"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

segunda-feira, setembro 22, 2008

Para dissipar dúvidas!

Caros,

O texto resultante da entrevista está publicado na edição de hoje do Diário Económico. A razão pela qual eu indiquei que não seria possível ler a entrevista na íntegra é essa: não foi feita para ser publicada em pergunta-resposta. E porquê feita na sexta e publicada na segunda? O Diário Económico não sai ao fim-de-semana...

Destaco aqui os pontos fundamentais:

- O Sporting está em fase final para internacionalizar a Academia para a África do Sul;
- Vai ser marcada nova AG ainda este ano para levar novamente a votação o 'project finance', que ainda está em estudo porque a direcção quer mesmo passar a Sporting Comércio e Serviços para a SAD;
- A contenda com a CML vai ter desfecho na próxima semana, em princípio a favor do Sçporting
- No entanto, a construção de um pavilhão, pelo que me deu a entender, não está nos planos futuros;
- Já foi dada ordem para marcar as eleições entre Maio e Junho, FSF diz se se recandidata em Janeiro;
- A venda de Gameboxes desceu vertiginosamente, menos 6 mil que na época passada;
- A activação do novo cartão de sócio (pontos, crédito e débito) está muito mais fraca que o esperado;
- A Gamebox adepto é a que está a vender menos;
- Não vai haver canal de tv nem operador móvel virtual nos próximos tempos, porque o grande objectivo agora é conquistar sócios;
- Dos 92 mil sócios, apenas 55 mil são pagantes;
- Pondera retirar a taxa de 5 euros em dia de jogo, se perceber que isso afasta adeptos de fora de Lisboa.

Ágora, um excerto sobre o 'project finance':

«Parte do ‘project finance’ foi chumbada na AG de Maio. Que implicações teve esse resultado?

Essa decisão inibiu-nos de tomar acções imediatas relativamente ao projecto de reestruturação financeira do Sporting, na renegociação que tinhamos com o sistema financeiro. Vamos ter que repensar esse projecto. Acontece que, infelizmente para todos, o mundo financeiro mudou muito depois dessa AG. Se as condições para se fechar um projecto sem a totalidade daquelas garantias se afiguravam mais dificeis para o Sporting poder fechar a sua reestruturação financeira, hoje são indiscutivelmente mais difíceis e se não conseguirmos fechar dentro de parâmetros equitativos, justos e em sintonia com aquilo que sinto que foi a vontade dos sócios, teremos que fazer nova AG e apresentar uma alternativa.

E qual será essa alternativa?

Ainda está em estudo. Passa por o Sporting ter que olhar para o futuro com precaução, e sentir que tem que dar mais garantias à SAD de forma a que ela continue a poder traçar um trajecto de sucesso quer desportivo quer financeiro.

Mas o que está em cima da mesa nesse projecto alternativo?

Em princípio, a própria emissão de valores mobiliários obrigatoriamente convertíveis pode ter vicissitudes e susceptibilidades diferentes daquelas que foram equacionadas. A cotação das acções da SAD estava na ordem dos 2 euros e hoje está a 1,5 euros.Estes produtos têm que estar sempre ajustados à cotação.

Isso vai obrigar a fazer as contas todas outras vez? Ou a redução do passivo mantém-se em dia?

Essas contas mantém-se, mas há que adicionar garantias para que este projecto desta forma seja viável.

Uma nova AG seria para quando?

Para quando dermos o assunto concluído. Seguramente este ano.

Mas a renegociação da amortização manteve-se inalterada?

Sim, o projecto está praticamente fechado, simplesmente existe um problema desde o início que não conseguimos resolver: o Sporting hoje em dia tem a estabilidade no seu universo empresarial e do clube garantida através desta reestruturação do passivo, mas isso não significa que tenha os ovos alocados nos cestos certos.

E como é que isso vai ser feito?

Se necessário, temos que ir pedir uma nova AG para que as pessoas percebam que o custo financeiro subiu brutalmente, as taxas de juro estavam nos 2% e agora ultrapassam 5%. É vital atacar o problema da redução do passivo e para isso precisamos mesmo de alocar as receitas onde há passivo, deslocar a dívida para onde há receitas. É fulcral para salvaguardar os interesses do Sporting, da SAD e dos accionistas.

Mas se não foi possível convencer antes, porque é que acredita que conseguirá agora?

Porque a situação tem piorado. Temos que encarar os problemas com pragmatismo. É preciso fazer os sócios compreender da razão que assiste ao conselho directivo para que possa ser aprovada a solução.»

Nota: FSF arrasou com a actual estrutura de captação de sócios. Disse que o Sporting não está a saber fazê-lo, que vai ter de se envolver mais directamente e que este falhanço não está relacionado com os êxitos do clube este ano (taça, supertaça, etc.). Acredita que é a falta de liquidez das famílias (a crise, portanto). Quanto à venda de jogadores, este ano não o fez mas para o ano é "inevitável".

Por último, todas as questões relacionadas com o futebol em si (Paulo Bento fica ou não, Vuk sai ou não, desaire com Barcelona etc. ) não respondeu a nenhuma.

Gia