"Tu vais vencer, Podes crer, Porque a nossa força é brutal. Mais de um século de histórias para contar. Sporting, tu nunca vais acabar" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

segunda-feira, abril 30, 2012

A três pontos da Champions


EM DIRETO

Sporting, 2 – Académica, 1

Estádio José Alvalade
Árbitro: Hugo Miguel

SPORTING: Rui Patrício; João Pereira (Pereirinha), Polga, Onyewu e Insúa; Matías (Carriço), Elias (André Martins) e Schaars; Carrillo, Wolfswinkel e Capel.

Suplentes não utilizados: Tiago, Jeffrén e Seba.

ACADÉMICA: Peiser; Cédric, Abdoulaye, João Real e Nivaldo; Diogo Melo e Adrien; Marinho, David Simão e Diogo Valente; Rui Miguel.

Suplentes: Ricardo, João Dias, Hugo Morais, Magique, Edinho, Saulo e Danilo.

Golos: 1-0 Carrillo, 1-1 Polga (pb), 2-1 Wolfswinkel

Nuno M Almeida

quinta-feira, abril 26, 2012

Morremos na praia... mas caímos de pé!

Shame on you, Mr. Atkinson! Shame on you!

Athletic Bilbao vs Sporting (EPA/Luis Tejido)

Athletic Bilbao, 3 – Sporting, 1

Estádio de San Mamés
Árbitro: Martin Atkinson (Inglaterra)

ATHLETIC BILBAO: Iraizoz, Iraola, Javi Martínez, Amorebieta, Aurtenetxe, Iturraspe, Muniain, Herrera, Susaeta, Llorente e Ibai Gomez.

Suplentes: Rául; San José, Ekiza, Inigo Pérez, Toquero, David López e Gabilondo.

SPORTING: Rui Patrício; João Pereira, Xandão, Polga e Insúa; André Martins (Carrillo), Schaars e Pereirinha (Jeffren); Matías (Carriço), Wolfswinkel e Capel.

Suplentes não utilizados: Tiago, Onyewu, Evaldo e Diego Rúbio.

Golos: 1-0 Susaeta, 1-1 Wolfswinkel, 2-1 Ibai, 3-1 Llorente

quarta-feira, abril 25, 2012

Bilbao... também no Estádio José Alvalade














Estádio de San Mamés

quinta-feira, 26 de Abril de 2012 20:05 h   
Segunda-mão da meia final da Liga Europa

Athletic Bilbao-Sporting Clube de Portugal
Árbitro: Martin Atkinson (Inglaterra)




Nuno M Almeida

Empréstimos bancários aprovados


abola

Notas daquilo que de mais importante ontem se passou em Odivelas, na Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal:

1. Os sócios do Sporting autorizaram dois empréstimos bancários de valor global de 120 milhões de euros para a fusão por incorporação da Sporting Património e Marketing (SPM) com a SAD. A direção do clube pretende extinguir a SPM e incorporá-la na SAD, que passa assim a deter o direito de superfície do Estádio José Alvalade e do respevtivo terreno. 
 Os responsáveis do clube esperam que a SAD passe assim a ter capitais próprios positivos e saia da situação de falência técnica em que se encontra, passando a respeitar as regras do «fair-play» financeiro da UEFA.
 A proposta teve aprovação de 72,12% dos votos, apenas 23,92% de votos contra, e 3,09%de abstenções.


2. Foram também aprovadas por aclamação as alterações aos estatutos, bem como o regulamento eleitoral, neste último caso com uma pequena alteração à proposta, referente aos delegados.


3. Paulo Pereira Cristóvão fez uma declaração aos sócios presentes, na qual voltou a reiterar a sua inocência, tentando assegurar que o Sporting não será envolvido no referido processo.

Sobre o ponto 3 não faço qualquer comentário já que continuo a acreditar que o nosso vice-presidente está inocente, sendo sobretudo uma novela que apenas tem servido para denegrir e desestabilizar o clube na comunicação social.

O ponto 2 é um evidente reforço de passos seguros rumo a um clube moderno e cada vez mais próximo dos seus sócios e adeptos.

Em relação ao ponto 1 creio ser uma opção que encerra demasiados riscos, sendo que na ausência dos investidores que nos foram prometidos aquando da campanha eleitoral, ou poderá ser uma fuga para a frente ou a única solução possível no momento actual.
Ao invés, Godinho Lopes considera a fusão por incorporação da Sporting Património e Marketing (SPM) com a SAD dos leões, «um virar de um ciclo vicioso para um virtuoso e permitirá a entrada de dinheiro fresco», nomeadamente através de investidores.
O futuro próximo o dirá...

Nuno M Almeida

segunda-feira, abril 23, 2012

Até sempre, grande campeão!



Só hoje de manhã soube do desaparecimento prematuro do antigo internacional de hóquei em patins José Leste, que se sagrou campeão mundial em Barcelos, em 1982.

Faleceu aos 50 anos, segundo informação da Federação de Patinagem de Portugal.

José Leste iniciou-se na modalidade ao serviço da Juventude Salesiana, após o que representou o Benfica e o Sporting, e vestiu por 68 vezes a camisola da seleção nacional.

Desaparece um grande campeão, um grande hoquista e uma pessoa impecável que tive o grande prazer de conhecer, após o seu regresso de Itália, onde também tinha jogado uns anos. Era um indíviduo simples, pacato, acessível, bem-disposto e um apaixonado pela modalidade onde brilhou e na qual fez parte de uma geração verdadeiramente de ouro.

Que descanses em paz, campeão!

Nuno M Almeida

domingo, abril 22, 2012

Bom ensaio para Bilbau




Nacional, 2 – Sporting, 3

Estádio da Madeira
Árbitro: Carlos Xistra

NACIONAL: Marcelo; João Aurélio, Neto, Danielson e Marçal; Moreno e Claudemir; Candeias, Diego Barcellos e Mateus; Rondon.

Suplentes: Vladan, Todorovic, Skolnik, Juliano, Andrés Madrid, Márcio Madeira e Keita.

SPORTING: Marcelo Boeck; Arias (Jeffren), Xandão, Onyewu e Evaldo; Carriço e Renato Neto (Schaars); Pereirinha, André Martins (Wolfswinkel) e Carrillo; Rúbio.

Suplentes não utilizados: Tiago, Izmailov,  André Santos e Ribas

Golos: 0-1 Rubio, 0-2 Renato Neto, 1-2 Mateus, 2-2 Keita, 2-3 Wolfswinkel

Nuno M Almeida

sábado, abril 21, 2012

Godinho Lopes... e os abutres



 Godinho Lopes em entrevista ao Record.

 RECORD – Em período eleitoral, sublinhou que a lista que liderava não era “um saco de gatos”. Depois de tudo o que se passou, está arrependido de algumas das decisões que tomou na altura de formar a lista? 

GODINHO LOPES – Falar a posteriori é fácil. Há cerca de 13 meses, o Sporting estava completamente partido. Decidi envolver-me na corrida numa altura em que ainda não havia candidatos assumidos. Comecei a olhar para os potenciais candidatos. Paulo Pereira Cristóvão tinha perdido com Bettencourt, logo, um potencial candidato; João Nabais – advogado e amigo – apresentou-nos duas ou três semanas antes de apresentarmos a lista. Todas as pessoas convidadas tinham uma tarefa bem marcada na estrutura. Foi, desta forma, que a lista foi delineada. Quando dei por mim, já tinha os 11 elementos permitidos. Estamos a falar do Sporting e não de uma empresa que compra ações. O que é que nos deve orientar a todos? O clube. Achei que devíamos dar as mãos para garantirmos a sustentabilidade do Sporting. Como podem ver por algumas reações, continua a haver abutres sempre à espera de um problema para poderem morder. Ao longo deste período, as pessoas vão falando porque, quando olham para cima, só se veem a eles próprios e não ao clube.

 R – É um homem experiente na área dos negócios e, nesse sentido, não acha que é uma visão romântica convidar pessoas que conheceu há poucas semanas – como Pereira Cristóvão ou Carlos Barbosa – para um projeto tão delicado?

 GL – E ser sócio do Sporting não é uma questão romântica? Transmitir aos filhos a paixão pelo clube é romantismo. O futebol é inexplicável. A minha sogra, por exemplo, adora futebol e telefona a cada cinco segundos para a minha mulher a comentar lances do jogo. Quer outro exemplo: há um miúdo no Hospital da Luz que chora sempre que o Rui [Patrício] sofre um golo. Chama-se João Pedro e vai ter a prenda que sempre quis: uma camisola autografada. Aliás, antes do jogo com o Ath. Bilbao pedi ao Patrício para não sofrer golos porque senão o miúdo chorava. (sorri) Se isto não é romantismo, o que é?

 R – No entanto, sabe melhor do que ninguém que é preciso saber equilibrar o romantismo com a vertente empresarial…

 GL – Há uma diferença entre o clube e a SAD. Na SAD é tudo profissional e tudo pago, e o único que não recebe sou eu. Duque e Freitas são profissionais pagos, por exemplo. Agora, eu ando em cinco países do Mundo a tentar resolver os problemas do Sporting.

R – Um dos objetivos que tinha quando foi eleito era reaproximar os adeptos do clube. Sente que esse objetivo, pelas provas que os adeptos têm dado, está realizado?

GL – Sim. Temos falado muito no jogar à Sporting que se traduz por uma forma de estar diferente. E ela passa por ter elementos da formação na equipa. Temos conservado e promovido essa característica, que é reforçada por um espírito muito próprio e que se resume nesta ideia: deixar tudo em campo. Quando a essa total entrega se juntam boas exibições e resultados, as coisas ficam perfeitas.

 R – Nesse sentido, o que representa para o clube o caso que envolveu Paulo Pereira Cristóvão?

 GL – Queria pôr essa questão em três níveis diferentes. O primeiro tem a ver com o Paulo. Ele é vice-presidente do Sporting e encontra-se sob um processo de investigação, não apenas da parte das autoridades mas também do clube, através de um inquérito dirigido pelo Conselho Fiscal e Disciplinar. Sendo assim, sobre esse facto não me pronuncio. Evidentemente, presumo que ele é inocente mas vou esperar pela conclusão da investigação.

R - O que representa para o clube o caso que envolveu Paulo Pereira Cristovão?

 GL – Queria pôr essa questão em três níveis diferentes. O primeiro tem a ver com o Paulo. Ele é vice-presidente do Sporting e encontra-se sob um processo de investigação não apenas da parte das autoridades mas também do clube através de um inquérito dirigido pelo Conselho Fiscal e Disciplinar. Sendo assim, sobre esse facto não me pronuncio. Evidentemente, presumo que o Paulo é inocente mas vou esperar pela conclusão da investigação. Ponto final.

 R – Mas já se referiu à especulação criada à volta do caso. Seria bom, então, esclarecer alguns pontos. Por exemplo: uma das razões que travou a saída de Paulo Pereira Cristóvão foi a ameaça que ele fez de “partir tudo” e colocar as claques contra si.

 GL – Isso é ridículo, completamente ridículo. Não me furto a nenhuma pergunta, mas deixe-me prosseguir no raciocínio e permita-me falar de outro aspeto relacionado com o caso: a tentativa de aproveitamento que alguns clubes estão a fazer. É inacreditável! Não ganharam no campo mas estão a procurar ganhar de outra forma.

R - O futebol está em blackout, mas temos de lhe perguntar se, neste momento, o balanço desportivo o satisfaz?

GL - O presidente do Sporting nunca pode estar satisfeito por estar em quarto lugar. Independentemente de estar satisfeito por estar na meia-final da Liga Europa e na final da Taça de Portugal. Se estivesse satisfeito não tinha mudado o treinador.

 R - E porque é que mudou?

 GL - Isso é uma análise diferente. Agora, nenhum presidente do Sporting pode ficar satisfeito por estar em quarto lugar. Se me está a perguntar se eu estou satisfeito, não estou. Não estou desiludido, mas não estou satisfeito. Está fora daquilo que eu achava. Nunca disse que seríamos campeões, mas achava que tínhamos condições e temos, para lutar pelo primeiro lugar. Mas se reparar, na época passada, nesta altura estávamos a 32 pontos do primeiro, agora estamos a 13. Aproximamo-nos mas não estou satisfeito.

 R - Mais do que o título, o estar muito longe da liga dos campeões é que o preocupa?

 GL - Também. Reconheço que sim, isso era fundamental.

R - Como viveu o jogo com o At. Bilbao?

GL – Desde que estou no futebol que aprendi que o jogo mais importante é o próximo. Naturalmente, estava interessadíssimo em observar a reação da equipa e… ganhar o jogo.

 R – E gostou do que viu?

 GL – Na 1.ª parte percebi que tínhamos equipa para ganhar. Apesar de que no futebol estas sensações têm um valor relativo, a verdade é que fiquei com essa convicção. Aliás, deveríamos ter tido direito a um penálti – já vi a jogada repetidas vezes – mas acabaram por ser eles a marcarem um golo num lance fortuito. Depois houve aquela bola ao poste…

 R – E chegou a ver as coisas mal paradas…

 GL – Senti que a equipa tremeu aí um bocado, mas depois disso foi uma avalancha total. O Sporting poderia ter ganho por números mais dilatados. Gostei dos movimentos de Van Wolfswinkel nas oportunidades de golo que teve – ele fez tudo perfeito e procurou sempre colocar a bola fora do alcance do guarda-redes. Não foi feliz, mas foram três chances impressionantes. Mas todos os jogadores estiveram fantásticos. O Marat, o Capel, o Polga, o João Pereira, o André Martins, enfim… todos!

 Nuno M Almeida

Todos ao Andebol rumo à Final!!!





Hoje, pelas 19 horas, teremos que fazer do Pavilhão do Casal Vistoso um verdadeiro Vulcão. Apenas 48 horas depois da meia-final do futebol já estamos de novo a viver emoções fortes com outra meia-final europeia frente aos suíços do Wacker Thun.


Que outro Clube se pode orgulhar de ter tantas e tãos boas razões para viver momentos tão intensos como estes.


Comparece, o SPORTING está à beira de repetir o sonho de 2010... Todos seremos poucos para darmos alento aos nossos rapazes. Somos mais do que uma equipa de futebol... Somos um Clube ECLÉTICO e ganhador!


Juvenal Carvalho






sexta-feira, abril 20, 2012

Este é o verdadeiro Sporting!

Imagino nestes dias seguintes a grandes vitórias e enormes exibições leoninas a azia e os sapos que os senhores destes jornais devem sentir no estômago por se verem obrigados a render à evidência.

Não imaginam o gozo que me dá receber vários mails de amigos espanhóis - sobretudo catalães e adeptos do FC Barcelona - a dizerem-me: «que grande equipo tiene tu Sporting! Que bien está jugando Capel! Vosotros han dominado el Athletic que es un equipo muy bueno!»

A cada dia que passa, muito graças à garra e inteligência de Sá Pinto - o tal de quem muitos ainda duvidam que seja genuinamente leão - estamos a recuperar o prestígio internacional de outros tempos.



Nuno M Almeida

quinta-feira, abril 19, 2012

Tudo em aberto... rumo a Bucareste!



Sporting, 2 – Athletic Bilbao, 1

Estádio José Alvalade
Árbitro: Jonas Eriksson

SPORTING: Rui Patrício; João Pereira, Xandão, Polga, Insúa; Carriço (Carrillo), Schaars, André Martins; Izmailov, Wolfswinkel e Capel (Pereirinha).

Suplentes não utilizados: Marcelo, Onyewu, Evaldo Renato Neto e Rubio

AT. BILBAO: Iraizoz; Iraola, Ekiza, Amorebieta, Aurtenetxe; Iturraspe, De Marcos e Herrera; Susaeta, Llorente e Munian.

Suplentes: Raúl, Mikel San José, Koikili, Ramalho, Toquero, Gabilondo e Ibai Goméz.

Golos: 0-1 Aurtenexte, 1-1 Insúa, 2-1 Capel

Nuno M Almeida

quarta-feira, abril 18, 2012

Dúvidas juridicas ...

Alegadamente, terá sido feito um depósito de 2000€ na conta do Cardinal

Aparentemente, este tipo percebendo que tinha 2000€ na conta sem saber porquê entregou este dinheiro a uma instituição de solidariedade ( o que deita qualquer resticio de corrupção por terra ... )

Supostamente o Sporting, através do Presidente tomou conhecimento disto por carta anónima

Comprovadamente quem apresentou a queixa na PJ foi a Federação ...

Como tal, hipoteticamente, quem fez uma eventual denúncia caluniosa não foi a Federação Portuguesa de Futebol ?


Mário Rui Oliveira

terça-feira, abril 17, 2012

O confuso reino do leão



Excerto publicado no jornal A BOLA:

A reunião (...) chegou a estar interrompida para que Godinho Lopes conversasse com Paulo Pereira Cristovão sobre o assunto e o vice-presidente terá reagido mal a um dos cenários colocados em cima da mesa, o de reassumir funções mas sem pelouros, tendo dito que teria meios para tornar as coisas muito difíceis ao Conselho Diretivo.

Lamento muito que o meu clube tenha caído há muito numa lógica de fatalidade, onde parece ser inevitável que após um período ou um facto positivo - neste caso, apuramento para as meias-finais da liga Europa e vitória sobre o eterno rival - venha logo de seguida um episódio a ensombrar e a perturbar a onda de entusiasmo.

É óbvio que para a comunicação social, para os nossos rivais e para quem não nos quer bem, tudo isto é um pratinho que explorarão até ao limite, mas muitas vezes me questiono se os principais inimigos do nosso clube não seremos nós próprios, os sportinguistas.

Porque raio andamos constantemente a dar o flanco e a oferecer de mão beijada a toda a mafia que gravita em torno do futebol português argumentos para que nos fragilizem e descredibilizem na nossa luta sem tréguas contra quem não quer a verdade desportiva?

Não suporto ver gentalha, seja ela azul, encarnada, laranja ou amarela, a atirar o bom nome do Sporting Clube de Portugal - honrada instituição centenária - para a lama, sem disfarçarem um nojento sorriso nas trombas!

E por aqui me fico... porque tudo isto é triste, tudo isto é fado... tudo isto é Sporting!

Nuno M Almeida

(pergunta: quem passou para a comunicação os factos ocorridos numa reunião do conselho directivo, supostamente blindada ao exterior?)

Os Anjinhos vão para o Céu ... os outros são Campeões

Quem me conhece sabe que não sou dado a consensos ocos, a modas ou manias ou sequer dou grande importância a opiniões alheias. Detesto criticar sem pensar sempre antes .. "na mesma posição tenho a certeza absoluta que faria diferente para melhor ?" e se a resposta não é um claro sim, meto a viola no saco e sigo com a minha vida. Em resumo, o politicamente correcto, como dizia o outro, a mim não me assiste. 


Serve isto para dizer que sempre defendi que o Sporting tinha de ser mais musculado na sua reacção relativamente à forma como somos tratados pela comissão de arbitragem, muita comunicação social e até por parceiros. Por isso, gostei que tivessemos proibido o "Publico" de entrar em Alvalade e até do rasgar o contrato com a Sagres. 


Quem nos trata mal, nos falta ao respeito, quem nos descrimina sem razão, quem nos provoca tem de sofrer consequências, ainda que isso acabe por ter alguns custos associados. 


Falando mais especificamente da arbitragem, o que estes tipos nos fizeram na segunda jornada deste campeonato, com uma birra inadmissivel numa competição profissional que está em 5º lugar no ranking da UEFA, sendo ainda mais revoltante a forma como esta classe reagiu perante ataques bem mais ferozes de outros lados. A partir desse momento, muito claramente e sem falsos pruridos, aceito qualquer resposta do Sporting. Aceito e com excepção de corrupção ou de agressões fisicas aos árbitros ou a qualquer membro da sua familia, qualquer resposta me parece adequada. 


Acerca deste tema e outros temas conexos... 


1 - O Sporting espia os seus jogadores ? Até que enfim ! ( a noticia era ser o único que não ... ) . Quem ganha o que ganha só tem é de se portar de acordo com as responsabilidades que esse rendimento mensal implica !


2 - Caso exista uma armadilha para impedir que o Cardinal apite o Sporting, resta-me dizer que é pena é não serem mais. Ao contrário de Porto e Benfica não nos basta pedir para não ter um árbitro nos nossos jogos

3 - Quem compara uma situação destas à corrupção do Porto ou ao tráfico de influências do Benfica ( sim, combinar que árbitro se quer para um jogo é isso mesmo ... ) é piadola de mau gosto. E quem se mostra agora tão chocado já teve oportunidades bem melhores de demonstrar isso em situações bem mais graves e que claramente alteraram resultados desportivos. 




Espero, acima de tudo, que neste momento possamos ser unidos pelo Sporting ! 

Quando existirem conclusões cada um poderá exigir as medidas que a sua consciência exista. Neste momento, em minha opinião estamos sob ataque cerrado e acima de tudo temos de defender o clube ! 


Não posso igualmente de deixar de registrar que o Correio da Manhã de repente se tornou um jornal de referência em Portugal ... realmente há embrulhos que fazem o lixo parecer interessante

Não sei se tudo isto aconteceu ou não ... nem me interessa. Estamos a serem claramente atacados. Provavelmente em resposta ao facto de termos deixado de ser anjinhos. 

O que tenho a certeza é que este processo pode ser um entrave grande à nossa capacidade de captar investimento para o clube. E nessa medida, estaremos a ser alvo de um ataque externo ? Estaremos a começar a incomodar alguém que não deviamos ... 

Como escrevi no título, os anjinhos vão para o Céu, os outros são campeões !

O que me interessa mesmo é ganhar ao Bilbao !!! 


Mário Rui Oliveira



segunda-feira, abril 16, 2012

"Blackout" providencial

Num momento em que os caçadores de sangue da comunicação social, felizmente não de forma generalizada, até porque ainda existe seriedade intelectual em muitos deles, continuam a "bombardear" com inusitada gula a instituição Sporting Clube de Portugal, eis que o Conselho de Administração da SAD decidiu a partir de hoje decretar um "blackout" por tempo indeterminado.
Temos que serenar e blindar o balneário. Estamos a dias de um jogo importante e com ele um possível apuramento para uma final europeia.
Não é seguramente uma medida muito "democrática"... mas com este género de imprensa em que predominam os pasquins e os "jornaleiros" tem o condão de evitar mais "guerra"!
Concordo com a decisão na plenitude.

Juvenal Carvalho

sexta-feira, abril 13, 2012

Contra factos não há argumentos!!!



Por mais que alguns pasquins, paineleiros, lampiões e outros inimigos queiram escamotear isto e procurem agora, numa situação em que já querem fazer de um arguido um corrupto e afastar-nos até de disputar as competições, muito embora se for provado tudo isto não deixe de ser uma mácula que a todos nós nos entristecerá, a verdade é que a vida do Sporting Clube de Portugal faz-se de uma grandeza ímpar.

Um Clube que neste mês vai disputar o acesso à final em três modalidade diferentes, como Futebol, Andebol e Futsal, só pode ser o nosso orgulho. Isto é o essencial, por muito que os arautos da desgraça e que dizem horrores da nossa grandiosa Instituição não o queiram.

Apelo por isso aos sportinguistas que continuemos unidos em prol do nosso GRANDE AMOR.

Esqueçam o acessório e concentremo-nos no essencial: Um apoio sem limites ao nosso Sporting e a junção de forças para que não nos achincalhem.

Não permitam que os "puros", adeptos de clubes com um passado cheio de falácia, nos queiram pôr no mesmo saco e façam-se de virgens ofendidas. O Sporting é demasiado grande!!!

Juvenal Carvalho

quinta-feira, abril 12, 2012

O polvo anda inquieto



Em face destas recentes notícias quero desde já solidarizar-me com o nosso vice-presidente Paulo Pereira Cristovão.

Estou particularmente à vontade para o fazer porque em 2009 apoiei José Eduardo Bettencourt nas eleições onde Cristovão se apresentou como candidato. Mas entretanto já tive oportunidade de conhecer pessoalmente o vice-presidente de Godinho Lopes e posso atestar do seu sportinguismo à prova de bala.

Como me parece que estas notícias de hoje são uma retaliação pela acção de denúncia do Sporting, já que há muitos interesses em jogo e um enorme polvo inseguro com todas estas manobras, prefiro esperar pelas conclusões da suposta investigação, mas estarei sempre do lado de quem defende com unhas e dentes os interesses da instituição centenária da qual sou orgulhosamente adepto e sócio.

O que é verdade é que muita gentinha não estava habituada a um Sporting Clube de Portugal combativo, antes suspirando de saudade pelo Sporting copinho de leite, apático e subserviente que durante muitos anos andou a fazer figura secundária no desporto nacional.

Quem ousa agarrar o touro pelos seus cornos geralmente ganha muitos anticorpos e um vasto clube de anti-fãs, mas não é ignorando os problemas ou virando a cara a gangsters que os combatemos!

Nuno M Almeida

quarta-feira, abril 11, 2012

Que se limpe toda esta porcaria!



É bom que estas situações se investiguem, e que de uma vez por todas se limpe o futebol português de toda a porcaria que o suja e que há décadas deturpa a verdade desportiva.

Espero sinceramente que a Polícia Judiciária investigue a fundo esta e outras situações, mesmo que essas investigações tenham que ser feitas com muita 'paixão'.

Que os paladinos da verdade desportiva, que apenas o são quando lhes dá jeito, tal como outros emblemas mais ou menos modestos, sejam denunciados e que toda a promiscuidade entre eles e os árbitros venha para o domínio público e deixe de ser apenas falada nos mentideros do futebol português.

Como nota suplementar, recordar que este senhor Cardinal é useiro e vezeiro em prejudicar o Sporting, tendo ficado na memória colectiva leonina aquela vergonha na final da taça Lucílio, disputada no Algarve.

Por último, saúdo vivamente os responsáveis do meu clube por continuarem vigilantes e diligentes na denúncia deste tipo de situações. Não basta ser grande apenas no nome ou na história: temos que ser dignos e honrados também na forma como genuinamente defendemos a verdade e a ética!

Nuno M Almeida

terça-feira, abril 10, 2012

Coisa rara...

... toda a imprensa desportiva rendida ao leão!



Nuno M Almeida

segunda-feira, abril 09, 2012

Competente Sporting desperdiça goleada histórica!

Foi o primeiro SPORTING-benfica que falhei no novo estádio, mas uma gravidez cá em casa quase no final do tempo, a isso obrigou. Falta justificada, portanto. No entanto, a gamebox foi convenientemente ‘endossada’ a quem de certeza apoiou incondicionalmente a equipa, tal como eu teria feito!

Apesar disso, mesmo em casa, e a ver à distância, o nervoso miudinho esteve sempre em alta durante 90 emocionantes minutos.

Uma vitória sobre a lampionagem não apaga a má carreira na liga... mas sempre ajuda. Também não me agrada ajudar indirectamente os da invicta – devo ser dos poucos sportinguistas que coloca lampiões e andrades ao mesmo nível da antipatia que por eles nutro – mas acredito que também iremos ao dragão sacar os três pontos.

Temos uma equipa descomplexada, sem o peso da pressão da classificação no campeonato e isso ajuda muito a que os nossos jogadores mostrem todo o seu futebol e não se ‘escondam’, querendo sempre bola, retirando espaço de manobra ao adversário. Como se viu no jogo de hoje, onde claramente o Benfica não teve bola nem espaço.

Ficou também evidente que podíamos e merecíamos ter goleado, várias foram as oportunidades desperdiçadas, sobretudo por Wolfswinkel e Izmailov. Chamem-me saudosista - ou teimosamente agarrado a um passado recente - mas com Liedson no lugar de Wolfswinkel seguramente que esta noite teríamos vergado os encarnados a uma derrota bem mais pesada. Uma daquelas que ficaria na história deste dérbi.

Depois das exibições com Manchester City e Benfica, é patente que este Sporting da era Sá Pinto está talhado para grandes jogos e bons adversários. É um Sporting que deixa exemplarmente garra, fibra, carácter, empenhamento e muito suor no relvado!

É, no entanto, pena que a liga não esteja agora no seu início, sobretudo numa altura em que os inúmeros jogadores chegados esta época já mostram um maior conhecimento e entendimento mútuo, onde há já alguma consolidação de processos, onde é evidente a empatia com quem comanda a partir do banco e com quem apoia nas bancadas.



Sporting, 1 - Benfica, 0

Estádio José Alvalade
Árbitro: Artur Soares Dias

SPORTING - Rui Patrício; João Pereira, Polga, Xandão e Insúa; Matías, Elias e Schaars (Carriço); Izmailov, Wolfswinkel (Rubio) e Capel (Carrillo).

Suplentes não utilizados: Marcelo Boeck, Evaldo, André Martins e Renato Neto.

BENFICA - Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Emerson; Javi García; Witsel, Bruno César e Gaitán; Rodrigo e Cardozo.

Marcador: 1-0 Wolfswinkel

Nuno M Almeida

domingo, abril 08, 2012

O grande dérbi e clássico de Portugal

Segunda-feira, dia 9 de Abril
- Estádio José Alvalade, 20.15h -

MAIS DO QUE UM JOGO, VEM VESTIR ALVALADE DE VERDE E BRANCO!



O dérbi eterno de Lisboa e o grande clássico de Portugal. Independentemente de classificações, palmarés, estados de forma, o grande jogo nacional onde nada conta, excepto o que se joga durante os apaixonantes noventa minutos!

Amanhã é dia de colorir a nossa casa de verde e branco e de apoiar a equipa até à exaustão, já que no final do jogo a vitória terá que ser nossa... porque não dá tanto gozo e satisfação ganhar a alguém como ao adversário de amanhã!



Nuno M Almeida

sábado, abril 07, 2012

Ténis de Mesa: Mais um troféu para o Sporting



Depois da conquista da Supertaça no início da época, ontem foi a vez da conquista da Taça de Portugal, após vitórias sobre o Ginásio Valbom (3-0), Oliveirinha (3-0), Toledos (3-1) e na final o Juncal (3-0).

Este brilhante êxito, conseguido através das prestações dos jogadores Diogo Chen, João Seduvem, Ricardo Filipe, André Silva e Zheng Shun, treinados pelo lendário Chen Shi Chao, prova assim o poderio do Sporting nesta modalidade, que para ter uma época plena de êxitos apenas lhe faltará a conquista do Campeonato Nacional, que se iniciará no dia 28 de Abril.

Uma semana depois da Taça no Andebol, mais uma conquista numa modalidade.

O Sporting Eclético está pujante!

Juvenal Carvalho

"Ganhar ao Benfica será fantástico"



Entrevista dada por Oguchi Onyewu ao jornal O JOGO, claramente um dos capitães 'sem' braçadeira do plantel:

A temporada do Sporting tem tido aspetos muito positivos, mas a campanha na Liga prima claramente pela negativa, dado o quinto lugar na tabela. O que falhou?

Obviamente, a Liga é o mais importante. Não começámos bem a campanha, depois melhorámos muito, mas algures pelo meio a nossa forma caiu. Não há uma razão específica para isso. Agora é importante olhar para os erros cometidos, para os jogos que desperdiçámos e tentarmos ser melhores daqui em diante. É preciso pensar no próximo jogo, nada é mais importante do que isso. Não tenho problemas em admitir que este é um campeonato de aprendizagem; para muitos de nós, é a primeira vez a jogar esta prova. Quando vim para cá, nem sabia o que esperar, mas tive de me adaptar, aprender e melhorar.

Como compara a liga portuguesa às outras cinco ligas europeias [França, Bélgica, Inglaterra, Itália e Holanda] em que já jogou?

Não gosto de comparações, aprecio as coisas por aquilo que elas são. Portugal tem sido muito bom, apesar de só estar cá há oito meses. Estou a desfrutar do meu futebol, e tudo vai correr bem. Estou a adorar o meu tempo no Sporting e quero continuar aqui por muito mais anos.

Acredita que vai conquistar o título de Portugal durante a sua passagem pelo Sporting?

Sim, acredito. Sermos campeões é uma questão de tempo. A minha meta principal é fazer do Sporting campeão nacional antes de deixar Portugal. É a minha meta a cem por cento, e é assim em todas as equipas onde jogo. Ser campeão de um país é o máximo que se pode desejar, o mais gratificante. Ninguém joga para perder, e os títulos são o mais importante. Nos últimos anos, o FC Porto e o Benfica dominaram o futebol português, pois têm muito boas equipas, jogam bom futebol, tal como o Braga, que esta época tem tido uma grande série de jogos. Mas nós estamos a aprender e na próxima época seremos duas vezes mais fortes do que fomos nesta, para sermos capazes de lidar melhor com a pressão de estar em tantas provas ao mesmo tempo.

Mas apercebe-se da frustração dos adeptos pelo facto de o Sporting, nas últimas épocas, não estar ao nível dos principais rivais?

Sei disso. É duro, mas a quem dói mais é aos jogadores. Nós é que temos de nos olhar, olhos nos olhos, após cada mau jogo que fazemos. Nós é que acordamos cedo para subir ao relvado e corremos todos os dias para não desiludir os adeptos e também para não nos desiludirmos a nós mesmos. Pessoalmente, sou o meu maior crítico. Nenhum jornalista ou adepto me vem dizer algo que eu não tenha dito já a mim próprio. Analiso os meus jogos ao segundo, sei quantos passes falhei, quantas bolas perdi. A cada jogo! Temos de usar isso a cada jogo. Não podemos é tentar mudar o que já passou, isso está fora das nossas mãos.

Como vive o ambiente de Alvalade?

Há anos que o Sporting não ganha um grande título, mas os adeptos continuam a apoiar. Não é comum noutros países. Não vou dizer nomes, mas há alguns em que, quando não se ganha, os adeptos se revoltam e querem trocar toda a gente. Gratificante no Sporting é que os adeptos acreditam nos jogadores e, além disso, não se esquecem do bem que fizemos pelo clube. Eles são o tipo de adeptos para os quais eu quero jogar: entendem de futebol, percebem as condições e os momentos bons e maus. Gosto muito disso.

"Se podia ter sido um avançado? Mas era o meu sonho!!! Acho que é o de todos os miúdos que começam a jogar futebol. Ainda hoje quero ser avançado [risos]. Mas a verdade é que sou mais eficaz a defender e é esta a posição que quero aperfeiçoar", refere divertido, ao mesmo tempo que reforça: "Não fui sempre central. No início era lateral-direito. Dois anos depois, a minha equipa precisava de alguém que fosse para o meio da defesa, onde eu nunca tinha jogado. Tudo começou assim."

Teve um problema grave de racismo com Jelle Van Damme. Chegou a perdoá-lo?

Eu perdoo toda a gente. Eu e Van Damme falámos depois do incidente e o assunto está encerrado, tal como a ação em tribunal. Acabou.

Em Portugal, houve recentemente um episódio em que Alan acusou Javi García de comentários desse teor. Já teve problemas desses em Portugal?

Não senti nada... ainda e espero que nunca aconteça. Nem me apercebi desse problema entre Alan e Javi García, para falar a verdade.

Nem das bancadas?

Sim, mas eu em campo estou tão focado no jogo que por vezes nem ouço os meus próprios adeptos.

Está de fora, dada a sua lesão, a ver a equipa brilhar na Liga Europa. Como tem vivido tudo isso sem jogar?

Não é fácil, especialmente quando estamos habituados a jogar sempre, pois queria estar lá dentro e partilhar o momento com todos, mas sinto muito orgulho neles, especialmente por esta campanha na Liga Europa. Não podia ficar mais feliz pelos meus companheiros. Estamos a ganhar nas provas internas, e estou feliz pelos nossos progressos. Somos uma equipa nova, de jogadores que nunca jogaram juntos, e fomos muito criticados ao longo da época, mas estamos na final da Taça e estamos a ir longe na Liga Europa, na qual superámos boas equipas. Estamos bem, mas podemos crescer e ser uma equipa melhor. Quando vou a restaurantes no centro de Lisboa, há sempre um adepto que vem ter comigo a dizer que acredita em nós e que quer títulos. Esta fé numa equipa nova é fenomenal; é a prova de que veem nela qualidade e vontade de vencer.

A campanha na Liga Europa centra atenções. Está surpreendido com a caminhada do Sporting?

Porque havia de estar surpreendido? Sempre disse que a minha meta é ganhar todas as provas. Quando há 11 contra 11, tudo é igual. O futebol, mais do que qualquer outro desporto, prova isso. Não estou surpreendido, só feliz. Temos uma grande equipa, cheia de internacionais. Espero que mantenhamos este nível. Algumas pessoas não sentiam que pudéssemos chegar aqui. Essa foi, e é, a força que nos move. Se quiserem continuar a duvidar de nós, tudo bem. Isso motiva-nos e ajuda-nos a superar-nos.

Após oito meses no clube, o que veio encontrar no Sporting correspondeu às suas expectativas?

Uma das razões pelas quais assinei foi a minha crença no projeto. Falo das pessoas novas que vieram, nos novos dirigentes. Eu acreditava na visão que tinham e continuo a acreditar. Acho que se olharmos para o global da nossa época, as pessoas não podem deixar de se sentir atraídas pela nossa magia, apesar de certos resultados e de ficarmos atrás de FC Porto e Benfica na Liga. Temos de ver mais além. Este ano é cedo para sermos campeões; ninguém pode é dizer que não temos qualidade para lá chegar. A nossa qualidade é fenomenal e somos uma equipa jovem. Só podemos melhorar. Se continuarmos a trabalhar bem e a ser humildes como até aqui, com os jogadores a perceberem o que têm de fazer, o céu é o limite para nós.

"Quando prestamos atenção ao que aquela pessoa disse ou ao que a outra pessoa escreveu, somos levados para um jogo de opiniões. E opiniões não são factos; são pensamentos das pessoas. Não posso comentar sobre o que se tem passado no clube", diz sobre as muitas críticas que são dirigidas ao Sporting. Para si, é mais importante valorizar a matéria humana que o rodeia: "Estamos bem, temos um grande presidente, uma boa estrutura, e eles estão a construir coisas que serão muito boas para o clube."

Sá Pinto foi seu colega em Liège. Como foi o reencontro?

Sá Pinto é um grande homem, um grande homem... Continua igual a si mesmo.

Na altura tinham alguma relação especial?

Ele era dos mais velhos e dava conselhos aos mais novos, pois jogou a alto nível. O que ele mais dá ao futebol, seja a jogar ou a treinar, é a paixão; sabemos sempre o que ele sente, não esconde nada. Não quer que as outras pessoas fiquem a pensar no que ele poderá estar a sentir. Quer que elas saibam mesmo o que ele sente, quando sente e quanto o sente. Respeito isso. Algumas pessoas gostam de esconder o jogo, mas ele dá tudo o que tem. Estou seguro de que daria a perna direita para evitar a minha lesão - tenho a certeza disso. É o tipo de pessoa que ele é.

Entrou mais no coração dos jogadores do que Domingos?

Não quero falar de Domingos... É uma infelicidade ele já não estar cá, mas é importante para nós pensar no que temos, em quem temos agora connosco. São dois treinadores diferentes, duas pessoas diferentes, da mesma forma que eu sou diferente de Polga ou Carriço.

Já que falou da lesão, como se sente?

Muito bem. Felizmente tive um grande médico a operar, e a reabilitação com o fisioterapeuta tem corrido excecionalmente bem. Estou a progredir e a dar os passos finais, que são os mais perigosos. É quando já podemos fazer tudo, mas temos de nos controlar, medir bem o ritmo e ter cuidado para voltar a cem por cento. A lesão que sofri [entorse no joelho direito, fraturando o menisco externo e com rotura total do ligamento lateral interno] podia acontecer a qualquer um. Caiu um jogador em cima do meu joelho, mas estou grato por o problema não ser tão sério a ponto de me deixar fora durante muitos meses.

Sentiu que era grave logo na altura do impacto?

Quando aconteceu, não. Senti dor, mas tomei-a pelo toque no joelho. Se virem a repetição, voltei ao campo. Pensei que se continuasse a correr, ficaria bem, mas vi que o joelho não estava estável; algo estava mal. Pedi à equipa médica que me dissesse o que pensava para não ter dúvidas. E o médico disse que podiam ser os ligamentos - mas não foi o cruzado, felizmente.

Como lida com a sua imagem de jogador forte, duro?

Muito bem. Toda a gente me tem aceite, até me chamam Capitão América...

Não gosta?

Adoro, é sinal da confiança que têm em mim. É excecional, não me podia sentir mais confortável. Quando me perguntam como me sinto aqui, digo que já não me quero ir embora [risos]. Adoro este país, o Sporting. Todos têm feito tudo para eu me sentir confortável, e tento compensar com futebol. As pessoas apreciam o trabalho honesto.

Pela sua personalidade, pela forma como se impôs, tem alguma influência na equipa?

Acho que sim. Sou dos mais velhos, joguei em várias ligas, ganhei títulos e joguei dois Mundiais. A minha experiência significa algo. Até pela minha posição, os meus colegas olham para mim como olham para Polga...

Depreende-se que gosta de jogar com ele...

Muito! É boa pessoa e bom jogador. Criámos uma boa química a jogar. E eu preciso mesmo de ter um papel de liderança, baseado na minha carreira, na minha idade relativamente ao resto da equipa, na minha posição. É a exigência que vem com o que construí no futebol.

No futebol português, vê o seu porte físico como uma vantagem?

Muitos pensavam que eu teria dificuldades em jogar aqui por causa do meu estilo. Estou muito confortável cá. É uma boa liga, com potencial, com jogadores de qualidade, joguei por esse mundo contra internacionais portugueses que saíram daqui. O campeonato português é fantástico e é subvalorizado.

Como lida com as derrotas? É daqueles jogadores que simplesmente nem falam com ninguém? Como é?

Ninguém gosta de perder, mas é importante não pensar demasiado na derrota. Assim que o apito final soa, não podemos voltar a jogar aquele jogo. Erros cometidos naquele jogo são para não repetir. Vivo isso assim. Nunca fiz um jogo perfeito. É importante que psicologicamente não percamos tempo a dar pancada em nós mesmos. É preciso manter o foco e seguir em frente. No jogo em que marquei dois golos ao Beira-Mar, vi um cartão amarelo logo no primeiro minuto de jogo, porque deixei um adversário fugir. Para jogar 90' com um amarelo, é importante manter o foco.

"A lesão não foi assim tão má. Dá-me tempo para descansar o corpo. Antes estava sobrecarregado de jogos. Olho para o lado positivo. Aproveito o tempo de paragem da melhor maneira para recuperar totalmente, não só do joelho. Se tudo correr bem, voltarei muito em breve", comenta, concordando em seguida que o cérebro é uma boa ajuda quando bem utilizado: "O desporto é 60 por cento mental e 40 por cento físico. Se dominarmos o lado mental, temos grande vantagem. Sou forte psicologicamente, o que me tem permitido esta carreira."

Quem o impressionou mais quando chegou ao Sporting?

Izmailov e Jeffren. Tecnicamente, o Marat é dos melhores jogadores que vi em toda a minha carreira. O toque de bola que ele tem... Ele vive, come e respira a bola; conhece-a tão bem como conhece a sua esposa [risos]. É difícil de explicar... Há coisas que o vemos fazer com a bola que lhe são fáceis, e nós perguntamo-nos como é que ele as faz. Gosto também de Jeffren pela sua explosão; não há muitos como ele.

Está a falar de jogadores que também têm sofrido muito por razões físicas. Mais recentemente, como viu aquela exibição, com dois golos, de Jeffren contra o Guimarães?

Todos estão com ele. Sabemos das dificuldades que tem sentido não só nesta época como noutras. Vê-lo a jogar mais, a ajudar a equipa e a fazer golos, faz-me sorrir; vê-lo feliz é muito importante.

E quais são os companheiros com que mantém uma relação mais forte?

Por causa da maior facilidade de comunicação, são Van Wolfswinkel e Schaars, que falam inglês quase como eu. Temos uma boa relação. Gosto dos brasileiros, também, daquele jeito descontraído. É assim também que eu vivo. Mas dou-me bem com todos. Se algum companheiro me convidar para jantar logo à noite, estou lá! Sem problema. Não faço seleções dentro do grupo, mas sim, falo mais com o Ricky e com o Stijn.

O próximo adversário na Liga chama-se Benfica. O que espera do dérbi?

Não vou jogar, mas se ganharmos, será fantástico para o moral e para a confiança da equipa - para o clube, em geral.

Já se apercebeu de que mesmo que nada decida, este dérbi é sempre importante?

Sim, é o mesmo que acontece nos confrontos entre as duas equipas de Manchester, as duas equipas de Milão ou entre Real Madrid e Barcelona; este jogo é desse tipo. Há uma rivalidade intensa. Antes do jogo na primeira volta, na Luz, fiquei com uma ideia de como era, mas só se sente verdadeiramente dentro de campo. O melhor professor é a experiência, e não interessa o que se ouve. Quando se está lá dentro, tudo muda, é diferente. Durante e depois desse jogo senti exatamente o que sentem os adeptos, o que eles sentem em relação ao Benfica, ao dérbi. Hoje percebo perfeitamente a importância que tem essa rivalidade.

Nuno M Almeida

quinta-feira, abril 05, 2012

Os senhores que se seguem


O Athletic Club (Bilbao), Los Leones, é um clube de futebol espanhol da cidade de Bilbao, e é um símbolo emblemático da identidade basca, por não permitir que atletas não nascidos ou não desenvolvidos no País Basco, Navarra ou Iparralde possam vestir a sua camisola.

Nem sempre foi assim, uma vez que o clube foi fundado por britânicos - daí o nome em inglês do clube. Durante a ditadura de Franco, que proibia o uso oficial de outra língua que não a castelhana em Espanha, o clube foi obrigado a mudar de nome para "Club Atlético de Bilbao".

Como reacção à opressão franquista, o clube desenvolveu-se como representante do nacionalismo basco. O nome original, em inglês, voltou a ser utilizado imediatamente após o fim da proibição, depois da morte de Franco.

A instituição foi fundada em 1898, tendo como mascote um Leão, daí serem conhecidos como Los Leones. O clube também originou o Atlético de Madrid, que surgiu como uma filial da equipa basca na capital espanhola - daí também a similaridade nos nomes, escudos e camisolas.




O Athletic tem cerca de 34.373 sócios, joga no mítico San Mamés, com capacidade para 40.000 espectadores, tendo sido inaugurado em 21 de Agosto de 1913. É o único estádio de Espanha que teve jogos em todas as edições da Liga Espanhola.

Palmarés:

Campeonato Espanhol: 8
(1929–30, 1930–31, 1933–34, 1935–36, 1942–43, 1955–56, 1982–83 e 1983–84).

Copa del Rey: 24
(1902, 1903, 1904, 1910, 1911, 1914, 1915, 1916, 1921, 1923, 1930, 1931, 1932, 1933, 1943, 1944, 1945, 1950, 1955, 1956, 1958, 1969, 1973, 1984).

Supercopa de Espanha: 1
(1984).




O plantel 2011/2012, que é treinado pelo argentino Marcelo Bielsa, classificado por Pep Guardiola como o melhor treinador do mundo, é composto pelos seguintes jogadores:

GUARDA-REDES

01 Gorka Iraizoz
13 Raúl Fernández
30 Aitor Fernández

DEFESAS

03 Koikili Lertxundi
04 Ustaritz Aldekoaotalora
05 Fernando Amorebieta
06 Mikel San José
15 Andoni Iraola
19 Mikel Balenziaga
20 Aitor Ocio
22 Xabi Castillo
29 Jon Aurtenetxe
31 Jonás Ramalho

MEIO-CAMPISTAS

07 David López
08 Ander Iturraspe
11 Igor Gabilondo
14 Markel Susaeta
16 Pablo Orbaiz
17 Iñigo Pérez
18 Carlos Gurpegui
24 Javi Martínez
28 Ibai Gómez

AVANÇADOS

02 Gaizka Toquero
09 Fernando Llorente
10 Óscar De Marcos
21 Ion Vélez Martínez
26 Igor Martínez
27 Iker Muniain

O Athletic Bilbao segue actualmente no 11.º lugar na liga espanhola, indo ainda disputar a final da Copa do Rey com o FC Barcelona.

Carreira na Europa na presente temporada:

Athletic Bilbao 0 - 0 Trabzonspor

Trabzonspor 0 - 0 Athletic Bilbao

Slovan Bratislava 1 - 2 Athletic Bilbao

Athletic Bilbao 2 - 0 PSG

Athletic Bilbao 2 - 2 SV Salzburg

SV Salzburg 0 - 1 Athletic Bilbao

Athletic Bilbao 2 - 1 Slovan Bratislava

PSG 4 - 2 Athletic Bilbao

Lokomotiv 2 - 1 Athletic Bilbao

Athletic Bilbao 1 - 0 Lokomotiv

Man Utd 2 - 3 Athletic Bilbao

Athletic Bilbao 2 - 1 Man Utd

Schalke 04 2 - 4 Athletic Bilbao

Athletic Bilbao 2 - 2 Schalke 04




Nuno M Almeida

Nas meias-finais com o Athletic Bilbao



Metalist, 1 – Sporting, 1

Metalist Stadium
Árbitro: William Collum

METALIST: Goryainov, Villagra, Berezovchuk, Pshenychnykh, Obradovic, Edmar, Cleiton, Sosa, Torres, Cristaldo e Taison.

Suplentes: Disljenkovic, Shelayev, Valyayev, Blanco, Marlos, Radchenko, Dević.

SPORTING: Rui Patrício; João Pereira, Xandão, Polga, Insúa, Schaars, André Martins (André Santos), Matías Fernandez (Renato), Izmailov, Van Wolfswinkel e Capel (Evaldo).

Suplentes não utilizados: Marcelo, Carrillo, Rubio e Ribas.

Golos: 0-1 Wolfswinkel 1-1 Cristaldo



Nuno M Almeida

terça-feira, abril 03, 2012

"Na próxima época teremos a consolidação do projecto"



Excertos da grande entrevista do presidente Luís Godinho Lopes, esta noite, à RTP:

«O Sporting pugna sempre pela verdade desportiva. Pretendemos a valorização do espectáculo.

Os árbitros são bem-vindos a Alvalade. Apenas queremos que haja respeito pelo nosso desempenho dentro de campo. Sou contra a violência no desporto.

Quero criar empatia forte com os nossos fãs e adeptos.

Sobre o projecto do triénio entendi que deveria substituir o treinador. Disse olhos nos olhos a Domingos - grande profissional e pessoa de grande carácter - a razão do seu afastamento. Não despeço pessoas pela televisão ou pelos jornais.

Se voltasse atrás provavelmente escolheria Domingos da mesma maneira. Desejo-lhe toda a sorte para o futuro.

Assinámos contrato com Sá Pinto até 2013. Estamos certos que com a sua prestação vai continuar a cumprir. É uma pessoa agregadora, consegue juntar motivações e defender o ideal de ser sportinguista. Juntou à sua volta as pessoas pelo seu carácter, dedicação e amor forte ao clube.

O Sporting procura ser diferente também como actua no mercado. Quis colocar em cima da mesa números. Falei em 100 milhões de euros: 30 para o futebol, 40 para a reestruturação do clube e 30 para a tesouraria.

375 milhões de euros de passivo gera uma situação incomportável. Mandatámos os dois bancos que trabalham com o Sporting para trabalhar neste dossier e neste processo, e em breve haverá novidades. O Sporting é um clube atractivo porque tem história.

O meu compromisso é encontrar soluções para o futuro do clube, e um investidor minoritário para o clube, interessado nos valores, na formação. Se alguém quiser a maioria do capital no local próprio isso será decidido.

O Sporting está a negociar a renovação do contrato com Rui Patrício. Temos a certeza que encontraremos uma solução.

Fabiano, do Olhanense? Só falo de jogadores após assinarem.

Labyad, do PSV, é um reforço com grande potencial. Foi um nome noticiado.

Estamos satisfeitos com os jogadores e com o plantel que temos, mas poderá haver reforços pontuais.

Respeitamos o Benfica e serão bem-vindos a Alvalade. Não vamos ter gaiolas nem demoraremos a revistar as pessoas para que não entrem tarde.

Sobre a gravação sonora do presidente do Benfica no jogo da Luz é algo que lamentamos porque a liga nada fez. Mas não vou alimentar casos. Uma coisa são as instituições, outra são os dirigentes.

Ameaças de adeptos do Benfica para o jogo de Alvalade? É um assunto para a Administração Interna tratar.

Vim para o Sporting para ganhar, não para obter meio objectivos. Não há épocas salvas eliminando o Metalist. Se passar é uma grande alegria para os adeptos. Em relação ao campeonato não estou satisfeito.


Diferente na próxima época será a consolidação do projecto. Para o próximo ano teremos uma base de sustentabilidade diferente. O Sporting vai ter equipa B.

Vim para o Sporting mas não para me servir a mim próprio. Sirvo o clube sem pedir nada em troca. Eu e toda a minha equipa.»

Nuno M Almeida

segunda-feira, abril 02, 2012

Inqualificável!

A ser verdade o que anda a circular pela internet, estamos na presença de um comunicado emanado por um pequeno grupo de imbecis marginais (o chamado lixo da sociedade), recalcados e ressabiados, que utilizam o futebol e os estádios como escape para as suas frustrações do quotidiano. Já dizia o meu avô: "cão que ladra, não morde!"





















Nuno M Almeida

domingo, abril 01, 2012

Jogo desinteressante para cumprir calendário

Não será seguramente com jogos desta fraca qualidade e com estádios tão fraquinhos (para quê os milhões de euros dos contribuintes gastos no Municipal de Leiria ?) que a Liga conseguirá atraír espectadores para os estádios e vender o seu 'produto' futebol...

Futebol medíocre será sempre sinónimo de assistências (no estádio e em casa, nomeadamente nas audiências televisivas) medíocres!

No caso do Sporting poder-se-á entender a gestão de esforço do plantel, colocando no onze titular elementos menos utilizados (Rubio, Arias, André Martins...) visando o importantíssimo jogo da próxima semana na Ucrânia, mas não pode haver desculpa para tão pouco futebol produzido pelos jogadores com menos minutos nas pernas, e perante tão fraco adversário.

Nem a vitória pode servir de atenuante. Aos jogadores do Sporting Clube de Portugal dever-se-á exigir sempre mais e melhor!



U. Leiria, 0 - Sporting, 1

Estádio Municipal da Marinha Grande
Árbitro: Pedro Proença

U. LEIRIA: Oblak; Ivo Pinto, Haas, Edson e Shaffer; Marco Soares e Marcos Paulo; Keita, John Ogu e Cacá; Bruno Moraes.

SPORTING: Rui Patrício; Arias, Daniel Carriço, Xandão e Evaldo; Elias (Wolfswinkel), Renato Neto (Schaars) e André Martins (Matias); Carrillo, Rubio e Insúa.

Suplentes não utilizados: Marcelo Boeck, André Santos, Jeffrén e Ribas.

Golo: 0-1 Matias

Nuno M Almeida

Andebol: Taça de Portugal é nossa!



O Sporting conquistou há pouco a a Taça de Portugal, ao derrotar o FC Porto por 26-25, na final realizada em Tavira. Ao intervalo registava-se uma igualdade a 13.

É a 13ª vez que conquistamos este troféu, sendo nós quem acumula mais triunfos em finais, à frente do ABC com 10.

Recorde-se que há 7 anos que não ganhávamos este caneco! Parabéns a atletas, treinadores e dirigentes!

Nuno M Almeida