"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

quinta-feira, janeiro 17, 2019

Será coincidência?

Tenho ouvido desde há muito, e com plena razão, que o organismo que regula o futebol europeu deve travar o crescente fosso que se verifica nas competições de clubes, nomeadamente entre os mais ricos e os remediados ou mais pobres.

Mas também pergunto se será coincidência que no futebol interno vejamos os quatro primeiros da nossa liga serem também os quatro semi-finalistas das taças da liga e Portugal?

Com honrosas excepções, como foi na última época o Aves, não estaremos também nós a cavar um fosso cada vez maior entre os quatros emblemas mais poderosos e todos os demais?

Evidentemente que um passo para erradicar esta disparidade passaria por uma mais equitativa distribuição das receitas televisivas e dos patrocínios. 

Claro que haverá sempre o argumento por parte dos Grandes de que são eles que sustentam o mercado e que detêm mais de 95% de adeptos. É indesmentível mas é também uma visão demasiado de curto-prazo.

Um clube de pequena ou média dimensão recebe anualmente de receitas televisivas cerca de 3 milhões de euros na primeira liga e 600 mil euros na segunda. Quanto recebe cada Grande?

A minha pergunta é esta: não teremos irremediavelmente caído num incurável círculo vicioso em que os grandes eucaliptos secam tudo à volta e se arriscam a um dia jogarem apenas entre eles? Até quando?

Nuno M Almeida