"O Mundo sabe que pelo teu amor, eu sou doente / Farei o meu melhor para te ver sempre na frente / Irei onde o coração me levar / E sem receio... farei...o que puder pelo meu Sporting" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

terça-feira, abril 20, 2010

Paulo Sérgio

Adormeci com os rumores e acordei com a confirmação, Paulo Sérgio vai ser mesmo o treinador da equipa profissional do Sporting para 2010/11, com contrato válido por duas épocas desportivas, e opção por mais uma.
Na sequência do meu post de 8 de Abril, relacionado com a escolha do novo treinador, apontava dois perfis possíveis:

a) treinador experiente, com provas dadas e habituado a treinar clubes de uma dimensão elevada, de preferência conhecedor do futebol europeu e, ainda melhor, do português.
b) treinador jovem, moderno e com extrema vontade de triunfar.

Apesar da minha preferência pessoal ser para Villas-Boas, apontava como alternativas à opção b os nomes de Laudrup, Paulo Sérgio ou Domingos. Posso dizer que não fiquei muito entusiasmado mas também não entro em estado de depressão com esta escolha. Fico para já expectante para ver o plantel que vai ser colocado à disposição de Paulo Sérgio, as mudanças mais que necessárias no comportamento global do departamento de futebol (e não só) do clube e pela pré-temporada. Criticar desde já o treinador parece-me, além de precoce, contraproducente, embora esteja certo de que as críticas se dirijam mais para a escolha propriamente dita do que para o nome do treinador, serão sempre aproveitadas para descredibilizar o mesmo.

Quanto ao currículo, assim de repente lembro-me de 2 treinadores em Portugal nos últimos 15 anos, que foram campeões tendo CV's impressionantes anteriormente, Bobby Robson e Trapattoni. De resto é extremamente invulgar ver treinadores de topo virem para Portugal e o que é certo é que treinadores campeões em Portugal e em actividade temos Artur Jorge, Toni, António Oliveira, Fernando Santos, Augusto Inácio, Jaime Pacheco, José Mourinho e Jesualdo Ferreira... depois temos treinadores experientes como Manuel José, Manuel Machado, o nosso Manuel Fernandes etc, que apesar de terem mais calo sinceramente também não me agradavam por aí além.

No mesmo post, pedia que o novo treinador desse à equipa "um cunho ofensivo e dominador às suas equipas, construindo equipas que joguem em função da posse da bola, rapidez e aproveitamento das alas (433, 442 clássico ou mesmo 352 - não sou o maior fã mas...)."

Admito que não vi tantos jogos do Guimarães de Paulo Sérgio esta temporada como da Académica, por exemplo. Lembro-me do jogo da taça em que eliminou o actual líder da classificação, dos jogos connosco (estreou-se na equipa vimaranense no empate na cidade-berço, ainda com Paulo Bento no banco leonino), e de mais uma meia-dúzia de jogos (quase sempre com os "grandes"), incluindo a recente derrota por 3-2 com o vice-líder Braga no jogo de todos os penalties. A ideia com que fiquei foi a de um treinador corajoso, que usa tanto o 433 (com um dos extremos a cair muitas vezes para 2º ponta de lança) como o 442 mais clássico, sempre com bastante influência do "10" (no caso do Guimarães, Nuno Assis fez uma boa 2ª volta no comando das operações da equipa), mas que opta por um tipo de futebol mais assente na velocidade e nas transições rápidas do que na posse de bola. Claro que isso pode estar relacionado com as características do plantel que tiver à sua disposição, mas de qualquer forma foi a ideia com que fiquei.

Sendo que o "trabalho de sapa" de transformar a equipa amorfa e avessa à bola do início do campeonato foi feito, e bem, por Carvalhal (mesmo que os resultados no global sejam só medianos), cabe a Paulo Sérgio pegar no que está feito, enquadrar no plantel as inevitáveis entradas e suprimir as saídas, e fazer com que o Sporting continue a demonstrar em campo a evolução sentida nestes últimos meses. Há quem diga que isso podia ser feito com Carlos Carvalhal, eu tenho muitas dúvidas que fosse a melhor opção. Será Paulo Sérgio? Não sei... mas recuso-me a boicotar desde já o treinador sem primeiro ver o seu trabalho. Pode sempre acontecer o mesmo e os que diziam de Carvalhal o que dizem agora de Paulo Sérgio e depois já o queriam a ver renovar o contrato.

Trata-se de uma opção de risco por parte da direcção, isso penso ser unânime, e ninguém estará mais consciente disso do que o próprio presidente e o director desportivo. Agora se é uma boa opção? Como quase tudo no "mundo da bola", depende dos resultados. Antes de os ver, vou limitar-me a observar que Sporting 2010-2011 vem aí, desejando que seja, no mínimo, um Sporting mais condizente com a sua posição no futebol nacional! Não sou daqueles que exige que o Sporting ganhe os jogos todos por 5-0 nem que seja campeão em Janeiro mas não posso conceber que se entregue, como este ano, o campeonato ainda antes dele ter começado. Estou certo de que poucos sportinguistas estarão na disposição de aturar mais uma época como esta que agora se presta a terminar, cabe a todos, direcção, treinador, jogadores e adeptos/sócios, criar condições para que tal não volte a suceder.

Nelson Santos