"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

segunda-feira, março 14, 2011

Inside Information...

O Pedro Cunha Ferreira foi à 18 meses candidato na lista de PPC à direcção do Sporting. No meio da internet e da blogosfera, creio que não existem dúvidas do seu Sportinguismo e capacidade de ter opinião própria. Porque não consigo compreender que alguém que para muitos dos que aqui vêm era bom à 18 meses, hoje se tenha vendido, por algum benefício pessoal, acredito que se lerem este texto com atenção possam pelo menos entender porque razão nem todos prefiram a Bruno Carvalho e Inácio.

Por isso, e porque se há aqui claramente editores que puxam para um lado, permitam-me que puxe para o meu.

Sem ofender ninguém, sem querer julgar pessoas ( discutir a competência para determinado cargo ou dizer que algumas ideias são más não ofende ninguém ! ), apenas tentando explicar porque prefiro esta opção ( existem outras razões para mim, nomeadamente Carlos Barbosa ... )

O Pedro escreveu este texto no Sporting Apoio e creio e espero que nem ele, nem o Nuno Mourão, se importem que transcreva aqui uma parte do seu texto, apenas para que leiam o que escreve alguém que esteve do outro lado e que por alguma razão entendeu ser esta a melhor solução actual para o NOSSO Clube :

"Conheci Luiz Godinho Lopes no contexto desta candidatura, logo recentemente. Não tinha ideia formada relativamente ao candidato pois a sua saída do clube sucedeu há suficientes anos para que da sua presença restasse apenas a recordação da sua imagem junto aos trabalhos do novo estádio ou academia. Parti assim para o momento em que ouvi o que Godinho Lopes tinha para me dizer sem expectativas e com muitas perguntas, dúvidas e questões com as quais pretendia confrontá-lo de modo a decidir o meu voto e, posteriormente, quando convidado a tal, dar a minha ajuda. Passo a elencar as principais razões que me fizeram não só decidir o meu voto como aceitar o convite para ajudar o Sporting sem outras contrapartidas que não sejam o orgulho e enorme vontade de o recolocar no seu devido lugar:
- escutei um homem capaz de fazer um diagnóstico cabal, sem papas na língua, de todos os erros cometidos ao longo destes 15 anos (8 dos quais, recorde-se os últimos, sem a sua participação).
- ouvi em seguida um conjunto de princípios, acções e planos consequentes com este diagnóstico, de real e efectiva mudança de filosofia, solução e forma de executar o que é necessário para que o Sporting se reerga, totalmente em linha com o que defendi há 18 meses atrás e que há muito julgava ser absolutamente fundamental ao ressurgimento do Sporting.
- observei determinação, vontade efectiva em ser uma solução para o Sporting, de livre vontade, sem ser a pedido. Fundamentei essa noção meramente subjectiva em factos, que passam no facto de ter encontrado uma solução financeira arrojada, ambiciosa que exigiu cerca de 17 reuniões de negociação com os principais credores, algo que me transmitiu uma postura de defesa intransigente dos interesses fundamentais ao fortalecimento do Sporting, na minha opinião até hoje inexistente.
- Vi respondidas todas as minhas dúvidas fundamentais. Conheci um homem que admite que uma das suas obras (Estádio) apresenta hoje problemas mas que tem a humildade e a determinação de as corrigir. Fiquei a saber que, ao contrário do que pensava, não só não foi responsável por termos hoje um Estádio sem Pavilhão como foi um dos dois elementos do Conselho Directivo da altura que, a par de Moniz Pereira, votou contra essa opção, posteriormente ratificada em Assembleia Geral pelos sócios. Fui surpreendido pela postura de um homem que, para lá do diagnóstico que faz do passado respeita o esforço feito por todos os anteriores dirigentes do Sporting mas não coloca qualquer objecção ao total esclarecimento aos sócios do que sucedeu ao Sporting e que tem noção da importância dessa disponibilidade para que se pacifique e una o clube.
- Encontrei nas medidas, discurso e postura um homem que defende a primazia do Clube e seus Sócios e Adeptos acima de tudo o resto e que apenas equaciona os últimos como destinatário a servir, sem os quais é impossível recuperar o Sporting. Reforma dos Estatutos urgente, democratização e potenciação da participação do Sócio na vida do clube e incremento e melhoria dos serviços prestados aos Sócios foram temas aos quais prestei especial atenção, tendo em conta aliás que esse foi o meu pelouro de candidatura há precisamente 18 meses atrás.
- Percebi no seu plano de acção para o futebol uma postura consequente com o diagnóstico feito dos erros do passado: independentemente de escolher um homem forte para o futebol  cujo valor todos os Sportinguistas têm noção sabe ser fundamental estar envolvido de perto em todas as decisões, sendo o Presidente o máximo responsável perante os sócios de tudo o que corra bem ou mal nesta área, não podendo por isso distanciar-se da mesma.
- Encontrei determinação, vontade, capacidade de liderança mas também de congregação de esforços. Encontrei a postura construtiva, humilde mas inteligente de perceber que o Sporting capaz não se resume apenas a alguns mas que apenas com a ajuda de todos é possível regressar. Vi uma postura de serviço, de quem tem noção que não é momento de exigir aos Sócios e Adeptos sacrifícios mas sim de trabalhar duramente no sentido de lhes dar motivos para que regressem e se orgulhem do seu clube.
Após analisar tudo isto faltava-me ainda uma variável para fundamentar a minha decisão: as pessoas que iriam executar esta visão. Fui convidado a integrar um órgão executivo (Conselho Directivo) de uma lista que, juntamente com um Conselho Fiscal que se quer realmente fiscalizador e uma Mesa de Assembleia Geral que se quer representativa dos interesses dos Sócios é composta por 90% de pessoas que nunca exerceram funções executivas no Sporting. Decidi integrar um Conselho Directivo com 6 membros jovens nos quais encontrei a mesma garra e vontade de servir o clube sem contrapartidas e de o recolocar no lugar que os nossos Pais e Avós nos entregaram. Testemunhei humildade, espírito de serviço, união e obsessão por fazer diferente, mais e melhor para que o Sporting volte a ser uma causa para todos nós.
Posto isto conclui estarem respondidas todas as questões que considerava fundamentais para decidir o meu voto e, paralelamente, aceitar com muito orgulho ajudar no máximo do que posso e sei o meu Sporting."
Todo o texto em : http://www.sportingapoio.com/ganhe-quem-ganhar-por-pedro-da-cunha-ferreira 
Mário Rui Oliveira