"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

quinta-feira, fevereiro 10, 2011

Hoje não há caldeirada... mas temos polvo!



NOTÍCIA hoje veiculada pela BOLA:

O empresário (Braz da Silva) coloca fortemente a possibilidade de deixar cair a intenção de ir a votos, não em favor de outro candidato, mas pelo simples facto de haver vários interesses que se apresentam como sérios obstáculos à implementação do projecto que Braz da Silva preconiza.

Fonte ligada à candidatura de Braz da Silva referiu mesmo um forte poder ligado ao actual status quo do clube que impede o compromisso de novas ideias que possam aparecer como solução para o mar de problemas que o clube de Alvalade tem vivido nos últimos anos.


Não sei porquê mas hoje acho que vou almoçar polvo. Um daqueles que engole tudo e todos, um daqueles que não admite oposição nas águas turvas onde se move...

Aliás, este 'Polvo à Zé de Alvalade' parece ser tão poderoso que até conseguiu silenciar uns quantos rebeldes que andaram por aí durante dois anos à solta a partir a loiça toda à sua volta.

A pergunta que faço é apenas esta: vale a pena haver eleições no nosso clube quando tudo parece estar condicionado e manietado logo à partida? Alvalade está cada vez mais parecido com um daqueles regimes bafientos da América Latina, entregue a um ditadorzeco e aos seus peões de prega.... secando tudo à sua volta.


ACTUALIZAÇÃO I: Braz da Silva já não se vai candidatar à presidência do Sporting. A desistência está assim confirmada e as explicações serão dadas hoje às 15 e 30 numa conferência de imprensa, que se vai realizar no Hotel Ritz em Lisboa.
Alvalade caminha a passos largos para uma pretensa Junta de Salvação Nacional à moda do Roquettismo.


ACTUALIZAÇÃO II: (JORNAL SOL) Braz da Silva, que vai anunciar oficialmente a sua decisão esta tarde num hotel de Lisboa, aponta o dedo a «uma máquina de tentativa de destruição de carácter».

Uma «campanha» que estará «preparada para ser amplificada até ao dia das eleições».

«Os telemóveis dos sportinguistas estão a ser inundados de mensagens contendo boatos anónimos e falsos, numa iniciativa programada que está a ser amplificada por alguns protagonistas do poder real e do poder formal do Sporting», acrescenta.

O sportinguista diz-se «estupefacto», uma vez que «muitos daqueles que colocaram o Sporting no estado calamitoso em que se encontra não souberam retirar as devidas consequências da sua gestão ruinosa».

São precisamente essas pessoas, acrescenta Braz da Silva, que estarão a fazer «um esforço desleal para evitar o aparecimento de soluções de transparência e de liquidez» para o emblema.

«O poder formal e o poder real do Sporting recusa-se a retirar conclusões do desastre constante e crescente que tem constituído a realidade do seu consulado», conclui.

Evitando «participar numa guerra fratricida de manobras de bastidores que desqualificam aqueles que as provocam», Braz da Silva deixa claro que a decisão de desistir da corrida à presidência do clube leonino «é tomada apenas para o acto eleitoral imediato», deixando em aberto qualquer possibilidade depois das próximas eleições.


Em conferência de imprensa num hotel de Lisboa, o ex-candidato à presidência do Sporting Clube de Portugal, Braz da Silva, justificou o seu afastamento da corrida eleitoral com a instabilidade que se vive no clube de Alvalade e comparou a escolha do novo presidente do clube a uma «batalha de vida ou de morte».

Quanto aos responsáveis pelas ameaças que afirmou ter sido alvo - ele e «sportinguistas de outras origens e nacionalidades que se preparavam para apoiar» - diz que não se estava «a referir a ninguém em particular».

O ex-candidato à presidência do Sporting deu ainda razão a José Eduardo Bettencourt relativamente a «não haver paz interna no Sporting», o que considera ser prejudicial para a equipa leonina.

Quanto ao fundo de 50 milhões de euros que o empresário tinha prometido criar no SCP para a compra de jogadores, garante que mesmo não avançando com a candidatura está aberto a seguir em frente com a promessa. E a disponibilidade poderá concretizar-se no âmbito de outra candidatura ou de outros projectos.

Braz da Silva confessou também ter tomado a decisão de desistir da intenção de se candidatar ontem à noite. «O meu mundo não é este. Agora vou voltar para o meu mundo, o empresarial», justificou.




Il Padrino não dorme nem anda cá a ver navios. Quando tem que eliminar as ervas que considera serem daninhas, fá-lo e sem contemplação. Digo eu...


Nuno M Almeida

(Sempre achei que um candidato não pode ter esqueletos no armário, caso contrário será sempre um alvo fácil dos seus adversários. Como se vê.)