"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

sexta-feira, agosto 20, 2010

Os abutres...



José Eduardo Bettencourt não tem tido para a grande maioria de sportinguistas que votaram nele a competência e a sorte que legitima e logicamente se esperavam do seu mandato. Isso parece claro. Ainda por cima quando o coração do nosso clube - leia-se futebol - está numa fase taciturna, onde os maus resultados e as péssimas exibições persistem, numa infeliz lógica de continuidade do pesadelo da época passada.

Torna-se evidente que o clube se arrisca a descolar do pelotão das grandes potências desportivas do país porque ganhar um título a cada década não é 'sal' suficiente para o sabor de vitória que deve imperar no Sporting e na sua massa adepta. O que alimenta as paixões e conquista novos adeptos são as vitórias. Ninguém quer ser adepto dos crónicos derrotados.

A descrença começa a instalar-se irremediavelmente, o projecto 'Roquette' que nos foi vendido é aparentemente um desastre, e enquanto uns optam pela apatia e pelo distanciamente do dia-a-dia do clube, num sinal claro de descrença e desmotivação, outros optam pelos gritos de revolta, o que é legítimo e salutar.

O que para mim já não é aceitável é a estratégia dos 'abutres', os tais que aproveitam todo e qualquer momento para pairar sobre Alvalade e para instigarem os adeptos a uma revolução que apenas tenha como resultado levá-los para o trono do nosso clube. Viscondias à parte...

Como sportinguista apaixonado pelo Sporting, um amor e uma paixão que me acompanham desde que me conheço, sinto-me terrivelmente decepcionado, triste e melancólico em relação ao estado desportivo e social do nosso clube. Cada derrota humilhante como a de ontem é uma insuportável faca que se espeta na minha paixão leonina.

No entanto, sem que nunca se deva perder um espírito crítico clarividente, e que não deixemos afogar em falsos unanimismos, é imperioso que a Instituição esteja sempre acima de qualquer interesse, pelo que alerto a massa associativa para que esteja sempre atenta a 'outras' movimentações oportunistas que chafurdam no sangue que escorre por Alvalade e cujos interesses, embora disfarçados de genuíno sportinguismo, são bem mais sinistros. O perigo é que num clima vigente de insatisfação face aos status quo reinante será sempre mais fácil passar a mensagem alternativa, a tal que soa sempre melhor aos ouvidos dos adeptos.

Saibamos discernir entre a revolta genuína de um Miguel Damas, ou de outros consócios que teimam em não alienar a sua paixão e o seu incondicional sportinguismo, e os 'outros', os tais que a cada oportunidade espreitam a sua chance de pôrem a 'pata' nos corredores do poder de Alvalade. Estejam bem atentos a esses por que o pior que nos poderia acontecer seria aparecer do nevoeiro uma versão mais maquiavélica de João Vale e Azevedo, a tal que se tem resguardado nas brumas, mandando os seus peões de brega fazerem o trabalho sujo para aquele dia - o da sua tão ansiada consagração - seja uma realidade.


Leonino