"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

terça-feira, julho 07, 2020

Voltamos ao habitual...



segunda-feira, julho 06, 2020

Um bocejo



Moreirense, 0 - Sporting, 0

Num jogo completamente desinteressante e sem ocasiões claras de golo, fico na retina com dois lances que me suscitaram dúvidas: ainda na primeira parte, uma falta dentro da área de João Aurélio sobre Jovane, e a acabar o jogo, o puxão da camisola de Coates dentro da área. 

Pelos vistos nem Tiago Martins nem o VAR viram motivos para assinalar grande penalidade.

Tirando isso, nulo que se aceita em dia de calor e em jogo em ritmo para cumprir calendário.

sábado, julho 04, 2020

Aplaudo!

Ação de relações públicas ou não, mãozinha do departamento de comunicação ou não, ação de propaganda e valorização da imagem de Varandas ou não, a verdade é que toda a gente merece uma segunda oportunidade, e sobretudo um homem como Paim - um talento perdido - pode ajudar muitos jovens a não enveredarem por maus caminhos.




sexta-feira, julho 03, 2020

O método Amorim



Publica hoje A BOLA uma interessante análise sobre estes primeiros meses de Rúben Amorim, traçando também um perfil do seu método.

- simplicidade de processos
- proximidade com os jogadores
- linhas hierárquicas bem assimiladas 
- liderança pelo exemplo e não pela imposição 
- mentalidade vencedora
- valoriza o talento e o esforço mais que o estatuto
- máxima liberdade, máxima responsabilidade 
- treinos baseados em objectivos, não na duração 
- uso intensivo das novas tecnologias
- capacidade de comunicação simples e directa
- analisa erros cometidos a nível colectivo
- sem medo de apostar em jovens

Em suma, têm sido estes os ingredientes para o aparente sucesso de Amorim nestes meses de Sporting. Isso e o lançamento bem sucedido de jovens da cantera leonina, o que, a par da inexistência de pressão vinda das bancadas - por ora despidas de público - tem ajudado a que esses miúdos possam despontar na equipa principal com maior confiança.

Até ver, e na lógica daquilo que eu sempre disse, de que a aposta de Varandas em Amorim era de alto risco, e provavelmente até encerrava maior perigo para Varandas do que para o jovem treinador, a coisa até tem corrido bem aos dois.

Estamos assim bem encaminhados para terminar a época melhor do que aquilo que há uns meses se perspectivava, beneficiando também da incompetência do Braga, e sobretudo parece-me que se está já a fazer uma boa pré-época, visando a temporada 2020/21, a tal em que também o terceiro lugar dará acesso à milionária Champions.

quarta-feira, julho 01, 2020

Quarto triunfo consecutivo!



Sporting, 2 - Gil Vicente, 1

 

Jogo em dia de 114.º aniversário de uma instituição centenária que tanto tem dado ao desporto nacional.


Uma palavra também de elogio a esta bela iniciativa de se ter hoje nas costas das novas camisolas nomes de figuras míticas que tanto enobreceram a nossa história: Peyroteo, Jordão, Damas, Manuel Fernandes, Jesus Correia e tantos outros.

 

O Sporting começou mal, dando algum espaço ao adversário, fazendo com que este chegasse com bastante perigo à baliza de Max.

 

Após conseguir organizar o seu jogo, assentar e criar ligação entre os sectores, o Sporting começou a gerir melhor o processo ofensivo e a criar lances para um perdulário Sporar.

 

O golo chegou por Wendel, numa jogada que premiou a persistência leonina e a nossa superioridade nessa fase de jogo.

 

No segundo tempo voltámos a entrar bem na partida, com maior domínio sobre o Gil, com Plata a dilatar merecidamente a nossa vantagem. Boa exibição do equatoriano.

 

Mais uma noite de boas apostas por parte de Rúben Amorim, com a miudagem a dar boa resposta e a corresponder à aposta. Nota para a estreia de mais um miúdo, desta vez Tiago Tomás.

 

Facto negativo da noite: um pénalti concedido sem necessidade absolutamente nenhuma e ainda por cima concretizado por um “desertor” chamado Rúben Ribeiro.


114 anos de uma história de de sucesso!

Dia especial para a nação leonina, já que se comemoram 114 anos de esforço, dedicação, devoção e muita glória, ecletismo e paixão.

Em dia de aniversário ficamos também a conhecer a camisola para a temporada 2020/21. (gostos não se discutem...)

A última temporada em que somos equipados com Macron, constando que está aí na calha a Nike.




sábado, junho 27, 2020

É este o caminho!

Com FC Porto e Benfica titubeantes, um a contas com fragilidades financeiras e o outro no início de convulsões internas, o nosso caminho tem que ser por fora.

Demasiado caro, sem currículo, sem experiência e sem as habilitações mínimas, a verdade é que Rúben Amorim - indivíduo com discurso lógico, pragmático e ponderado - está a tomar as opções que fazem sentido: apostar na cantera, dar minutos aos miúdos, transmitir-lhes confiança e ter o apoio dos mais velhos do plantel no seu enquadramento numa realidade competitiva mais exigente.

Se a isto conseguirmos juntar uma acalmia interna, e nesse aspecto a pandemia parece ter ajudado Varandas, assim como uma gestão competente e cuidada dos milhões que têm entrado, teremos meio caminho percorrido para sairmos disto tudo relativamente incólumes e com a rota bem definida para o futuro. 

Até mesmo com um presidente que para mim não tem perfil para o cargo que exerce, poderemos traçar um rumo mais seguro e consolidado, desde que este deixe trabalhar em paz quem tem competência e desde que saiba garantir boas condições de trabalho aos bons profissionais. Em suma: que não atrapalhe!

Quanto a nós, adeptos e sócios anónimos, cabe-nos apoiar, mas nunca perdendo o sentido da crítica construtiva nem uma postura vigilante em relação à atuação dos corpos sociais. É que o Sporting ainda continua a ser nosso!




sexta-feira, junho 26, 2020

Mais três pontos



Belenenses SAD, 1 - Sporting, 3

Agiriam apenas por conta própria?



quinta-feira, junho 25, 2020

Tudo “bons rapazes”

Enquanto andaram a agredir, e inclusivamente a assassinar, adeptos de clubes rivais, parecia que não se passava nada e estava tudo bem. As autoridades assobiavam para o lado.

Quando este “grupo de adeptos” decidiu incomodar os jogadores do seu clube e dedicar-se ao “lançamento de pedras” e “graffitar” a casa dos futebolistas de Vieira, parece que as autoridades finalmente acordaram. Por muito que digam que andam a investigar há um ano.

Triste país este...




Defendam os interesses do clube!

Leio que a SAD está disponível para negociar com Rafael Leão, um dos desertores no pós-Alcochete.

Espero sinceramente que os senhores dirigentes da SAD saibam negociar e defender os interesses da instituição, porque é cada vez mais óbvio que houve muito oportunismo da parte de quem tomou a iniciativa de rescindir contrato. 

Mal aconselhados ou não, creio que nenhum deles merece perdão, sobretudo quando a justiça desportiva nos deu razão.

Que o senhor Varandas e os seus pares não se ajoelhem perante Jorge Mendes, é aquilo que eu, enquanto adepto, sócio e accionista da SAD, peço e exijo!




quarta-feira, junho 24, 2020

Jérémy Mathieu merecia outro final de carreira



Um jogador como Jérémy Mathieu, que sempre pautou a sua carreira por grande dedicação e profissionalismo, tendo sido dos melhores estrangeiros que passaram por Alvalade nos últimos anos, merecia melhor despedida.

É uma pena que não termine a sua carreira a fazer aquilo que mais gosta, mas uma lesão acaba por lhe baralhar as contas. Nada disso apaga tudo aquilo que o francês fez.

Merci beaucoup, Jérémy!

sábado, junho 20, 2020

Dez milhões a caminho



O brasileiro Matheus Pereira vai render mais 9,5 milhões de euros aos cofres do Sporting, para além dos 500 mil euros que o West Bromwich já havia pago pelo empréstimo. 

Foi assim activada a cláusula de compra obrigatória se realizasse 30 jogos no Championship, concretizada hoje frente ao Birmingham.

Em tempos de pandemia e maiores constrangimentos financeiros, haja competência e sensatez na gestão destes milhões que vão entrando.


sexta-feira, junho 19, 2020

O futuro passa por aqui

O futuro do Sporting passará sempre por aquilo que foi o seu passado. Ou seja, a estratégia de sucesso para um futuro interessante terá que assentar naquilo que nos fez fortes no passado e nos conferiu uma marca identitária única em Portugal - a nossa formação e a nossa academia.

Nomes como Matheus Nunes, Eduardo Quaresma, Max, Gonzalo Plata, Pedro Mendes, Jovane, Nuno Mendes e Gonçalo Inácio, entre outros, deverão ser a base para criarmos uma estrutura forte rumo a um médio prazo mais competitivo, mais ganhador e também mais rentável.

Obviamente que ninguém ganha na alta competição apenas alicerçado na formação, pelo que deverá também haver competência para saber recrutar cirurgicamente elementos experientes que ajudem a enquadrar e a fazer crescer estes talentosos jovens.

Que não voltemos assim a cair no erro de cometer o crime de quase abdicarmos da nossa academia e da nossa formação, em favor do recrutamento de contentores de estrangeiros, muitos deles verdadeiros pernas de pau!




quinta-feira, junho 18, 2020

Os miúdos continuam a dar boa resposta!



Sporting, 2 - Tondela, 0

Os miúdos continuam a dar boa conta do recado e Amorim continua a acertar na aposta na cantera leonina.

Putos como Eduardo Quaresma, Matheus Nunes, Jovane, Max e Nuno Mendes estão a responder positivamente e a equipa está a crescer.

É um Sporting mais pressionante, compacto, coeso e rápido a desenvolver jogadas de ataque, a ocupar com competência os espaços e a tapar os caminhos para a nossa baliza, aquele que se tem visto de jogo para jogo. 

O pragmatismo desta noite também foi evidente: jogo resolvido na primeira parte e solidez defensiva na segunda, a conter qualquer possibilidade do Tondela chegar ao golo.

Sem a pressão do público é óbvio e lógico que a aposta nestes miúdos é o caminho a seguir até final da época.

Mais um golaço de Jovane. As lições do mestre Bruno Fernandes estão a ter efeito.

Subscrevo!



Se fosse futebolista profissional dificilmente quereria jogar em Portugal, tendo a possibilidade de emigrar. Aqui não se gosta de futebol. Só dos clubes. E de forma doentia!

quarta-feira, junho 17, 2020

“O Sporting é a minha segunda casa”



Sabendo que hoje em dia o futebol é um sector altamente competitivo e profissionalizado, que ainda por cima mexe com muitos milhões, é bom saber que não se perde também um certo lado romântico do mesmo e que ainda perdura amor à camisola.

Nessa linha, gostei muito de ouvir o jovem Eduardo Quaresma, logo após o anúncio oficial da renovação do seu contrato.

Não só porque revela ambição e humildade, mas também muito amor  e dedicação ao clube que o formou e que agora o lança na alta competição:

«Estou muito feliz. É um misto de emoções e de conquistas. Há três anos não esperava estar tão rapidamente onde estou agora. Sei que foi tudo graças ao meu trabalho, mas não quero ficar por aqui. 

Quero continuar, conquistar a ganhar títulos com o Sporting e a fazer história neste clube.

Podem contar comigo por mais uns anos, espero fazer-vos felizes e conquistar muitos títulos.

 O Sporting é a minha segunda casa, o clube que me deu tudo. Sinto e vibro a cada minuto sempre que visto esta camisola. É um orgulho muito grande. Estamos num clube muito grande e ser formado num dos maiores clubes é motivo de orgulho.

 Sei que muitos gostavam de estar aqui e eu tenho a sorte de estar e de ter sido formado neste grande clube.»

terça-feira, junho 16, 2020

Eu sou Sporting!


Mais um puto na calha

Gonçalo Inácio, 18 anos, defesa-central da nossa equipa de sub-23, pode ser mais um jovem na calha para ser lançado por Rúben Amorim. E já frente ao Tondela

Dada a ausência de Mathieu, por lesão, Gonçalo pode ser opção, fazendo concorrência a Luis Neto.

Embora sendo uma estratégia arriscada, dado o défice de experiência destes miúdos, mas cheios de talento, é sempre bom ver o Sporting de volta àquilo que é a sua matriz e o seu verdadeiro código genético.

É este o caminho!




segunda-feira, junho 15, 2020

Max desperta interesse de gigante catalão



sexta-feira, junho 12, 2020

Havia necessidade de tanto sofrimento?



Sporting, 1 - Paços de Ferreira, 0

Depois de ver este Sporting a jogar esta noite, pergunto se havia necessidade para tanto sofrimento e para termos estado até ao último minuto em risco de não ganhar este jogo.

Uma exibição cinzenta frente a uma equipa fraquinha, para mim das mais fracas da primeira liga, mas que hoje soube dar réplica e anular bem as peças mais importantes da nossa equipa. A jogarmos assim frente a um emblema mais forte arriscamo-nos a sofrer dissabores.

Registo como nota positiva, para além dos três pontos, o golaço de Jovane e a aposta continuada em jovens da nossa cantera.

terça-feira, junho 09, 2020

Será desta?

Será desta que um emblema de enorme prestígio como o nosso vai ser equipado por uma marca desportiva de dimensão mundial?

Não será por acaso que clubes como Barcelona ou Inter, e antes Manchester United, Arsenal, Juventus, entre outros, optaram pela marca norte-americana.

Para mim, admirador confesso da Nike e habitual consumidor de merchandising oficial do clube, será uma óptima notícia.




segunda-feira, junho 08, 2020

Já falaram?

O presidente da república já se pronunciou e já condenou o vandalismo perpetrado em relação aos jogadores e treinadores do SLB?

Ou o presidente da assembleia da república?

Ou o primeiro-ministro?

Ou o secretário de estado do desporto?

domingo, junho 07, 2020

O Duque do costume

Nas tramóias agora denunciadas entre Aves e Benfica aparece um nome de um sportinguista: Luís Duque.

“Era apenas um consultor”, defende-se aquele que é apenas mais um “artista” do futebol português, um daqueles que anda sempre pelo bastidores a fazer pela vida.

E é este um dos nomes aventados para substituir Pedro Proença na liderança da Liga...






sábado, junho 06, 2020

Enquanto isto os estádios continuam vazios...





Quantos?

Quantos jogadores do SLB é que já rescindiram?

Marcelo Rebelo de Sousa já condenou os actos?

Eduardo Ferro Rodrigues continua caladinho?

O SLB já tem claques ou continua a ter apenas grupos organizados de adeptos?

A podridão do costume



sexta-feira, junho 05, 2020

O futebol português tresanda a porcaria!

Este futebol português está cada vez mais terceiro-mundista e cada vez mais a tresandar a porcaria.

Culpa de quem? 

Dos dirigentes que semeiam o ódio, dos directores de comunicação que incendeiam o meio e detonam guerras, dos comentadores encartilhados dos vários clubes que obedecem a agendas maquiavélicas encomendadas, e obviamente dos adeptos acéfalos que nem ponderam a gravidade dos seus actos. Seja em Alcochete, no Seixal ou em Gaia.

É por estas e por outras que estou cada vez mais fã das ligas alemã e inglesa, da mentalidade dos seus adeptos e cada vez mais farto e saturado desta porcaria que é o futebol português.

Nota: já alguém ouviu Ferro Rodrigues ou Marcelo Rebelo de Sousa a condenarem veementemente o que agora se passou? Ou sobre a responsabilidade do líder máximo do clube em questão, o tal que teima em negar a existência de claques?

quinta-feira, junho 04, 2020

Empate justo



Vitória SC, 2 - Sporting, 2

Acho que nunca tinha estado tanto tempo sem ver um jogo do meu Sporting. Três meses é muito tempo.

Mesmo com bancadas vazias, sem calor humano nas bancadas e com todas as regras sanitárias que se impõem, soube muito bem voltar a ver o nosso clube em ação.

Empate justo, jogo equilibrado, algumas falhas defensivas que se revelaram decisivas no resultado final e Sporar em destaque, a bisar. Temos goleador.

Uma palavra final para a aposta arrojada, mas lógica, por parte de Rúben Amorim, ao apresentar vários jovens made in Alcochete no onze inicial: Max, Quaresma, Matheus, Jovane e Camacho. Este é o ADN leonino!

quarta-feira, junho 03, 2020

O tempo voa...



Eu sou Sporting!


Qual a diferença?

Expliquem-me o motivo pelo qual puderam estar 2.000 pessoas, entre elas altos representantes políticos do país, num recinto fechado no qual claramente não se respeitaram as regras de distanciamento social, enquanto jogos de futebol ao ar livre, em estádios com capacidade para milhares de espectadores, serão obrigados a ter as bancadas vazias?

Será que há algum preconceito que assume que a malta do futebol, ao contrário daqueles que frequentam estes alegados eventos “culturais”, são uma cambada de energúmenos, que não se saberão comportar nem respeitar as regras sanitárias?

Continuamos a viver no país dos dois pesos e das duas medidas.






segunda-feira, junho 01, 2020

Mentalidades

Nas pequenas coisas se vê a diferença na mentalidade, na organização e no sentido de cidadania.

Quando esta semana se retomar o campeonato português já estarão disputadas quatro jornadas na Alemanha, no pós-desconfinamento.

Enquanto aqui os clubes andaram à cabeçada em lutas de poder, em impugnações e em negociações difíceis com os seus plantéis para baixar ordenados, na Alemanha a maioria dos jogadores da primeira liga foram os primeiros a tomar a iniciativa de cederem parte do seu salário para que as suas entidades patronais pudessem suportar na íntegra os ordenados dos restantes funcionários. 

Exemplos? Bayern, Dortmund, Monchengladbach.

Enquanto aqui se pedia a demissão de dirigentes, na Alemanha via-se liga, federação, clubes, autoridades de saúde e governo, a remarem todos para o mesmo lado.

Enquanto aqui debatiam o sexo dos anjos, na Alemanha os quatros clubes presentes na actual edição da Champions - Bayern, Dortmund, Leipzig e Leverkusen - doavam 20 milhões aos restantes.

É por estas e por outras que os emblemas alemães continuam poderosos no futebol mundial, mesmo com a regra de 50+1, a tal que impede os clubes de serem comprados por milionários e investidores estrangeiros, permanecendo património dos seus sócios.

Este exemplo dado pelo futebol espelha também de modo cabal as diferenças em termos de modelo de sociedade entre um país como a Alemanha e um país como o nosso, e fundamenta as razões pelas quais uns lideram a locomotiva europeia a nível político e económico, e outros teimam em viajar na última carruagem. 

Por lá olham para a floresta, por aqui teima-se em olhar apenas para a árvore de cada um.

Mentalidades...




Abençoado sejas, Bruno Fernandes!



domingo, maio 31, 2020

Qual o critério?

Se após o “desconfinamento” já é possível ter espectadores nos cinemas e nos teatros - leia-se espaços fechados - pessoas nas esplanadas e nas praias, porque motivo não podemos ter adeptos nos estádios, que ainda por cima são espaços abertos, desde que acautelado o distanciamento social e as regras básicas de segurança?

Got it?



quinta-feira, maio 28, 2020

Reintegração? Obviamente!

Posto tudo aquilo que hoje se soube, e porque só os burros não mudam de opinião perante novos factos, é óbvio que Bruno Carvalho e restantes ex-dirigentes que foram expulsos de sócios, podem e devem lutar pela reintegração com plenos direitos.

Reitero que a principal motivação da maioria dos sócios que votaram por essas expulsões residiu na suspeita de envolvimento no ataque a Alcochete.

Como não se pode fazer tábua rasa daquilo que a Justiça decidiu - dura lex sed lex - independentemente de qualquer convicção pessoal, temos que nos reger por factos. E o grande facto é que o homem foi ilibado. Logo, não teve nada a ver com o ignóbil ataque.

Que se convoque então uma assembleia geral e que a maioria decida. Quem não deve não teme. E se os actuais dirigentes e o senhor Alves não têm rabos de palha, pois que dêem a palavra aos sócios, soberanos nas grandes decisões que regem a vida do nosso clube.

Detesto ver ex-presidentes a serem escorraçados do Sporting, e sobretudo abomino que isso esteja a transformar-se numa regra. Por isso mesmo não fui às assembleias gerais destitutivas de Godinho Lopes e de Bruno Carvalho.

Bruno Carvalho absolvido!



Está confirmada a absolvição de Bruno Carvalho no processo e no julgamento de Alcochete.

Volto a perguntar: e agora?

Não sendo um personagem que me suscitava simpatia ou voto, a verdade é que aquilo que mais pesou na cabeça dos sócios que votaram a sua destituição de presidente  e a sua expulsão de sócio, foi precisamente a suspeita do seu envolvimento no ataque à academia.

É óbvio que mostrou um comportamento desequilibrado na fase final da sua presidência, que fez uma série de coisas passíveis de censura e que ele próprio contribuiu para a degradação da sua imagem junto dos sócios e da opinião pública.

Podemos até ter a convicção de que foi o autor moral do ataque e que a justiça não conseguiu reunir provas e justificar e legitimar acusação. 

Mas a verdade dos factos é que foi ilibado. Ponto final. E agora?

Nota: congratulo-me com esta decisão do colectivo de juízes porque não gosto de ver ex-presidentes do meu clube a serem destituídos - sejam eles quem forem - e muito menos a contas com a justiça - como habitualmente acontece com os de outros clubes.

quarta-feira, maio 27, 2020

Que descanse em paz!



Mauricio Hanuch

sábado, maio 23, 2020

Aprendam com quem faz bem!



É por estas e por outras que desde miúdo sou fã do futebol alemão.

No jogo desta tarde, em casa, o Borussia  Monchengladbach tem nas bancadas 13 mil adeptos... de cartão. 

Dado que os clubes são obrigados a jogar à porta fechada, cada sócio pagou 19 euros para ter a sua imagem reproduzida em papel, e assim se poder atenuar a frieza de bancadas despidas.

Mais um grande exemplo dado pelos adeptos e pelos clubes alemães.

Por aqui continuam a discutir lideranças da liga, estádios autorizados, credibilidade e fiabilidade dos testes ao coronavírus, impugnações de competições. Em suma, as tretas do costume.