longo do tempo de (c)roquettismo conseguiu sempre passar pelo intervalo da chuva?

Será que não conseguimos mesmo aprender nada com os erros do passado e volta e meia lá estamos nós a cometer os disparates do costume?

Abramos os olhos e saibamos ver quem está por trás do pano a orquestrar este apelo e a lançar o nome de Alves, o tal que como Sousa Cintra diz, “deve ser presidente do Sporting porque fala muito bem”.

Nuno M Almeida