"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

quinta-feira, abril 08, 2010

E 2010-2011 um pouco mais perto... parte 2

...portanto no final da temporada sai Carlos Carvalhal. E a pergunta que assola as nossas mentes é "E agora, quem é o senhor que se segue?"

Treinador 2010-2011

Na altura da saída de Paulo Bento do comando técnico da nossa equipa dei a minha opinião. Mais do que o(s) nome(s) tentei exprimir qual o perfil ideal para o novo treinador a contratar. Disse então que se deveria ter contratado/aproveitado um treinador caseiro, de preferência sportinguista ou muito identificado com o Sporting e o futebol nacional, até ao final da temporada, preparando então a época seguinte a preceito. Estabeleci também qual o(s) tipo(s) de treinador que considerava adequado para tomar o leme da sempre complicada nau leonina.

Ora, mesmo tendo sido surpreendido (quem não foi?) pela escolha de Carlos Carvalhal, os pressupostos de que me munia para os meus argumentos mantêm-se, principalmente se conseguir colocar de lado todo o barro lançado à parede pela imprensa desde que se lembraram de encontrar substitutos para Carvalhal a cada dois parágrafos de escrita. Assim, parecem-me existir dois perfis de treinador que me agradariam para iniciar a temporada 2010-2011 à frente do Sporting, sendo que dos nomes que se encaixam nesse perfil há aqueles por quem tenho mais ou menos preferência pessoal, mas isso é o menos relevante, parece-me bem mais importante que se crie uma boa estrutura no departamento de futebol - e não só - que proteja, ajude e facilite o trabalho do novo treinador; por forma a evitar erros ainda tão presentes na nossa memória recente...muito recente, dolorosamente recente.

Assim, o "meu" treinador para o Sporting 2010-2011 corresponderia a um dos seguintes perfis:

a) treinador experiente, com provas dadas e habituado a treinar clubes de uma dimensão elevada, de preferência conhecedor do futebol europeu e, ainda melhor, do português. Reconhecido por impor um cunho ofensivo e dominador às suas equipas, construindo equipas que joguem em função da posse da bola, rapidez e aproveitamento das alas (433, 442 clássico ou mesmo 352 - não sou o maior fã mas...).
Neste perfil o meu preferido seria, digo-o há vários meses, Co Adriaanse. Numa segunda linha apareceriam nomes como o de Frank Rijkaard, Zico, Schuster ou Le Guen.

b) treinador jovem, moderno e com extrema vontade de triunfar. De preferência conhecedor da realidade em clubes de topo (como jogador, adjunto etc...), e com as mesmas características de pensamento de jogo que citei anteriormente. Desde cedo que me pareceu que a optar-se por este perfil o nome de André Villas-Boas poderia ser o chamado "money-shot", porque - colocando de parte as comparações estéreis com Mourinho - a possibilidade de acertar em cheio num treinador acabado de chegar à condição de técnico principal me agrada sobremaneira, e porque o vi pegar numa equipa no global composta por jogadores muito fraquinhos que jogava miseravelmente no início de época, numa equipa que continua a ser composta por jogadores muito fraquinho mas mas com claras ideias de jogo, que tenta colocar em campo um futebol que só não é mais vitorioso, parece-me, pela pobreza do plantel.
Numa segunda linha de treinadores deste tipo, aparecem nomes como Laudrup, Paulo Sérgio ou Domingos, embora a este último não consiga dar tanto crédito como o posicionamento na tabela classificativa poderia fazer supor.

Obviamente, retirei desta lista nomes "impossíveis" de alcançar, mas reafirmo que considero bem mais importante definir o perfil de treinador que sirva os melhores interesses do Sporting do que propriamente o nome do mesmo.

Nelson Santos