"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

quarta-feira, agosto 07, 2019

Que comece o campeonato!



Mais um campeonato prestes a iniciar-se e, como sempre, as inevitáveis esperanças e ambições anuais renovadas, rumo a uma temporada que se deseja entusiasmante até ao último dia, com o sucesso que for possível para o meu emblema de eleição.

 

Temos uma direcção com um ano de exercício,  sementes semeadas para colhermos os frutos de um trabalho que se espera correcto e coerente, sobretudo no que concerne à revitalização da nossa academia.

 

Não fui um apoiante nem um entusiasta ou votante de Frederico Varandas e seus pares, mas como acima de tudo amo o meu Sporting - há quase cinco décadas - não tenho qualquer problema, preconceito ou prurido em reconhecer os méritos que tiver que reconhecer, se constatar valor na gestão empresarial e desportiva desta direcção.

 

Depois de várias presidências repletas de erros de gestão que iam hipotecando o futuro do clube, pese embora todos os pseudo-iluminados que fizeram parte das várias direções e órgãos sociais, e depois da insuportável turbulência que levou à destituição de Bruno Carvalho, muito trabalhinho agora se impõe a Varandas.

 

Fortalecimento da marca Sporting, reestruturação financeira, racionalização económica na gestão do clube, maior aposta e valorização da figura do sócio, mais apelo à massa adepta e associativa que seguramente implicará maior venda de merchandising e bilhética - traduzida na crescente afluência aos jogos, com mais e melhor apoio à equipa - maior dinâmica e proximidade aos inúmeros núcleos, reforço do ecletismo e uma voz mais forte e ruidosa junto dos órgãos decisórios do futebol português e internacional. Tudo isso se exige a Varandas. Isso e muita reconciliação e apaziguamento interno!

 

Aliado a todas essas vertentes impõe-se uma política desportiva mais lógica, correcta e sustentada, somando à tradicional excelência dos frutos da nossa formação, a contratação de jogadores mais experientes e a aposta em futebolistas desconhecidos, mas com potencial valorização, como há algum tempo vimos com Slimani. Um investimento de 300 mil euros que rendeu um encaixe de 30 milhões!

 

Quanto ao timoneiro, mantenho sérias dúvidas e reservas em relação à competência de Keizer, sobretudo quando ainda suspiro por Leonardo Jardim ou Marco Jardim. Ao invés daquele senhor que sucedeu ao actual técnico do Everton, aquele que agora anda por terras canarinhas.

 

Terminada a pré-época, na qual registámos apenas derrotas e empates, e uma pesada goleada na Supertaça, muito há agora a melhorar.

 

O plantel está a reestruturar-se (com Camacho, Rosier, Neto, Vietto), os desafios são enormes, a época será longa, com a exigente participação nas provas europeias, sabemos que os novos reforços estão ainda a ambientar-se à cultura do clube, às novas rotinas, aos colegas e à equipa técnica, pelo que a nível de preocupações relevo sobretudo a grande e incompreensível incerteza sobre o futuro do elemento à volta do qual gira a dinâmica da equipa: Bruno Fernandes!

 

Na defesa urge que as rotinas e o entrosamento demonstrados no final da temporada passada, sobretudo na zona central entre Coates e Mathieu, regressem depressa. As indicações de pré-temporada não foram as melhores. Mas Neto também oferece algumas garantias.

 

Quanto a novos reforços aposto na explosão de Camacho, mas Vietto continua a suscitar-me muitas dúvidas. Muitas mesmo. Espero estar enganado.

 

Mas mesmo assim - ao contrário de muitos - acredito que se está a trilhar o caminho para um Sporting futebolisticamente mais sólido, consistente e competitivo, fundado numa estrutura que espero se revele profissional e competente. É que só assim poderemos deixar de ser campeões nacionais de 18 em 18 anos.

 

Posto tudo isto, quotas em dia, gamebox renovada, fé leonina em alta, fervor clubístico inabalável e a certeza de que "onde tu fores jogar, eu vou lá estar"... começando já no Funchal, frente ao Marítimo, porque este tem que ser o ano do título!

 

Que comece a rolar a redondinha e que regressem as peregrinações semanais ao templo de Alvalade!