"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

sábado, agosto 03, 2019

Acabemos com os mitos!


Começa a ser altura de se acabar com mitos e com evocações de passados recentes.

Vamos por partes. 

Onde está o tão propagandeado milagre financeiro de Bruno Carvalho? Não houve. O presidente destituído teve mérito na negociação dos direitos televisivos e sponsoring, é um facto, apostando também todas as fichas na antecipação de receitas. Aliado a isso adoptou uma folha salarial ao nível dos rivais, só que com rendimentos operacionais mais débeis e com uma estrutura económico-financeira menos saudável.

Um acto de gestão verdadeiramente desastroso por ele levado a cabo foi, com a cumplicidade de Jorge Jesus, a inaceitável desvalorização da academia Sporting e a aposta em estrangeiros de qualidade muito duvidosa: Douglas, Meli, Ruiz, Petrovic...

Alguns dos seus defensores aludirão ao facto de produtos da formação leonina terem valorizado. Sim, mas também importa recordar que nomes como Adrien, William, Patrício e João Mário valorizaram muito por conta do Euro 2016 e da sua conquista por parte de Portugal. E não esquecer que foi por atitudes incompreensíveis e irreflectidas de Carvalho que os nossos maiores activos (Patrício, William, Gelson, Rafael Leão...) bateram com a porta!

O que sustenta então no imediato o nosso Sporting? Os adeptos e sócios, os tais que nunca viram costas ao clube, os tais que continuam a pagar quotas e a comprar gameboxes, e uma incrível massa social de apoio de três milhões, factores que continuam a fazer do Sporting algo muito apetecível para o mercado publicitário e para patrocinadores.

Não esquecer também a força da sua eclética e centenária história, conquistas europeias recentes de relevo no hóquei e no futsal, e ter sido ao longo do tempo uma magnífica fábrica de talentos: Futre, Quaresma, Figo, Ronaldo, Patrício e João Mário. Algo a que apenas o Barcelona se equipara.

O que fragiliza então o Sporting? As constantes guerras internas, a luta pelo poder e a constante instabilidade directiva, factores que não incutem grande confiança em potenciais investidores e parceiros

Quais as soluções para o futuro? Redinamizar e revitalizar a aposta na academia, reaproximar o clube aos adeptos, captar investidores e patrocinadores, apostar num marketing moderno, inovador e diferenciado, estabelecer parcerias com marcas de notoriedade mundial (Figo e Ronaldo) e com emblemas gigantes a nível europeu, como recentemente aconteceu com o Manchester City.

Por último, sem união e coesão no seio dos adeptos e sócios, e sem termos a nação leonina a remar para o mesmo lado, esqueçam. Sem nada disso o futuro do Sporting como grande clube europeu e mundial, o tal sonhado pelo seu fundador, estará irremediavelmente hipotecado!

O paradigma do futebol europeu está a mudar, anunciam-se superligas europeias, pelo que das duas uma: ou apanhamos a carruagem na qual os nossos rivais se aprestam para viajar ou então continuaremos embrenhados em questiúnculas internas suicidárias, e nesse caso, ficaremos irremediavelmente pelo caminho. Por culpa própria, acrescente-se!

Vamos portanto virar página, deixar de andar a evocar presidentes destituídos - Dom Sebastião houve apenas um! - e reparar as asneiras cometidas!