"Tu vais vencer, Podes crer, Porque a nossa força é brutal. Mais de um século de histórias para contar. Sporting, tu nunca vais acabar" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

sábado, outubro 29, 2016

Um paradigma errado?

Ainda a procissão vai no adro, infelizmente para nós com péssimas indicações, pelo que muito ainda se pode fazer para recuperar o atraso face ao líder, mas hoje não consigo deixar de questionar certas coisas.

Uma delas é esta: valerá a pena a alteração radical do paradigma do nosso futebol? Quando os resultados não são bons tudo se coloca em causa, é humano, mas fará sentido não dar espaço e oportunidade a jovens como Matheus Pereira, Palhinha, Podence, Medeiros, e em vez disso optar por estrangeiros de qualidade duvidosa que pouco parecem acrescentar? Em que outra paragem da Segunda Circular é que já havíamos visto isto?

Espero sinceramente que a factura a pagar por tudo isto não venha a ser demasiado pesada, tanto financeira quanto desportivamente. E talvez seja bom não esquecer que o pilim do contrato com a NÓS não é para desbaratar...

Nuno M Almeida

sexta-feira, outubro 28, 2016

Perspectiva-se uma época muito difícil

Que falta de classe e categoria...

Os habituais erros de arbitragem não justificam tudo! De todo!

Já nem me lembro da nossa última vitória no campeonato. Verdadeiramente inadmissível!

Nuno M Almeida

Sem espaço para errar!



Joga-se hoje na Madeira uma partida quase de tudo ou nada. Na sequência de vários jogos com resultados pouco positivos, com excepção da taça de Portugal, é crucial arrancar hoje três pontos na Madeira para não vermos os maiores rivais descolarem ainda mais na classificação, Braga incluído...

Até podemos compreender em parte os argumentos de Jesus, de que vários reforços chegaram no final da janela de transferências, sem realizarem a pré-época connosco, mas também é verdade que quase todos vinham com o ritmo da competição dos seus anteriores clubes: Bas Dost - Wolfsburgo, Campbell - Arsenal... Aliado a isso, a verdade é que quando um jogador tem qualidade rapidamente se integra e pega de estaca, seja em que clube for, pelo que repito - compreendo e aceito apenas em parte o argumentário de Jesus.

A resposta decisiva tem que ser dada em campo e hoje é o momento ideal para o fazer, até porque se ganharmos na Madeira e na próxima semana na Alemanha, concretamente em Dortmund, estará dado o mote para um novo e vitorioso ciclo! Depois disso poucos se lembrarão desta sequência de empates e derrotas, e ainda de exibições menos conseguidas.

Cabe agora a Jorge Jesus e aos nossos futebolistas provarem o que realmente valem!


Nota: num país que muitas vezes funciona numa lógica de aldeia, em que qualquer noticiazinha dá pano para mangas, vieram agora os jornaleiros noticiar que Alan Ruiz tem que estacionar o seu Ferrari vermelho longe do parque dos restantes colegas. 
Terem os nossos futebolistas os carros vermelhos, azuis, amarelos ou cor de rosa é para o lado que durmo melhor. 
O que lhes exijo enquanto adepto e sócio é que tenham fora dos relvados uma conduta impecável e que dentro das quatro linhas dêem o litro. 
Por isso, no caso de Ruiz, mais do que a cor do seu carro, preocupa-me que os milhões nele investidos ainda não tenham tido qualquer retorno a nível do seu desempenho desportivo. Tudo o resto é conversa da treta!

Nuno M Almeida

segunda-feira, outubro 24, 2016

Parabéns, Rui!

Rui Patrício na lista de nomeados para o prémio Bola de Ouro 2016. Justo reconhecimento para o melhor guarda-redes do último Europeu e para o seu treinador Nelson Pereira.




Nuno M Almeida

Próximos da tolerância zero!



Ainda Jorge Jesus treinava equipas que não lutavam pelo título e já eu aqui defendia que deveria ser contratado pelo nosso clube. Em concreto, treinava Jesus o Belenenses, equipa formatada para lutar pela subida de divisão - na altura 'abençoada' por um processo administrativo que a manteve na primeira  liga - e conseguiu ter o enorme mérito de chegar à final da Taça e apurar o clube do Restelo para as competições europeias. Portanto, dúvidas dissipadas sobre aquilo que achava e acho das suas qualidades enquanto treinador.

Ao que torcia o nariz, e ainda hoje o faço, é ao seu perfil humano, à sua qualidade enquanto líder motivador e à forma como age, fala e se comporta perante os seus pares. Jesus poderia perfeitamente ter chegado a Alvalade e publicamente ignorado os ataques ressabiados, típicos de 'mulher enganada ou trocada', vindos da Luz. Ao invés, optou por um ataque sem limites a Rui Vitória, encaixando este em silêncio todas essas atoardas. A cada vitória leonina, quer Jesus quer Carvalho desferiam disparos e  ostentavam uma bazófia e uma gabarolice parolas, provavelmente iludidos pela conquista da Supertaça. Errado! Aliás, estratégia erradíssima e muito pouco avisada, como infelizmente a nação leonina constatou no final da temporada.

Mandava a sensatez e o bom senso que desenvolvêssemos em silêncio e na pacatez de Alcochete o nosso trabalho, longe de holofotes, de provocações e de climas de guerrilha, que em regra acabam por ser contraproducentes. Infelizmente Jesus optou pela outra via, A do confronto, da provocação e da guerra sem tréguas. Era o cérebro, o Ferrari, toda uma panóplia de palermices que a cada conferência de imprensa jorravam da sua boca. No final teve que engolir tudo. Como geralmente acontece quando se festeja e se canta de galo precocemente.

Esta época, e ao fim de muitos anos, a par de Paulo Bento tornou-se o primeiro treinador a beneficiar do crédito da continuidade, pese embora não ter ganho nada de relevante. Para além disso, conseguiu que Bruno Carvalho abrisse ainda mais os cordões à bolsa e lhe aumentasse o já chorudíssimo salário para evitar a fuga para o falido FC Porto.
E o que temos visto? Um Jorge Jesus teimoso na rotação de jogadores pelo onze titular, novamente incapaz de gerir exigências de competições paralelas (Liga, Champions...) e a cada nova crítica a não ter a humildade de arrepiar caminho e dar o braço a torcer. Pelo contrário, insiste na soberba e num egocentrismo insuportável. Para além disso parece longínquo aquele toque de Midas de quem extraía o máximo dos seus atletas:
Onde anda Jefferson?
Onde pára o Markovic que com ele brilhou em Carnide?
Que se passa com um William Carvalho demasiado lento e complicativo?
Onde está o Bryan Ruiz afirmativo da época passada?
Porque razão a cada jogo há mexidas nos laterais?
Porque persiste Elias, natural substituto de Adrien (Deus nos livre!), em manter-se no ritmo de jogo do campeonato brasileiro, sem que Jesus o corrija?
Qual a razão para que Bruno César não seja mais vezes titular?
Não merecerá Campbell a titularidade, ao lado de Bas Dost, em vez de um tal de André?

Com excepção do esplendor exibicional de Gelson, tem sido um autêntico deserto de ideias, de consistência, de incompetência competitiva e de uma incompreensível onda de indefinições.

Em Outubro, e descontando o azar do grupo da Champions que em sorte nos calhou. registamos já uma derrota em Vila do Conde, um empate inacreditável em Guimarães e a perda inconcebível de dois pontos caseiros perante o Tondela. Tudo isto, depois de uma propagandeada e tão elogiada estratégia de contratações de Agosto... a qual no entanto nos atira para uma distância de cinco pontos da liderança, para uma quase certa eliminação da Liga milionaria e para uma sequência de exibições crescentemente cinzentas, cenário que nem o mais pessimista adepto leonino seguramente perspectivaria

Posto tudo isto, pergunto então a Bruno Carvalho onde está o artista especializado em criar obras primas, o homem que à boca cheia afirma que as suas equipas terão sempre a obrigação de serem as melhores em campo e o treinador ao qual foram dadas condições de trabalho e remuneratórias como há muito nenhum outro tivera em Alvalade?

Carvalho legitimamente apostou num treinador com provas dadas no futebol português - e mais em concreto na Luz, mesmo sabendo-se que nos dias actuais quem se senta no banco de Carnide tem a vida 'facilitada' por factores externos ao rectângulo de jogo. Por isso mesmo, para o bem e para o mal, estarão ambos associados, quer em cenário de derrota ou de vitória. Espero sinceramente que seja o segundo a ocorrer porque prezo o meu clube, porque vivencio o sportinguismo há muitas décadas e porque, gostando mais ou menos da personalidade de quem lidera ou representa o Sporting, desejo sempre o melhor a quem quer que ostente o símbolo do leão.

No entanto, e porque a massa associativa tem sido inexcedível na sua abnegação, no seu apoio e no crédito dado, quer à actual direcção quer ao treinador, julgo que tudo tem um limite, pelo que a partir de agora estamos muito próximos de um contexto de tolerância zero!

Não há donos do clube, os presidentes, os treinadores e o jogadores passaram, passam e passarão, mas o Sporting será eterno e os seus sócios serão sempre soberanos e detentores da palavra final sobre quem pretendem ver a liderar os destinos do clube, pelo que nos cumpre exigir resultados, porque não voltamos as costas e porque dizemos sempre presente quando nos é pedida a nossa contribuição: quotas em dia, aquisição de gameboxes, presença massiva em Alvalade no apoio à equipa, deslocação ao terreno dos adversários, contribuição extraordinária para a construção do pavilhão...

Por tudo isto, acima de tudo e todos, deverão estar sempre os supremos interesses do Sporting Clube de Portugal!

Nuno M Almeida

sábado, outubro 22, 2016

Vergonha!

Continuemos assim, senhor 5 milhões. Insista nas suas indefinições, que lá vamos jogando um futebol risível e atirando pontos pela janela. Qualquer treinador bem mais baratinho faria, no minimo, igual! 

Nuno M Almeida

terça-feira, outubro 18, 2016

Demos meia parte de avanço...

Noite ingrata em que demos meia parte de avanço. E daí a desvantagem de dois golos ao intervalo.
Arbitragem habilidosa, o habitual nos nossos jogos da Champions, penálti não assinalado, golo mal anulado... A juntar a isto erros de casting - Elias, Markovic, Marvin...
Pode ser uma fase de desinspiração momentânea de Jesus mas a verdade é que começam a ser vários jogos em que as opções do técnico resultam menos bem do que aquilo que perspectiva.
Champions é dura, é competição para homens de barba rija, não há espaço para deslizes, e sobretudo com equipas altamente competitivas como o Borussia exibições menos conseguidas como aquela que fizemos na primeira parte resultam em factura pesafa. Triste sina ser sportinguista...

Nuno M Almeida

Orvalho ganha por KO!



Não conheço pessoalmente este consócio - Diogo Orvalho - sei que faz parte dos orgãos sociais do Sporting e que é um apoiante de Bruno Carvalho desde a primeira hora, mas quero dar-lhe os parabéns porque ontem vi-o a atirar literalmente Pedro Guerra contra as cordas.

Depois de vários programas de autêntico folclore, com José Pina a ocupar confrangedoramente no Prolongamento da TVI 24 o papel de adepto comentador, sem pingo de capacidade argumentativa para desmontar a agenda de Guerra, tivemos ontem um adepto leonino bem mais capaz, o qual de modo sereno, objectivo e articulado, deixou o inenarrável comentador do SLB engasgado na sua dialéctica e completamente descredibilizado na sua estafada retórica!

Boa, Diogo! Até que enfim... digo eu!

Nuno M Almeida

Começou!

Haja agora coragem para levar até às últimas consequências uma investigação que se quer séria, credível e profunda!


















Nuno M Almeida

sexta-feira, outubro 07, 2016

Sinais dos (maus) tempos!

Quando pensamos que já chegámos ao nível mais rasteiro no futebol português há sempre algo ou alguém que nos consegue surpreender. É que eu ainda sou do tempo em que se discutia o futebol jogado dentro das quatro linhas, o desempenho dos jogadores, as escolhas do treinador...

Pelos vistos agora joga-se o campeonato dos comunicados, dos comentadeiros, dos paineleiros, da informação, da contra-informação, do insulto, da resposta ao insulto, um campeonato em que os verdadeiros protagonistas do jogo da bola são remetidos para segundo plano. Antes falava-se de Jordão, de Manuel Fernandes, de Nené, de Humberto Coelho, agora fala-se de Rogéro Alves, de Nuno Saraiva, de Pedro Guerra, de Gomes da Silva, de André Ventura... Enfim. Sinais dos tempos. De muito maus tempos!

Lamento que se continue a baixar o teor de discussão e da argumentação, levando para um nível absurdamente rasteiro e soez o futebol de um país campeão europeu na modalidade. Por algum motivo os principais protagonistas, como Mourinho, Ronaldo, João Mário, preferem desenvolver a sua profissão noutras paragens. Como os compreendo.

Insistam neste ridículo hara-kiri que seguramente chegaremos a um dia em que será demasiado tarde para inflectir caminho e para recuperar patrocinadores e investimento...

Como diria Carlos Dolbeth: vão para o raio que vos parta! Todos aqueles que estão a matar o futebol português! Sem excepção!

Nuno M Almeida

terça-feira, outubro 04, 2016

A pandilha da propaganda



Nuno M Almeida

segunda-feira, outubro 03, 2016

150.000!

Comunicados, pseudo comunicados e desmentidos de comunicados à parte, fica aqui uma nota de relevo para um facto bem mais positivo e que reflecte aquilo que o nosso clube tem de melhor: os seus adeptos e sócios!



150.000 sócios é obra! E sem necessidade de inscrevermos os gatos, cães e piriquitos, como outras colectividades fazem para mascararem estatísticas e assim terem argumentos para se pôrem em bicos-de-pés!

Com 32 anos de sócio e 3 filhos, também eles sportinguistas e sócios desde que nasceram, espero que a massa associativa continue a crescer a cada dia porque os presidentes passam, os treinadores passam, os jogadores passam, mas os adeptos, aqueles que são o verdadeiro pilar de um clube, estamos sempre cá sem nada exigirmos em troca de tanto que damos ao clube (muitas vezes com enormes sacrifícios pessoais), excepto aquilo que é óbvio e legítimo: que quem vista a nossa camisola deixe a cada jogo e a cada competição o suor em campo, contribuindo assim para o engrandecimento do nosso emblema e para que possamos festejar cada vez mais conquistas!

Nuno M Almeida

Calimerices...

Posso ser o único sportinguista a ter esta opinião mas como ainda prezo pensar pela minha cabeça começa a cansar-me que a cada deslize nosso, como o incompreensível empate de sábado, se venha logo com (alegados) comunicados a lançar suspeitas sobre a arbitragem.

Acabo de ler isto na net:

Temos recebido relatos de que elementos ligados à arbitragem começam a ser "ameaçados" de poder perder os seus trabalhos fora do futebol se "as coisas não voltarem ao que eram". Estas "pressões" estarão a ser feitas pelos próprios patrões e/ou superiores hierárquicos. A estar a suceder é absolutamente execrável e nós estaremos atentos, denunciando toda e qualquer situação. Não vão conseguir parar a mudança fundamental no futebol!

E que tal fazermos o nosso trabalho no centro de treinos, prepararmo-nos convenientemente para os jogos e meter na cabeça dos jogadores que as partidas que disputam têm pelo menos 90 minutos?

Se há algo a combater visando uma arbitragem mais limpa e menos 'comprometida' tal deve ser levado a cabo nos bastidores e não na net ou nos jornais.

Eu sei que há no nosso clube quem necessite de justificar o seu ordenado e mostrar serviço, mas caramba, chega de sermos os calimeros de sempre!

NOTA: havendo alguma informação difusa na comunicação social sobre este tema espero sinceramente que não seja um comunicado oficial do clube porque é perfeitamente descabido e extemporâneo...

Nuno M Almeida

domingo, outubro 02, 2016

Resignação do senhor 5 milhões?






































Nuno M Almeida

sábado, outubro 01, 2016

Dois jogos fora, seis golos encaixados!



Cada jogo fora é uma lição de humildade para o homem que se considera acima de tudo e todos, e cujas equipas são sempre as melhores, porque são treinadas por ele. 'Gandas' equipas, aliás...

Não entendo porque não se vê do banco que os defesas laterais foram umas nulidades. Marvin e Schelotto???? Depois de João Pereira e Jefferson terem jogado bem na Champions, e ainda por cima com uma paragem no campeonato para recuperar? Ok...

Muito bem, venham agora desculpas esfarrapadas com erros de arbitragem. Espero é que haja honestidade para reconhecer que nos foi perdoado um pénalti, isso sim, por falta de Semedo.

Se querem ser campeões aprendam a gerir a vantagem nos últimos minutos, pode ser???? Madrid, Guimarães...

Anjinhos...

Nuno M Almeida