"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

sábado, janeiro 15, 2011

Uma exibição muito pouco "catita"…

… e um treinador que evidentemente não tem pedalada para isto!



Sporting, 2 – Paços Ferreira, 3

Estádio José de Alvalade (17.643 espectadores)

Árbitro: Luís Catita (Évora)

SPORTING: Rui Patrício; João Pereira, Carriço, Polga e Evaldo Grimi); Vukcevic, Maniche (Saleiro), André Santos e Valdés; Liedson e Salomão.

Suplentes não utilizados: Tiago, Torsiglieri, Pedro Mendes, Zapater e Abel

P. FERREIRA: Cássio; Baiano, Cohene, Samuel e Maykon; Leonel Olímpio, André Leão e David Simão; Manuel José, Rondon e Pizzi.

Suplentes: Coelho, Ozeia, Nuno Santos, Amond, Nelson Oliveira, Bruno de Paula e Filipe Anunciação

Golos: 0-1 Samuel, 1-1 Liedson, 1-2 Manuel José, 2-2 Diogo Salomão, 2-3 Pizzi

Antes de mais os meus parabéns aos bravos 17.000 leões que enfrentaram a noite fria e se dispuseram a estar em Alvalade para assistirem a mais um sofrível jogo de futebol.

Primeira parte onde poucas oportunidades criámos, Rui Vitória claramente fez bem o seu trabalho de casa sabendo manietar a nossa equipa, trocando as voltas a Paulo Sérgio, lançando o Paços rápidos lances de contra-ataque que nos causaram sobressaltos na defesa.

Com um golão os pacenses fizeram o primeiro, Liedson numa recarga do inconformado Valdés empatou e pouco antes do intervalo o senhor Catita viu uma grande penalidade que não existiu mas que voltou a colocar-nos em desvantagem. Duvido que no dragão ou na luz, com 1-1, tal acontecesse. Como se não chegasse a nossa equipa jogar um futebol pouco mais que paupérrimo os árbitros ainda ajudam mais à 'festa'. O habitual...

Nestes primeiros 45 minutos, Diogo Salomão foi inexistente, não deu continuidade àquilo que havia feito frente ao Braga e tirando remates de meia distância – sobretudo de Valdés – pouco perigo conseguimos criar, apesar de termos mais posse de bola.

No segundo tempo o Sporting não melhorou muito, mas o Paços adormeceu à sombra da vantagem, deu espaços, revelou menos frescura física e Salomão apareceu aos 62 minutos, fazendo o empate.

Até final tentámos chegar à vitória, mas só se viu um futebol aos repelões, sem pingo de classe e qualidade, pouco objectivo, tendo também o Paços alguns fogachos de perigo na nossa área. E num desses fogachos, a 10 minutos do final, apareceu o terceiro golo pacense.

Se ainda ambicionamos um lugar na Champions para a próxima época que VENHAM REFORÇOS DE QUALIDADE E UM TREINADOR A SÉRIO... urgentemente!

Basta de tanta mediocridade!

Nuno M. Almeida