"Tu vais vencer, Podes crer, Porque a nossa força é brutal. Mais de um século de histórias para contar. Sporting, tu nunca vais acabar" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

quinta-feira, abril 30, 2009

À direita, terá Abel retorno ?


Pedro Silva, parece estar recuperado para o jogo frente à Académica fruto de uma lesão sofrida no jogo com o Estrela, no entanto pelo facto de ter estado limitado em termos de treino durante a maior parte da semana, veremos se Abel assumirá a titularidade ou se Pedro Silva continuará como dono do lugar.


Apesar de Pedro Silva de um modo geral estar a corresponder nos jogos em que assumiu a confiança do treinador para este lugar de defesa-direito, Abel é um jogador que terá condições para alcançar o lugar fruto de uma experiência maior e de um regresso frente ao Leixões - onde assinalou o 200º jogo no Campeonato - que se revelou positivo, melhor do que as últimas aparições que se vinham registando, na equipa.
Abel será do ponto de vista defensivo um jogador que dará uma solidez maior, embora Pedro Silva esteja bem do ponto de vista psicológico e ofensivamente tem-se revelado um jogador importante pelo seu envolvimento, assistindo para o golo da vitória frente ao E. Amadora.

Será uma boa "dor de cabeça" para Paulo Bento, mostrando que para fazermos uma ponta de final de Campeonato vitoriosa, é importante que os jogadores sejam competitivos, pois a equipa ganhará com isso e eles próprios também. E para o treinador, acredito que não haverá neste momento nada mais moralizador, do que ver uma equipa motivada e a jogar para vencer, como esperamos no jogo de Coimbra.

Lion King

quarta-feira, abril 29, 2009

Celsinho clama justiça

Celsinho
"Chega de brincarem comigo!"

FILIPE ALEXANDRE DIAS
Revoltado, com novo visual e cheio de vontade de limpar a cara. É um Celsinho magoado que desabafa a O JOGO, revivendo, caso a caso, a passagem pela Amadora e pleno de esperança em voltar a Alvalade... sem poupar o seu ex-técnico e os dirigentes tricolores.

Foi emprestado ao Estrela, mas agora está suspenso. O que se passou?
A minha ida para o Estrela era uma forma de compensar uma primeira época no Sporting pouco agradável. O objectivo era ganhar experiência. Devido a coisas 'bobas', fui prejudicado na Reboleira. Começou quando vomitei num treino. Ao fim de 40 minutos, senti um enjoo súbito. Fizeram um caso e fiquei duas semanas à espera que decidissem a origem daquilo. O antigo treinador, Lito Vidigal, chegou a cheirar o vómito e a dizer que tinha odor a vinho. Como é possível? Eu nem bebo vinho! Ele falhou como homem e profissional. Depois, eu disse que gostaria de voltar a Alvalade, o que é natural. Aí, fiquei fora de uma série de jogos.

Mas o Celsinho protagonizou um caso numa saída à noite. Quer esclarecer?
Vinha de um jantar e fui apanhado em excesso de velocidade. O meu carro é americano, calcula a velocidade em milhas, não em quilómetros e não controlei devidamente...


Falou-se que acusara também excesso de álcool...
Mentira! Se estivesse, não conduziria de jeito nenhum. Passei fora o fim-de-semana quando me telefonaram dizendo que eu vinha na capa de um jornal após ser apanhado em excesso de velocidade pela polícia e que acusara demasiado álcool no sangue. A segunda parte era uma barbaridade! Os dirigentes do Estrela chegaram a dizer-me que tinham fontes na PSP e na GNR e produziriam provas contra mim. Até hoje estou à espera dessas provas. Agora estou suspenso, parado...

Algo mais lhe foi transmitido após a suspensão?
O presidente não fala comigo, o José Luís [director-desportivo do Estrela] foi das pessoas que mais fogo pegaram à situação e não atende o telefone. Não me posso treinar no Sporting porque o contrato de empréstimo com o Estrela só termina no fim da época e mantenho a forma no ginásio.


Mas ficou com fama de boémio...
Não sou nada disso! Já passei muito na vida. Aos 15 anos, sustentava cinco famílias além da minha. Assumi responsabilidades e não admito que brinquem comigo. Não sou criança! Fui campeão sul-americano, vice-campeão mundial de sub-17 e aos 16 anos fui para a Rússia encarando dificuldades. Não estou para ser enxovalhado e tratado como um menino irresponsável. É tempo de dizer chega!
em "O Jogo"

Abraço de Leão,
Verdão

terça-feira, abril 28, 2009

Oportunidade para Tonel



Com a suspensão de Polga, abre-se uma oportunidade para o regresso de Tonel ao eixo defensivo da equipa, podendo fazer dupla com Carriço.

É um regresso que pode redundar numa reconquista da titularidade, caso Tonel faça em Coimbra um bom jogo pois Polga não vinha num bom momento de forma, apesar de poder voltar à titularidade depois de cumprir o castigo, sendo que Paulo Bento terá de optar pela melhor solução.

Acima de tudo, Tonel é um jogador admirado pela massa adepta do clube pelo seu carisma que transmite em jogo, é um verdadeiro "Imperador"!
Não se percebe muito bem como um jogador desta qualidade está afastado da equipa tanto tempo, mas quem sabe se não será um jogador ainda fundamental para o que resta de Campeonato, tendo em vista o sucesso que a equipa pretenderá alcançar e que passará pelo título!

Lion King

segunda-feira, abril 27, 2009

Liedson: Maio mês de renovação !



O próximo mês de Maio poderá ser um mês importante em relação ao processo de renovação de Liedson, podendo mesmo ser consumado o desejado alargamento do contrato entre o Sporting e o incansável 'Levezinho'.

Liedson tem sido uma peça de grande importância para a equipa do Sporting nas últimas épocas, tendo alcançado o pódio dos melhores marcadores do Sporting nas competições europeias e é uma referência no que toca aos jogadores com mais golos apontados com a camisola leonina podendo num curto prazo chegar mesmo ao leque dos 10 mais goleadores do clube.

Um jogador de fino recorte finalizador, técnico, tem uma característica importante pois é um jogador do colectivo e isso tem-no relevado dentro do clube, sendo idolatrado pelos adeptos.


É um jogador com futebol de alto nível para mais algumas épocas, pois começou tarde a sua carreira e terá mais durabilidade em função disso mesmo, desejando os adeptos que prossiga com golos que surjam em catadupa com a nossa camisola verde-e-branca!

Lion King

domingo, abril 26, 2009

Para quando uma arbitragem revolucionada ?

É uma pergunta que os responsáveis - será que são? - da arbitragem deviam preocupar-se, pois ainda ontem Paulo Bento referiu a dualidade de critérios na situação dos livres marcados sem autorização do árbitro.

"Na parte final podíamos ter sofrido um golo numa situação parecida com a que sofremos golo frente ao F.C. Porto e ao Barcelona. Uma situação igual àquela que não nos valeu golo com a Académica."

O árbitro do jogo de ontem, apesar de novo na idade, mostrou que este ambiente de compadrio existente entre clubes específicos e determinados árbitros, faz com que mesmo os menos experientes sejam "absorvidos" por este tipo de "atmosfera", não permitindo que os jogos sejam mais verdadeiros e que levem pessoas aos estádios.

O problema é quando o Sr. Vítor Pereira afirma que quem não acredita na arbitragem não vá aos jogos, não verifica que ao longo das últimas décadas uma parte bem significativa dos adeptos se afastou por isso mesmo, e irresponsavelmente defende o indefensável dizendo que a arbitragem portuguesa está no top ten mundial.

Haverá mesmo vontade de fazer valer a verdade desportiva, depois do que se tem assistido nestes últimos tempos? Como é possível que o Sporting continue ano após ano a ter que levar com este verdadeiro larapiar?
Será assim tão complicado afastar quem não merece sequer estar na 3ª categoria da arbitragem, por outros árbitros "não comprometidos"?

Lion King

sábado, abril 25, 2009

Vitória inesperadamente sofrida...



Sporting, 2 - E. Amadora, 1

Local: Estádio José Alvalade
Árbitro: Vasco Santos


SPORTING: Rui Patrício, Pedro Silva (Abel, 77 m), Carriço, Polga, Caneira, Adrien, Veloso, Pereirinha, Romagnoli (Yannick, 75 m), Hélder Postiga e Liedson.

Treinador: Paulo Bento

Não utilizados: Ricardo Batista, Ronny, Tonel, Tiuí e Diogo Rosado

Disciplina: Cartão amarelo a Polga (48 m) e Caneira (90 m)

Golos: Hélder Postiga (19 m), Liedson (55 m)

E. AMADORA:
Filipe Mendes, Nuno Coelho, Pedro Pereira (Celestino, 45 m), Vidigal, Rui Varela (Moreno, 15 m), Ney Santos, Hugo Gomes, Tengarrinha, Marcelo Goianira, Silvestre Varela e Fernando.

Treinador: Lázaro Oliveira

Não utilizados: André Marques, Mustafa, Marco Paulo, Vítor Vinha e Nuno Pedroso.

Disciplina: Cartão amarelo a Hugo Gomes (45 m)

Golo: Marcelo Goianira (45 m)


Leonino

sexta-feira, abril 24, 2009

Nunca desistam, não há impossíveis

















Esta frase foi proferida por Sá Pinto e resume o meu pensamento sobre a ponta final deste campeonato.
Eles não devem desistir de alcançar o sonho e nós nunca devemos deixar de os apoiar.
Por isso este sábado vá a Alvalade para ajudar a equipa a conquistar mais uma vitória.
Parece quase certa a ausência de Izmailov e o avanço do jovem Diogo Rosado.


Sá Pinto sobre a equipa:

"Sim... Estão com excelente atitude, equipa unida, vontade de lutar pelo título. É esse o caminho. A equipa tem espírito vencedor, entreajuda e união, por isso que não desanimem! Os adeptos estão com a equipa e ainda é possível."


Verde CDV

quinta-feira, abril 23, 2009

Ecletismo, pavilhões e memórias










O Sporting voltou a bater o ABC por 30-27 e já está nas meias-finais do play-off.
A data das meias-finais já está agendada (6,10 e 16 de Maio), agora falta conhecer o nosso opositor.
Este jogo encerrou um espírito diferente; a fazer lembrar a Nave do velhinho Alvalade, como está referido no site do clube.
O ambiente foi verdadeiramente frenético, mercê da adesão dos adeptos que lotaram o pavilhão do Casal Vistoso e também por causa da presença de grandes figuras sportinguistas como: Sá Pinto e Manuel Brito (antiga gloria do Andebol) e do apoio do futebol e futsal.

Percebeu-se que quando se juntam uma multiplicidade de factores a velha mística vem mesmo á tona e revive-se intensamente aquelas tardes e noites gloriosas proporcionadas pelo hóquei em patins, basquetebol, andebol e voleibol.
Este espírito e festa não deveriam ser esporádicos, mas vividos semanalmente porque o Sporting deve ser vivido intensamente em todo o seu esplendor.
Para que tal venha a ser possível é preciso construir um pavilhão junto ao estádio José de Alvalade. Um pavilhão com boa capacidade, programação e horários adequados faria despertar este torpor em que vivem as modalidades e quiçá a reactivação de outras.
Alguns podem pensar que o clube gira somente em torno do futebol, mas estão redondamente enganados.

Entretanto os dirigentes poderiam pensar em descentralizar e levar alguns jogos aos milhares de sportinguistas espalhados pelo país.
A outra sugestão está directamente relacionada com a transmissão destes jogos e com o site do clube. Não existindo um canal de televisão propriedade do clube onde se possa fazer a difusão das modalidades seria agradável que se fizesse a transmissão através do site do clube, aliás como já aconteceu com o futsal.
Assim poder-se-iam proporcionar momentos de alegria aos milhares de sportinguistas; em Portugal e no estrangeiro, que não têm possibilidades de assistir ao vivo e ao mesmo tempo dinamizar o site do clube.

Aproximam-se as eleições e os putativos candidatos começam a acenar com bandeiras eleitorais. Cuidado, pois elas já serviram para “caçar” votos e depois foram esquecidas dentro da gaveta. Sim, estou a falar do Ecletismo e da construção de um pavilhão.
Qualquer candidato tem de pensar; mais que nunca, que não pode ressuscitar velhas promessas se não tiver intenção de as cumprir.
O inconformismo é latente e desta vez os adeptos não deixarão de saber reagir convenientemente.
Começam também a surgir nomes de antigos jogadores do Sporting que tendem a funcionar como bandeiras eleitorais e chamariz de votos.
Já agora não se esqueçam de Manuel Fernandes uma das maiores glórias vivas do nosso clube, que só pode ser comparado a alguns atletas já falecidos como: Vítor Damas, António Livramento e Joaquim Agostinho.
Pode não ser sofisticado, não ter a eloquência ou o prestígio internacional de outros, mas tem uma enorme alma leonina.


Verde CDV

quarta-feira, abril 22, 2009

Vamos apoiar o Andebol









No passado domingo a equipa de andebol do Sporting venceu o ABC por 30-28, no primeiro jogo dos quartos-de-final dos play-offs.
Nove anos depois o Sporting ganhou no Pavilhão Flávio Sá Leite e se voltar a vencer o jogo desta noite avançará para as meias-finais.
O jogo terá lugar no Pavilhão do Casal Vistoso, pelas 21h 30m.
Este é um jogo que está a criar uma enorme expectativa e uma onda verde de apoio á equipa de andebol. Assim está garantida a presença de Paulo Bento, Marco Caneira e talvez Hélder Postiga. Também foram distribuídos convites pelas escolas e solicitada a presença maciça das várias claques.

Todos juntos temos de criar uma onda de apoio para catapultar esta equipa para uma eliminatória brilhante e quiçá o início de mais uma caminhada triunfante.
O treinador Paulo Faria e a equipa merecem que os adeptos sportinguistas lotem o Pavilhão e que criem um ambiente frenético e intimidatório para o nosso adversário.
Uma palavra de gratidão para o trabalho realizado pelo treinador Paulo Faria, que tem vindo a justificar a aposta num treinador jovem e ambicioso.
Vamos guindar o Andebol do Sporting ao patamar onde deve estar e fazer reviver a memória dos muitos títulos ganhos.


Informações úteis:

Pavilhão do Complexo Municipal do Casal Vistoso (Lisboa)

Morada: Rua João Silva (Alto do Pina)

Autocarros: 10,17, 20, 22, 35, 40, 67, 103

Linha Metro: Verde, Estação: Areeiro


Este jogo não terá transmissão televisiva e dificilmente conseguirá acompanhar através da internet. Assim deixo aqui um site de apostas onde deverá conseguir acompanhar a marcha do marcador.


Nota: Este jogo terá entrada livre.

PS: O amigo Gnitrops deixou um LINK na caixa de comentários que talvez permita ver o jogo.


Verde CDV

terça-feira, abril 21, 2009

Antecipar eleições

Segundo o comunicado do Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal a AG que estava marcada para o dia 8 de Maio, para votar o plano de reestruturação financeira, já não se irá realizar.
Assim existe uma forte possibilidade de haver antecipação, em uma ou duas semanas da data prevista (5 de Junho) para as eleições.
A data está condicionada pelos estatutos (eleições entre 1 de Maio e 15 de Junho) e pelo calendário desportivo da equipa de futebol.

Saúdo vivamente esta medida porque esta era uma das críticas mais ferozes que se apontavam a este CD. Finalmente perceberam que não se pode, nem se deve condicionar um acto eleitoral.
Teremos com toda a certeza um acto eleitoral mais transparente, onde os sócios poderão votar nas linhas programáticas que as várias listas venham a apresentar.
Tenho a convicção que se irão apresentar a sufrágio várias listas e respectivos programas eleitorais.
Contudo até hoje a única coisa palpável é um plano de reestruturação financeira apresentado e defendido por um rosto que não se vai candidatar.

Nunca fui um defensor da antecipação de eleições, por achar que estas poderiam interferir directamente no rendimento da equipa de futebol.
Vejo com agrado que o CD e o próprio Presidente da Mesa da Assembleia-Geral também tiveram em atenção este pormenor e pretendem que estas se realizem depois de definido o futuro da equipa de futebol.
Faço votos para que as eleições só tenham lugar no final de Maio, pois seria sinal de estarmos a lutar por um objectivo, neste caso que fosse o do título.


PS: Bebam Super Bock, de preferência Green.


Verde CDV

segunda-feira, abril 20, 2009

João Moutinho renovou até 2014













O Sporting prolongou o contrato do futebolista João Moutinho até 2014, com uma cláusula de rescisão de 22,5 milhões de euros, comunicou hoje o clube lisboeta à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Fonte: Lusa


Verde CDV

Haja quem fale!


















Paulo Bento:

“Dêem-me 3 meses de castigo, 6 meses ou um ano de castigo, ou o que quiserem. Até se tiver que treinar sem receber, não me importo. Não vou calar porque sei o que os meus jogadores sofrem."

“Se há dia em que o Estádio de Alvalade vai ter de encher esse dia é no próximo sábado."


PS: A foto em cima já tem uns meses, mas os protagonistas são os mesmos (veja aqui).


Verde CDV

domingo, abril 19, 2009

Olarápio, o amigo que sempre aparece



Para quando a coragem de atribuirem o 'dragão de ouro' a este palhaço de apito na boca? Quando é que teremos a vassourada que limpe o futebol português destes Olarápios, Paixões, Lucílios, Pintos da Costa, Reinaldos Teles e toda esta gentalha que só suja o nosso desporto?

Uma vergonha do tamanho da Universidade de Coimbra aquilo que a hoje assistimos no Académica-porto... Se é assim que querem ser campeões que vos faça muito bom proveito mas que tenham a generosidade de convidar este palhaço Olarápio e todos aqueles que apreciam a vossa fruta e o vosso leitinho com chocolate, para a festa do título na capital das tripas! Pena para vós que este bandalho não possa arbitrar os vossos jogos na Champions, não é?

Entre lampiões e andrades, que venha o diabo e que escolha!


Leonino

Muito obrigado!



Sem desprimor pelos demais, não posso deixar de destacar, sublinhar e agradecer em relação ao jogo de ontem as exibições de Liedson e Derlei.

Estiveram em ambos os lances dos nossos golos, mas acima de tudo foram fabulosos e exemplares na atitude, no empenhamento, na garra e sobretudo em acreditarem na nossa vitória até ao último minuto. A voz da maturidade no momento em que a mesma era exigida.

Como alguém ontem dizia em jeito de comentário na RTP, parece que finalmente Liedson tem um parceiro à sua altura na nossa frente de ataque.

Dois PROFISSIONAIS com P's bem maiúsculos!


Leonino

Nota: com uma tremenda gripe em cima, nada como uma vitória briosa e suada por parte dos nossos jogadores para atenuarem todos estes sintomas. Muito obrigado, rapazes!
E já agora, que a grande Briosa de Coimbra nos dê hoje outra alegria.

sábado, abril 18, 2009

Reviravolta espectacular!










V. Guimarães, 1-SPORTING, 2
Liga Sagres - 25.ª jornada
Estádio D. Afonso Henriques
Árbitro: Bruno Paixão (A. F. Setúbal)
Árbitros assistentes: António Godinho e Paulo Ramos.

V. Guimarães: Nilson, Andrezinho, Gregory, Moreno, Milhazes, Flávio Meireles, João Alves (Custódio, 83 m) , Marquinho (Luís Filipe, 66 m), Nuno Assis, Desmarets e Roberto (Santana, 83 m)Treinador: Manuel Cajuda.Não utilizados: Nuno Santos, Sereno, Carlitos e Fajardo.

SPORTING: Rui Patrício; Pedro Silva, Carriço, Polga, Caneira (Ronny, 74 m), Adrien Silva (Postiga, 61 m), Pereirinha, Miguel Veloso e João Moutinho; Derlei (Tonel, 90+1) e Liedson Treinador: Paulo Bento.Não utilizados: Ricardo Baptista, Tiuí, Romagnoli e Abel.

Golos: Roberto (55 m); Derlei (80 m) e Liedson (89 m).

Disciplina: cartão amarelo a João Alves (18 m), Luís Filipe (75 m); Miguel Veloso (14 m), João Moutinho (47 m), Derlei (57 m), Pereirinha (72 m)


Verde CDV

A alteração estatutária foi reprovada

















Votação:

Sim = 72,45% ( 10.270)

Não = 26,47% ( 3.781)

Entre os 1996 sócios que votaram o percentual foi ligeiramente inferior:

Sim = 69,7%

Não = 29,3%

A próxima AG vai realizar-se segundo os moldes tradicionais.

Verde CDV

sexta-feira, abril 17, 2009

AG de 17 de Abril

Hoje temos mais uma AG de importancia assinalavel para o futuro do Sporting Clube de Portugal. A decisão a tomar hoje não condiciona de imediato o futuro do Clube, mas pode implicar que o Plano de Reestruturação Financeiro seja ou não sujeito a nova AG. Isto partindo do pressuposto que se tiram as devidas ilações do que se passar hoje!

Em 5 de Junho vão haver eleições. Cabe á nova Direcção a eleger escolher os caminhos a seguir no futuro pelo Sporting Clube de Portugal. Sem amarras, nem condionantes herdados de quem a precedeu. Já irá herdar o pesadíssimo fardo que são quase 300 Milhões de Euros de passivo. Como condicionante, isso já é mais que suficiente!

Gostava ainda de chamar á atenção para as recentes afirmações de Nobre Guedes. Eu não me identifico com aquela concepção de Clube e, obviamente, não aceito um Sporting com 20% de participação na sua SAD como este dirigente gostaria de ter um dia. Se os socios do Sporting abrirem agora a caixa de pandora, é inevitável que isso aconteça no futuro. Com todos os reflexos que lhe estão inerentes. Um clube com 20% de participação na SAD é um clube morto, sem receitas para alimentar qualquer tipo de actividades adicionais.

De qualquer modo, hoje não se vai votar nada relativamente ao Plano. Apenas a introdução da disposição estatutária transitoria relativa ao referendo. Mas...volto a dizer...o resultado da votação de hoje terá obvios reflexos na apresentação ou não a votação do Plano Financeiro, em Maio!

Relativamente ao referendo, gostava ainda de dizer que, se é verdade que fui a favor da introdução desta figura num passado recente e até apresentei uma solução muito parecida com a que foi ao congresso pala mão do conselheiro Oliveira e Costa, numa animada troca de ideias sobre os estatutos com o leaoconselheiro (comentários a post do nosso caríssimo amigo Verde CDV) também é verdade que essa minha ideia pressupunha que os referendos fossem precedidos de debates de ideias com livre participação de todas as correntes de opinião. Não me parece que isso vá acontecer em relação ao tema a levar ao futuro referendo, caso hoje fosse aprovada a sua realização (até porque hoje já é 17 de Abril e a data apontada para o referendo será 8 de Maio, segundo os zuns zuns que vão correndo. Alguém já conhece o tal Projecto?).

Em suma, cada um deve votar de acordo com a sua consciencia logo á noite, ciente das implicações do seu voto e todos nós devemos respeitar a opinião de quem tem posição diferente da nossa! É isso que espero que aconteça e faço votos para que esta Assembleia decorra num clima de civismo e respeito!

JG

quinta-feira, abril 16, 2009

Vamos lá falar daquilo que realmente gostamos!




















E aquilo que gostamos de discutir não é o plano de reestruturação financeira, mas ultimamente tem sido difícil fugir a esse tema.
Aquilo que mais gostamos é de debater o futebol e os seus artistas. Por falar em artistas, ontem vi um mágico do futebol desfazer um sonho num ápice.
Os génios da bola têm destas coisas, até desarmam os mais prevenidos e avisados.
Ainda anteontem tinha tido o privilégio de assistir a um jogo que vai ficar nos anais do futebol. Claro que um jogo destes só poderia ser proporcionado por duas equipas inglesas.

Vamos lá falar do nosso Sporting e dos seus artistas. Antes de prosseguir queria deixar um aviso. Não se esqueçam que hoje é dia de reflexão, logo não se deve fazer campanha por nenhuma das partes.
Peço aos estimados amigos que se abstenham de fazer propaganda neste espaço (mas se sentirem mesmo necessidade de desabafar, não se acanhem).

Avizinha-se uma deslocação complicada até Guimarães para defrontar o Vitória.
Com um meio campo devastado por lesões é provável que Paulo Bento faça mexidas neste sector.
Se Adrien fizer parte da equipa titular poderemos ter um meio campo totalmente constituído por jovens formados nas nossas escolas.
Não sendo uma facto inédito merece sempre uma nota de destaque.
O quarteto do meio campo pode ser formado por: Veloso (22 anos), Moutinho (22 anos), Pereirinha (21 anos) e Adrien (20 anos), perfazendo uma média de 21,2 anos.
Alguns são bastante jovens mas já carregam uma boa dose de veterania, pois foram lançados ás feras bastante cedo.
No meio de tanto jovem convém lembrar que Daniel Carriço foi eleito o melhor jogador jovem do mês de Março, numa escolha onde também constavam os nomes de: Pereirinha, André Marques, Celestino e Miguel Vítor.

Muitas vezes discute-se se o caminho deve ser este ou outro. Para mim o caminho a trilhar tem que estar assente numa formação de excelência, que tendo muitas virtudes ainda apresenta alguns defeitos. Por isso é necessário optimizar as virtudes e corrigir os defeitos.
Um clube financeiramente depauperado tem de saber conciliar a politica de aposta na juventude com um critério apertado nas contratações.
De acordo com a legislação que se quer impor; onde se protege o jogador nacional em detrimento do estrangeiro (6+5), este é sem duvida o caminho mais correcto e adequado.


PS: Juro que não é nada contra o Miguel Veloso, nem foi problema de espaço.


Verde CDV

quarta-feira, abril 15, 2009

Está na hora das decisões

E só Deus sabe o que para aí vem. Desse debate lamentável entre Soares Franco e Dias da Cunha retenho apenas uma coisa: não podem ambos ter razão. Sabendo que eu apoio o Paulo Bento e que acredito na idoneidade do actual presidente, não posso no entanto concordar que uma direcção que se vai embora aprove um projecto tão irreversível como este. Não acho que o próximo presidente deva cair de pára-quedas numa reestruturação que não planeou e com a qual pode não concordar.

Isto partindo do princípio, é claro, que Soares Franco mantém a palavra e não se recandidata.

Espero que a AG de sexta permita definir um futuro no mínimo mais transparente e que seja o início do apaziguamento no clube. Para dizer a verdade, estou cansada desta desunião. Quero voltar à alegria de viver o Sporting e às vitórias em verde-e-branco.

Gia

Assembleias-Gerais e Eleições II

Esclarecimentos adicionais sobre as três Assembleias-Gerais que se avizinham:


Assembleia-Geral de 17 de Abril (Pavilhão Atlântico – 20 horas)

Nesta AG de 17 de Abril, o que vamos votar é se concordamos com a marcação de uma AG para votar, sem debate prévio e por voto secreto, o plano de reestruturação financeira (Introdução de um novo Artigo nos Estatutos – nº78).

Para acontecer uma alteração dos Estatutos é necessário o voto favorável de três quartos do número de associados presentes e, também, três quartos dos votos dos associados presentes.

Sendo aprovada ou não, esta norma transitória, teremos sempre uma Assembleia-Geral do clube para votar o Plano de Reestruturação Financeira.

Nota: A votação não é correspondente a 1 sócio = 1 voto, vigorando a proporcionalidade de anos e votos correspondentes. (Veja aqui quantos votos possui)


Assembleia-Geral de 8 de Maio (Votação do Plano de Reestruturação Financeira)

Esta é uma Assembleia-Geral do clube aberta a todos os sócios que estejam habilitados para votar.

Se a norma transitória da AG de 17 de Abril for aprovada, teremos uma Assembleia Referendaria, ou seja, sem debate prévio e por voto secreto.

Se a norma transitória da AG de 17 de Abril for reprovada, teremos uma Assembleia-Geral em moldes tradicionais. (Discussão, seguida de votação)

Nota: Para o Plano de Reestruturação Financeira ser aprovado, independentemente dos moldes da Assembleia, carece sempre de 2/3 de votos favoráveis.
Nesta votação vigora também a proporcionalidade de anos e votos correspondentes.


Plano de Reestruturação Financeira:

Redução do valor nominal das acções para 1 euro;

Subsequente aumento de capital em 20 milhões de euros;

Emissão de VMOC até ao montante de 55 milhões de euros;

Empréstimo intercalar para subscrição das acções: 20 milhões;

Venda à SAD dos direitos relativos à Academia Sporting/Puma por valor não inferior a 21 milhões de euros;

Fusão por incorporação com a Sporting, Património e Marketing, com a consequente transmissão para a SAD do direito de superfície sobre o Estádio José Alvalade, mantendo o clube a propriedade do solo.


Assembleia-Geral de 11 de Maio (Auditório do Estádio José Alvalade – 18 horas)

Se o Plano de Reestruturação for aprovado então teremos esta AG dia 11 de Maio que se destina somente aos accionistas da SAD, que irão votar os pontos referidos anteriormente.

Se o Plano não for aprovado dia 8 De Maio esta Assembleia deixa de ter efeito e será desconvocada.


Depois desta explicação não se compreende muito bem porque motivo estão a sobrevalorizar a AG de 17 de Abril em detrimento da de 8 de Maio.
Como vimos a AG de 8 de Maio será sempre decisiva, seja em que moldes for efectuada.
Muito do que ali se passar poderá influenciar decisivamente o futuro imediato deste clube.
Ainda por cima nesta AG de 8 de Maio serão precisos somente 2/3 dos votos, para fazer aprovar o Plano.
Compreendo que alguns desaprovem a votação sem debate prévio, já quanto ao voto secreto não me parece que seja lesivo de nada.
A direcção já se comprometeu a fazer sessões de esclarecimento até ao dia 8 de Maio, tanto em Alvalade como nos vários núcleos do país.
Alguns pontos têm de ser aclarados, mas não me parece que uma AG; que se prevê turbulenta, seja o sítio mais indicado.



Eleições dia 5 de Junho

Depois de Pedro Souto temos mais um candidato a candidato de seu nome Pedro Sousa Moraes.
È sócio do Sporting desde os 14 anos e integrou a lista de Abrantes Mendes no ultimo acto eleitoral. Empresário com interesses em Angola, Brasil e Portugal.

Também este pré candidato impõem condições para se lançar na corrida eleitoral, assim faz depender o seu possível avanço da não aprovação do plano de reestruturação financeira.
Ao contrário de Pedro Souto entrou de cabeça e deu uma extensa entrevista ao Record, na passada sexta-feira.
Uma entrevista com alguma demagogia, muito populismo e tiradas no mínimo infelizes.


Presidência do Sporting:

"Não tenho ambições de ser presidente do Sporting por ser presidente do Sporting."

"Desde pequenino que me sinto sportinguista. Quando era miúdo, enquanto os outros contavam carneirinhos para dormir, eu fazia equipas do Sporting."

"Se um dia for presidente do Sporting, serei eu a mandar...e depois arranja-se a equipa."

Projecto:

"O Sporting deve ser gerido por uma fundação. Esta fundação não obrigaria o Sporting a entrar com capital, este virá todo de fora."

Passivo – Qual o capital necessário e como consegui-lo:

"Entre 200 e 300 milhões de euros, no espaço de 2/3 anos e é possível. O segredo é a alma do negócio."

Recandidatura de Filipe Soares Franco:

"Acho que vai fazer mais um flic-flac à retaguarda. O seu projecto, que não existe, está esgotado."

Sistema:

"Hoje não sabemos até que ponto amanhã não estaremos envolvidos numa história de suspeição..."

Pedro Souto:

"Mas quem quiser ser presidente do Sporting não pode estar à procura de soluções de consenso."



Verde CDV

terça-feira, abril 14, 2009

Maioria Silenciosa

Há uma maioria silenciosa que aguarda pela altura certa para se fazer ouvir. São os que não se revêem na libanização que torna este clube cada vez mais pequeno. São os que não trocam o certo pelo incerto ou por uma mão cheia de retórica vazia. São os que já não têm paciência para contra-argumentar contra os que preferem o insulto há falta de uma ideia válida e por isso se calam. Os que se recusam a ver nos seus consócios um inimigo a abater. Os que percebem que a discussão instalada está minada por questões pessoais, que nada têm a ver com o interesse do clube.

Está instituída no Sporting a ideia de que é bem dizer mal de todos os que de José Roquette para cá assumiram os destinos do clube. Mas há ainda quem se lembre do que era este clube e tenha a coragem de ficar ao lado dos que têm uma ideia para ele. Porque a história faz-se dos que dizem presente nas horas difíceis. Dos que apontam caminhos e não dos que se limitam a desconstruir ideias e soluções. Depois do debate de domingo ainda mais convencido fiquei que, com todos os defeitos, Filipe Soares Franco é o melhor presidente que o Sporting tem de há muitos, muitos anos para cá. Haja coragem para apoiar a sua coragem, mesmo estando na moda dizer mal. Haja coragem para não ir atrás do barulho.

Retorno dentro de poucas horas para um mundo onde o futebol não tem qualquer importância. Onde todas estas discussões são filtradas pelo tempo e onde tive a oportunidade de sentir que a maior parte delas nem sentido fazem. Experimentem parar para pensar. Saudações leoninas.

verdão(sl)

Perdeu o Sporting!













Antes de entrar na análise propriamente dita permitam-me algumas notas breves.
Este confronto merecia mais tempo, outro canal e um moderador muito mais interventivo e acutilante, pois não contribuiu em nada para o fluir do mesmo.
Sabemos que passado, presente e futuro do clube não podem ser discutidos e aclarados em tão pouco tempo, mas merecíamos pelo menos umas pistas.
Remoques à parte; felizmente, não se assistiu a nenhuma “peixeirada” como alguns vaticinavam.

Foram 60m de acusações e contra acusações assentes em números e milhões de Euros.
Cada qual esgrimiu os números que mais lhe convinham, mas nenhum conseguiu explicar qual o passivo no final do seu mandato.
Impressionante como durante tantos anos os sucessivos presidentes se demitiram de apresentar as contas consolidadas. É realmente incrível que nesta nova era das SAD’s a transparência ainda seja palavra vã.
No final da contenda ninguém saiu esclarecido e uma vez mais o Sporting foi o principal prejudicado.

Este debate mostrou à saciedade a falência do projecto Roquette e que ainda hoje existe um fantasma a pairar sobre Alvalade.
Revelou-nos dois sucedâneos de baixa qualidade que se acusam mutuamente para tentar iludir os sócios e fugir ás suas responsabilidades.
Todos sabiam e sabem do enorme buraco financeiro em que se transformou este clube e nenhum deles quis assumir as responsabilidades, por isso se escondem atrás dos números.
Todos os dirigentes que participaram neste projecto ao longo dos anos deveriam ter vergonha e decoro, pois foram coniventes e nenhum consegue sair com a face limpa.

Não se esclareceu o passado, mascarou-se o presente e hipotecou-se o futuro.
No meio desta refrega não existiu um vencedor claro, mas existiu um impreterível perdedor e esse foi sem duvida o Sporting Clube de Portugal.
Esperemos que nas próximas eleições não estejamos condenados a escolher entre o mau e o menos mau como tem sucedido nos últimos anos.
Que apareça alguém competente, sério e que coloque a transparência acima de tudo.


Verde CDV

segunda-feira, abril 13, 2009

E que tal encontrar umas soluções?

Que sejam a favor ou contra a direção do Dr. Filipe Soares Franco, o que interessa é salvar o Sporting Clube de Portugal.
Não tenho a arrogancia de dizer que tenho a solução, mas gostaria de provocar um debate critico mas constructivo sobre aquilo que é a situação actual do Sporting. Para tal irei abordar alguns temas e conto com a participação de todos para que debatem as ideais ou trague até novas!

Quem fica a ganhar poderá ser o Sporting!

I. Será que a situação actual é mesmo tão negra?

A UEFA já tem alertado para o facto de clubes viveram acima (muito acima) do que podem efectivamente pagar, e a situação ecoómica actual veio piorar a situação.

O Sporting encontra-se à beira do abismo como já se encontrava ANTES do projeto Roquete. Quero lembrar alguns sportinguistas que antes do José Roquete pegar no destino do Sporting, o clube estava à beira da falência e não vencia nada.

O José Roquete iniciou um projeto ambicioso, devolveu o titúlo de campeão ao Sporting, construiu um Estádio, uma Academia e mais do que isto construiu perspectivas novas.

O problema foi que para sustentar esse plano ambicioso era preciso uma revolução empresarial dentro do universo leonino. O universo leonino foi divido em várias sociedades mas muitas foram mal geridas e em vez de trazer fundos (lucros) para serem investidos no futebol, trouxeram dividas que devem ser saneadas pelo mesmo futebol que deviam ajudar a developar!

Mas antes de culpar quem quer que seja, a verdade é que o Sporting não era feito para gerir empresas mas sim um clube de futebol ou de desporto em geral!

Olhamos à nossa volta, mais precisamente para os nosso rivais:

O benfas investiu quase 30.000.000 € na época passada para reforçar a sua equipa principal, (sem contar com o que investiu na arbitragem e na Liga) qual foi o retorno? Foi nulo! A não ser a taça da vergonha a Cá Se Berga Cup, não ganharam nada!
Pior do que isso, o benfas tem feito investimentos avultados durante anos seguidos (mais de 100 jogadores!!!) sem retorno nenhum, ora alguém sabe qual o passivo consolidado do benfas? Sem participações regulares na Champions, sem titúlos e sem vendas de jogadores?

Será que essa situação é menos preocupante que a do Sporting?

O que dizer do tripas? Claro que à custa de muitos anos a corromper árbitros e resultados conseguiu participar em quase todas as edições da Champion's e acumulou um poder financeiro invejavél...mas será mesmo assim?

Se o tripas não tivesse as vendas milagrosas que teve (e vender o Paulo Ferreira por 25 mio e o Anderson por 50 é mais que milagroso!), nunca conseguiria equilibrar as suas contas!?

O Porto não dispõe de practicamente nenhum património e não fosse a camara de Gaia, nem um centro de estágios tinha! Ora com a crise actual, se o Porto não conseguir vender jogadores por mais milhóes, como conseguirá a equilibrar as suas contas?

No caso do Sporting as acções leoninas são as mais estavéis dos 3 grandes, porque ao contrário destes mesmos, o Sporting tinha capital imobiliário não desportivo e tem uma academia e um estádio próprio.

Como Filipe Soares Franco disse ontém , o Sporting recebeu perto de 25.000.000 € de ajudas do Estato pelo construcção do Alvalade XXI, mas quanto receberam Porto e Benfica? Cada um rcebeu quase 100.000.000 de ajudas em dinheiro ou de maneira mais subtil em forma de terrenos, acessos ou bombas de gasolina!

Se formos a compara os 3 Grandes, o Sporting mesmo sem ganhar montes de titúlos é o mais saudavél e rentavél! Pois com um investimento practicamente nulo durante os útlimos 3 anos soubemos ganhar um titúlo (mesmo que menor) por época e participamos com regularidade na Champions.

Atendendo ao investimento feito pelo benfas, o rendimento do Sporting é avassalador!

2 Diminuir a divida será a única solução?

O Projeto Roquete previa um sistema empresarial capaz de gerir lucros que iriam apoiar a equipa principal de futebol, em vez de rever o tal sistema empresarial, vendeu-se simplesmente o património não desportivo o que não permite alterar essa situação.

Partindo do contexto actual, há que distinguir 2 camihos:
  1. Diminuir o passivo: Para tal o Sporting terá de generar fundos próprios para diminuir o passivo ou realizar certos activos (vender património) para baixar o endividamento.
  2. Aumentar as receitas (criar novas fontes de receitas, inovar)
Com a baixa da taxa de juros e a situação precária da econiômia nacional, penso que a solução deverá passar por uma renegociação do endividamento bancário ou apelar a uma consolidação de dividas por outras sociedades bancárias (mudar de banco!).

A taxa de juros actual nunca foi tão baixa e o Sporting tem seriamente que reconsiderar os termos o endividamdento, estar a pagar 8% em vez de 4% faz muita diferença! E se O BES no quer renegociar, haverá de certeza outros bancos com vontade de comprar os contractos de empréstimos leoninos.

Outra possibilidade é a emissão de um novo empréstimo obrigacionista, gostaria de lembrar que o útlimo que foi feito teve de ir a rateio! Com o empréstimo obrigacionista o Sporting consolida a divida é médio prazo com uma taxa de juros mais baixa, ou que permite ter um maior fulgor a nivel de tesouraria à curto prazo.

Depois vem a questão das novas fontes de receitas, antes de criar novas fontes, há que optimisar as actuais!

O Sporting dispõe de 243 nucleos espalhados pelo mundo fora, são 243 lojas verdes potenciais e são milhões de clientes que poderão ter acesso a produtos da marca Sporting Clube de Portugal.
Antes do Sporting vender os direitos à TBZ e esta practicar uma politica danosa (material de fraca qualidade, custos de envio para o estangeiro exagerados! A titúlo de exemplo comprar uma camisola e enviar-la para o Luxemburgo é facturado 25 €!!!!) podia-se utilizar o site oficial para aceder a produtos leoninos.

Quem já foi à Fanlab, sabe que encontra lá uma enorme escolha de productos estampados Sporting Clube de Portugal, então porque não:
  • Render TODOS os productos de marketing leoninos accessivéis via Internet com custos de envio adaptados à realidade?
  • Utilizar os 243 nucleos para vender esses mesmos productos aumentando assim a força de penetração da marca Sporting a nivel mundial
  • Promover o cartão de sócio leonino (incluíndo o cartão de sócio correspondente) com reducções nessas mesmas lojas? Eu quero lá saber de reduções na GALP ou sei lá aonde! Eu quero é reducções na compra de camisolas do Sporting!!!
  • Utilizar o site oficial do Clube como verdadeiro meio de comunicação da nação leonina e não só para justificar as acções da actual direção! Lançar promoções não só online mas acessivéis nos nucleos espalhados pelo mundo inteiro!
Há mais portugueses ou luso-descendentes espalhados por este mundo fora do que portugueses residentes em Portugal! E uma realidade partilhada com a Itália e a Espanha e permite ao Sporting ter acesso a um mercado com mais de 25.000.000 de adeptos potenciais.

Durante o verão, quando mais de 3.000.000 de emigrantes vão voltar a Portugal, se 100.000 comprarem uma camisola do Sporting por 50 €, isso equivale a um encaixe de 5.000.000 €, o que não é de menosprazer!

Sendo natural de Matosinhos, muitas vezes me deslocava à Loja Verde de Braga, que hoje encerrou! O Tripas tem uma loja azul em qualquer centro comercial no Grande Porto e em Matosinhos, porque não o Sporting?

Porque não organiszar os jogos amigavéis a um domingo à tarde pelas 16 horas, permitindo assim a familias leoninas espalhadas por este Portugal fora, para fazer uma viagem a Alvalade, ir fazer compras àAlvaláxia, ver o jogo e poder voltar para casa a horas decentes?

3. A venda de jogadores, um tabú?

Porque não falar da venda de jogadores? Será to dramático vender um Moutinho ou um Veloso? Há uma diferença entre vender um jogador que quer ficar por necessidade e vender um jogador que pretende saír!
Se houver uma proposta pelo Moutinho ou Veloso que seja aceitavél consonante o valor dos atletas então... hasta la vista!

O efeito dos casos Moutinho e Veloso sobre o balneáro leonino foram desastrosos e provocaram casos sem fim! Quando o Vukcevic ou o Sojkovic dizem algo que não agrada ao Paulo Bento são logo postos de lado, mas quando é Moutinho... não se assa nada?

Ninguém deveria jogar contrariado no Sporting Clube de Portugal, o Sporting Clube de Portugal é um sonho para qualquer jogador de futebol em Portugal porque no deixar o lugar a quem está mesmo motivado para jogar?

O caso Moutinho era de prever! O novo empresrio dele, ofereceu-lhe um carro e um apartamento para os país...está na hora de ter um retorno sobre o investimento, não acredito que ir para o Everton seja um salto qualitativo na carreira do Moutinho, mas será sempre um salto financeiro e o Sporting não pode pagar a má gestão da carreira do Moutinho.

O Sporting tem de olhar para os clubes mais pequenos e ir buscar aqueles que tem fome de conseguir e de vingar em Alvalade, quantos não vingaram em outros clubes porque no Sporting não lhes deu oportunidade? O recente caso do Beto é flagrante!

A ir buscar jogadores ao estrangeiro que seja o Hugo Viana!

A Academia de Talentos do Sporting não para de produzir novos e bons jogadores, mas este tem de ser acompanhados por jogadores podendo transmitir-lhes esperiença e a garra de leão.
Para mim capitães devem ser o Liedson e o Polga eles dois simbolizam melhor o que é a entrega leonina ao jogo e metem respeito pelo que representam!

4 Novos investimentos?

Há sempre a possibilidade de procurar novos investidores capazes de finançar a construcção de um pavilhão para as modalidades. De todas sabemos que o atletismo, o andebol e sobretudo o futsal tem o maior potencial de valorisação.

O Futsal em emergido como uma modalidade popular e penso que será capaz não só de ser auto-suficiente mas de rentabilizar o pavilhão leonino.

Conclusão:

O aumento das receitas relativas à promoção da marca Sporting dará mais visibilidade à marca, o que dará mais força à mesma e inflacionará o seu valor!
O Sporting não pdoe ter complexos de inferioridade perante clube nenhum! Depois 18 anos sem ganhar nada demonstramos ter a massa associativa mais solidária dos 3 Grandes, essa massa associativa tem de ser a fonte principal de fundos para o Sporting Clube de Portugal e é nessa fonte que os investimentos tem de ser feitos e não orientar-se para investidores movidos não pelo amor ao clube mas pelos prórpios interesses económicos.

Bom debate e viva o Grande Sporting!

Saudações leoninas
Mindo

Um debate sem respostas


Primeiro devo dizer que Filipe Soares Franco deu uma goleada a António Dias da Cunha a nível de preparação, retórica e comunicação.

O FSF veio preparado para o debate e o objectivo era só um: destabilizar Dias da Cunha e descredibilizar-lo e penso que conseguiu plenamente o que pretendia.

Quem saíram a perder foram os sócios já que muito pouco se escalreceu. Sabendo que geralemente as pessoas só se lembram de 20% do conteúdo de um discurso e fixam muito mais o lado visual do debate, o que é que as pessoas vão relembrar?
Será mais ou menos isto:

  • O Dias da Cunha é que é o culpado do buraco financeiro e dos problemas actuais do Sporting;
  • O Dias da Cunha assinou contratos sem comprender o que assinava;
  • O Dias da Cunha não se lembra nem de números nem de detalhes importantes do que se passou;
  • Aonde o Filipe Soares Franco se baseava em documentos oficiais do Sporting Clube de Portugal, Dias da Cunha refugiava-se em documentos obscuros e aonde certos nunca foram destinados a ser públicos;
  • Afinal de contas o Dias da Cunha está senil e a única esperança que sobra para o Sporting é o Filipe Soares Franco.
Embora tenha de admitir que Dias da Cunha contribuiu mais para reforçar a posição de Filipe Soares Franco do para outra coisa, penso que Filipe Soares Franco não foi honesto no seu debate, atacou constantemente Dias da Cunha de maneira subtil porque conhece bem o seu opositor e sabe como o destabilizar.

O problema de Dias da Cunha reside no facto de este não aceitar que a sua memória já não é a mesma de há 15 ou 20 anos e que precisa de documentos e de uma boa preparação para fazer frente a um Filipe Soares Franco que sabendo da importancia do debate preparou-se muitissimo bem.

Agora aqui vai o que o debate realmente divulgou e o que relamente foi dito ou não:

  • Filipe Soares Franco foi Vice-Presidente do António Dias da Cunha com participações nas diversas sociedades do Universo Leonino, como é que FSF pode declarar não ter conhecimento do buraco financeiro, e só depois de Dias da Cunha ter voltado do Moçambique é que tal buraco apareceu, metendo medo a Ernesto Ferreira de maneira que este não se candidatasse e deixase caminho aberto a Soares Franco? Ou seja em nem 15 dias apareceu o tal buraco, quando em 2 anos ninguém o tinha visto.
Dias da Cunha entre dois ataques conseguiu fazer algumas perguntas que ficaram sem resposta mas que são fundamentais:
  • Aonde está o dinheiro da venda de património não desportivo, da venda de Nani e das receitas de 3 anos seguidos na Champions?
  • Como é que o FSF vai impedir que o Sporting Clube de Portugal perca a maioria na SAD?
A essas 2 perguntas FSF chutou para canto e conseguiu guardar a bola fora dos 16 metros, sem por isso dar respostas satisfatórias.
A primeira pergunta limitou-se a questionar a credibilidade do movimento Leão de Verdade, sem responder a questáo que era pertinente e justificada.

A segunda penso que era importante os sócios perceberem a verdadeira e única natureza dos VMOC's.

O FSF sabe que para adquirir novos investidores, o Sporting terá forçosamente que abdicar da maioria na SAD, pois quem é que está disposto a investir dinheiro numa sociedade, sem ter o controlo sobre a maneira como esta é gerida?

Os VMOC são uma solução subtil para que tal aconteça, fazemos as contas juntos:

  1. O Sporting vai baixar o preço das acções com a emissão de novo capital por 20 mio de EUR;
  2. O investimento será feito a partir da venda de VMOC por 55 mio de EUR
  3. Para garantir o valor da SAD, os direitos do Estádio (bilheteira, concertos etc) e a Academia passará para a SAD. O seja o todo o activo e passivo do Sporting estará na SAD (o que ficará no Clube?)
  4. Depois desta operação o Sporting terá sempre 50,1% do capital da SAD
Até aqui tudo bem, só que o que o Dr. Filipe Soares Franco não disse é que se o Sporting não conseguir rembolsar 60 mio de EUR dos VMOC em 5 anos (capital + juros) os investidores poderão obtar por convertir a divida que detém em acções da SAD leonina.

Visto o número limitado das acções no mercado (o número marginal que está em circulação não chega para cobrir os 60 mio), o Sporting terá por força de abdicar das suas acções em favor dos investidores, logo deixará de ter a maioria na SAD.

O exemplo dado pelo FSF é correcto desde que os VMOC's sejam rembolsados e não convertidos em acções.

Afinal toda está jogada não é nada mais do que uma OPA sobre o Sporting favoravél aos investidores já que receberão as acções a um preço fixo de 1 € (bastante abaixo da quotação actual e probavélmente da quotação futura), e isto sem que os sócios tenhem algo a dizer!

Repito para que seja bem claro: Os sócios não terão nada a dizer! Porquê?

  • Os sócios são sócios do Sporting Clube de Portugal e não da SAD
  • O Património passa a pertencer à SAD
  • Os estatutos do Clube não se aplicam à SAD
Visto que o Sporting Clube de Portugal deixará de ter a maioria na SAD, e que nada poderá ser feito para evitar a conversão dos VMOC's pois o Sporting assinará o contrato de emissão logo será obrigado a cumprir o que ali está estipulado.

Todos sabem que os estatutos do Sporting Clube de Portugal exigem que qualquer estádio do Sporting Clube de Portugal terá de ter o nome de José de Alvaldade. A partir do momento aonde os direitos do Estádio transitarem para a SAD, nada impede à SAD de por o nome do Estádio à venda assim depois da Academia Puma, poderemos ter o Estádio Coca-Cola, Viagra ou probavelmente Rennie ou Compensan.

Ninguém se ilude, a próxima assembleia é vital para o Sporting, votar SIM é abrir o caminho para o fim do que o Sporting Clube de Portugal representa.

Pode até ser que o caminho do FSF seja o único possivel, mas antes de tomar uma decisão irreversivél gostaria que tal se passasse depois das eleições, gostaria de saber se a direcção de FSF diminuiu efectivamente o passivo, já que vendemos jogadores e investimos muito pouco nos útlimos anos, logo se o passivo aumentou esta direcção terá sida pior do que a anterior.

Uma vez as perguntas sobre as contas actuais do clube eslarecidas, então sim deveremos tomar uma decisão!

O FSF já tinha dito que vender o património desportivo seria a única solução para a sustentabilidade do Sporting Clube de Portugal, e o que é que vemos hoje? O passivo practicamente não diminuiu.

Quem me garante do sucesso deste caminho? Depois de vender a nossa alma, o que é que nos resta?

O facto do Dias da Cunha não ser bom em retórica, não impede que tenha razão quando ao falso rumo que o Sporting está a levar.

Não ei se o meu post terá algum impacto, sinceramente pouco me importa, mas o que importa é que tenha tentado algo.

Eu moro no Luxemburgo, sou sócio correspondente, não tenho direito de voto e mesmo que tivesse não poderia me deslocar a Portugal para ir votar...mas voceses podem!

Os sócios tem como dever de salveguardar os interesses superiores do Sporting Clube de Portugal!
Devem todos ir votar, votem todos NÃO!

N.B: SE de facto o Dias da Cunha tinha já vendido o património não desportivo nos ditos contratos, então os contratos são nulos. Os estatutos do Sporting Clube de Portugal são claros! A venda de património tem ser avalizada por maioria de 2/3 dos sócios. Se foi o Dias da Cunha que vendeu o património, porque foi então preciso tanta romaria para comsumir o que estava acordado?
Essa clausula é pura e simplesmente inválida já que ultrapassa os poderes de quem assinou e os bancos sabem disso, e foi por isso que nunca obrigaram o Sporting a cumprir.

Embora a explicação do Dias da Cunha tivesse sido confusa, é a única correcta porque o Dias na Cunha não tinha o poder de vender o património do Sporting sem acordo dos sócios, da mesma maneira que o FSF não o pode fazer hoje.

Então porque será?

P.P.S: Vamos fazer um bocado de contas:

O capital actual é de 42.000.000 €:

- Redução de capital para 21.000.000€

- Aumento de capital de 20.000.000€ para 41.000.000€

- Aumento de capital de 41.000.000€ para 96.000.000€ por intermedio do lançamento de VMOC's no valor de 55.000.000€.

Neste caso o Sporting continua com a maioria na SAD, logo o que acontecrá quando se os investidores decidirem de transformar os 55.000.000 € de VMOC's em acções?
Aonde fica a maioria do clube?


Saudações leoninas
Mindo

domingo, abril 12, 2009

Elevação

Começa dentro de poucos momentos o debate que colocará Filipe Soares Franco e Dias da Cunha frente a frente e em directo na SIC notícias às 22h.
Confesso que é com expectactiva e com algum receio que aguardo pelo seu findar. Expectativa por se tratarem dos dois maiores responsáveis no clube no último decénio e receio pelo que possa sair dali, não só no conteúdo mas especialmente na forma.
Abraço de Leão,
Verdão

sábado, abril 11, 2009

Objectivo alcançado: mais três pontos!



Sporting, 3 - Naval, 1

Estádio José Alvalade, em Lisboa
Árbitro: Rui Costa (Porto)

SPORTING
Rui Patrício, Pedro Silva, Carriço, Polga, Caneira, Miguel Veloso, Pereirinha (Adrien), João Moutinho, Romagnoli (Izmailov), Derlei e Liedson.

Suplentes não utilizados: Tiago, Abel, Tonel, Postiga e Tiuí.

Treinador: Paulo Bento.

NAVAL
Peiser, Carlitos, Paulão, Diego Ângelo, Daniel Cruz, Bruno Lazaroni, Godemèche, Baradji, Davide, Marinho, Marcelinho.

Suplentes: Jorge Baptista, Fabrício Lopes, Gilmar, Alex Hauw, Michel Simplício, Camora e Tiago Freitas.

Treinador: UIisses Morais.

Golos: 1-0 Pereirinha, 1-1 Marcelinho, 2-1 Liedson, 3-1 Liedson



Leonino

Debate está confirmado



Enquanto Pedro Souto e Pedro Sousa Moraes se vão perfilando como putativos candidatos à presidência do nosso clube, está confirmado o debate entre o actual presidente - Filipe Soares Franco - e o seu antecessor - António Dias da Cunha.

Como detesto ver o meu clube lavar a sua roupa suja em público, espero que se saibam discutir argumentos e posições com elevação e urbanidade, ao fim e ao cabo à imagem daquilo que são os princípios basilares do nosso Sporting Clube de Portugal.

Amanhã, na SIC Notícias, entre as 22 e as 23 horas, moderado pelo jornalista João Abreu.

Leonino

sexta-feira, abril 10, 2009

Uma "Estória" de Alvalade

Peço desculpa ao amigo Mindo por meter já este post que pensava editar um destes dias quando o ambiente estivesse mais calmo. Até porque, como ele, vou votar Não no dia 17. Por razões que oportunamente explanarei.

De qualquer modo, o ambiente está demasiado crispado esta noite entre sportinguistas. O que se faz numa altura destas? Recorre-se ás memórias boas, ao que nos une, a coisas que todos recordamos como saborosas.

O que transcrevo a seguir é um trecho de um livro chamado "Estórias d´Alvalade". A "Estoria" em causa está na página 32 e é um relato de Morais respeitante à eliminatória com o Manchester United da Taça das Taças de 1963/64. Então aqui vai:

"Eu era sempre o escolhido do grupo para falar com os Directores porque conseguia sempre dizer as coisas sérias com ar de brincadeira. No regresso de Manchester, ainda no avião, foi isso que aconteceu. Meia duzia de jogadores, daqueles mais importantes, juntaram-se e pediram para falar com o dirigente Mário Cunha. "Morais, nós perdemos em Manchester porque o Lucio não cumpriu a obrigação dele" foi mais ou menos este o teor da conversa. Jogámos numa 4ª Feira, chegamos na quinta a Lisboa e pedimos imediatamente uma reunião ao Mário Cunha. Ficou marcada para sexta feira, às 21H30, na secção de futebol. Mas ele apareceu mais cedo, ainda durante o treino. Estávamos no campo, lá vinha ele de sobretudo amarelo, perguntando logo ao treinador se o treino ainda demorava muito. Depois pediu-lhe que dispensasse o Fernando Mendes, o Hilário, o Carvalho e eu porque queria falar conosco.

Lá fomos. Havia um ambiente desconfortável, nunguém queria assumir a responsabilidade de começar a conversa. O Mário Cunha olhou para nós e disse "é pá, se têm vergonha de falar, não tenham". Eu, claro, tomei a palavra e disse "o Mendes, ou está com medo ou tem medo. Sabe uma coisa, nós não queremos o Lucio a jogar na equipa porque ele foi o carrasco dos 4-1. Além disso, o Lucio não respeita o estágio como nós respeitamos, sobretudo em termos de alimentação. E se o senhor Mário estiver de acordo, nós gostaríamos de ver o Lucio fora da equipa o mais depressa possivel, para bem do clube". O Mário Cunha fez uma pausa e perguntou-me "e quem é que voces punham a jogar no lugar dele?" - "O Alexandre Baptista" - respondemos quase todos ao mesmo tempo. Morais, Alexandre Baptista, José Carlos e Hilário...não havia melhor defesa. Depois, como prova do nosso empenho, prontificámo-nos a ir para estágio durante 15 dias, até ao jogo da segunda mão com o Manchester. O Mário Cunha ficou parvo!

No dia em que pedimos para ficar em estágio, abraçamo-nos todos, demos as mãos e lançamos o mote "vamos a eles! Temos de os comer em Alvalade"!

No fim de semana seguinte jogámos para o campeonato e o Lucio já não actuou. Cumprimos a nossa palavra e até ao dia do jogo com o Manchester, só íamos a casa de 3 em 3 dias, buscar umas cuecas e uma camisola interior e deixar a roupa suja. Mesmo assim, íamos acompanhados por uma pessoa do Sporting. Tínhamos mesmo vontade de passar aquela eliminatória com o Manchester.

Além dos treinos normais, à noite, por volta das 22 horas, treinavamos às escuras em Alvalade. Íamos ao balneário, vestíamos o fato treino, sapatilhas e treinavamos. Nunca ninguém nos pediu, nós é que íamos por auto-recriação. Chagávamos às 11 e tal, quase meia noite, tomavamos o banho e íamos para a cama. Passamos os 15 dias assim. Treino de manhã, treino à tarde e treino à noite. Quanbo estavamos bem dispostos "malta, como é que é...vamos fazer um treininho lá para baixo" e íamos, 18 convocados, sem treinador e sem dizer nada a ninguém. Nós até tínhamos um autocarro à disposição na porta 10-A, o condutor era o Sr. Joaquim, para irmos ao cinema, mas nós não queríamos. Só pensavamos na cor do Manchester. Eu às vezes até dizia ao Carvalho, meu companheiro de quarto: "é pá, até parece que vejo os gajos do Manchester à minha frente durante o sono". Nós responsabilizamo-nos por aquela saída do Lucio e pela entrada do Alexandre. Em troca, tínhamos que eliminar o Manchester United. Como diz um ditado antigo: fizemos como as putas - unimo-nos, fomos todos juntos para todo o lado, até ao fim. Não saímos de casa. Estivemos 15 dias encurralados, só para ganhar aos gajos do Manchester. O Lucio nunca mais jogou. Acabou a ápoca e foi para o Brasil."

O resultado do jogo de Lisboa foi 5-0. A época acabou com a vitória na final da Taça das Taças contra o MTK, com o tal cantinho do Morais na finalíssima.

Nesse Manchester United que actuou em Lisboa, jogavam entre outros Bobby Charlton e George Best!

JG

quinta-feira, abril 09, 2009

Salvem o meu Sporting!


Nunca fui apoiante do FSF, isso é um facto, mas apelo a votar na assembleia do próximo dia 17. Essa assembleia marcará talvez o fim do meu clube. Não devem menosprazer a importancia do voto, comparecem e votem CONTRA o plano do cambalhotas!

Salvem o nosso Sporting, não acredito que a nossa situação seja tão precária como querem fazer crer, acredito sim que um outro caminho possa ser encontrado! Por isso no dia 17 de avril não podemos hipotecar o nosso futuro!

As eleições estão à nossa porta, temos de ouvir os planos, os programas antes de decidir abdicar do nosso clube em prol da SAD e dos investidores.

O que o FSF ( e que o nosso amigo verde CDV publicou ) disse foi isto :

"Na próxima AG vai-se decidir aquilo que todos os sportinguistas querem e que muitos têm exigido: dizer que o Sporting tem de ser devolvido aos sócios. Vamos fazer com que uma decisão tão importante para o Sporting, como é a reestruturação financeira, possa ser votada por um maior número de sportinguistas".

Agora o que a assembleia significa mesmo é isto (comentário da AAS ):

"Não se iludam: o referendo é a última tentativa/manobra do FSF para ludibriar os sócios e finalmente aprovar o seu plano financeiro antes de se ir embora. Passo a explicar:

normalmente um referendo exige apenas uma maioria simples (>50%) dos votos p/ aprovar o q quer q seja. Ou seja, penso q o q vai ser proposto aos sócios na AG do dia 17 de Abril é uma alteração dos estatutos de modo a q as vendas de património do clube e outros assuntos de natureza financeira não necessitem de uma maioria qualificada de 2/3 (66.66%) como é actualmente o quase mas q possam ser decididas com uma maioria simples de 50% (o nome é irrelevante, chamaram-lhe referendo apenas p/ dar um ar mais democrático à marosca).

Só q p/ fazerem essa alteração dos estatutos precisam da aprovação dos sócios c/ uma maioria qualificada de 75%!!! E é esse o objectivo da AG de 17.

Perguntam então os mais crédulos ou inocentes: então mas 75% não é mais difícil de obter do q 66.66%? Qual é a vantagem?
Resposta: A vantagem é q os assuntos a votação são diferentes. A aposta do FSF é q na AG de 17, a votação será "apenas" p/ aprovar a alteração de estatutos p/ incluir a figura do referendo. O FSF deve acreditar q como esta alteração deve parecer aos sócios uma questão pouco polémica, conseguirá obter a tal maioria de 75%.

Se o conseguir, então na AG de 11 de Maio, irá então a votação o seu plano financeiro (mais ou menos o mesmo q já foi chumbado antes) e q nessa altura já não precisará de uma maioria qualificada de 66.66% mas sim de 50% o q é muito mais fácil (teria passado na última AG)!!

Um sócio q seja a favor do referendo mas contra o plano financeiro, verá a dia 11 de Maio como foi ludibriado na AG de 17 de Abril caso tenha contribuído p/ a alteração dos estatutos!!

PORTANTO A AG DE 17 DE ABRIL É SUPER-IMPORTANTE PQ É MUITO MAIS FÁCIL RECUSAR ESTA FRAUDE NA AG DE 17 DE ABRIL DO QUE DEPOIS NA AG DE 11 DE MAIO!!!

Aliás a própria Direcção já confirmou q se a alteração dos estatutos for chumbada eles desconvocam a AG extraordinária de 11 de Maio.

Portanto caros amigos sócios, não se deixem ludibriar e poupem terem de ir votar mais uma vez a 11 de Maio através de uma massiva reprovação à alteração dos estatutos na AG de 17 de Abril!!!"

Saudações leoninas
Mindo

Assembleias-Gerais e Eleições

Os conflitos e as guerras estão latentes no sei do nosso clube, tudo devido às próximas eleições e ao plano de reestruturação financeira que vai ser colocado a votação numa das próximas Assembleias-Gerais.
Num período já de si conflituoso, não me parece que seja nada benéfico lançar ainda mais confusão; voluntariamente ou involuntariamente, pois só servirá para acicatar ainda mais os ânimos.


Por um lado temos vivido um período pré eleitoral bastante agitado, apesar de ainda só se perfilar um candidato a candidato.
Esse pré candidato condiciona a sua possível candidatura ao resultado da Assembleia de 17 de Abril. Procura alcançar um consenso alargado, não se colando à oposição e refutando um confronto directo com os homens fortes da actual direcção.
Assegurando que se for eleito tenciona seguir esta politica financeira.

A oposição vai congregando mais apoiantes e o homem que outrora aparecia isolado tem agora a companhia de alguns ex dirigentes do clube.
Contudo existe um nome que sobressai, pois estamos a falar de um ex presidente do Sporting Clube de Portugal.
Muitas declarações vão sendo proferidas, mas nenhumas têm tanto impacto como as de Dias da Cunha. Pelo estatuto que logrou atingir dentro do clube deveria ter mais parcimónia nas suas declarações, pois algumas chegam a roçar o insulto e a leviandade.
As questões pessoais que possa ter com o actual presidente deveriam ser dirimidas noutro local que não a praça pública, sobretudo neste momento.
Ainda não emergiu nenhum candidato deste grupo oposicionista, mas asseguram que se o resultado da Assembleia de 17 de Abril lhes for favorável, ele surgirá no dia seguinte.

Soares Franco já reafirmou que não se candidata, mas teima em fazer aprovar um plano de reestruturação financeira antes de abandonar o cargo.
Esta pode ser uma maneira de condicionar a acção futura do próximo presidente, caso seja eleito um candidato que esteja em desacordo total com esta politica.
Os mais críticos vêm nesta medida uma janela para a recandidatura de Soares Franco.
Tudo aponta para um candidato da continuidade, que não ele, mas se acontecesse esse cenário de certeza que a memória dos sócios não iria esquecer certos factos.


As próximas Assembleias-Gerais também estão a ser pomo de discórdia e de muita desinformação. Alguns ingenuamente ou talvez não começam a fazer circular informações totalmente erróneas e que podem induzir os mais incautos em dúvida.
Por agora não estamos a tratar de nenhuma alteração do sistema proporcional de votos ou sequer da Assembleia referendária.
Esses assuntos, tal como a possibilidade de voto nos núcleos por parte dos sócios correspondentes terão de ser votados posteriormente, pois implicarão uma mudança mais profunda nos estatutos do clube.
Vamos tentar clarificar alguns pontos que dizem respeito ás Assembleias-Gerais.

Assembleia-Geral de 17 de Abril (Pavilhão Atlântico – 20 horas)

Nesta AG de 17 de Abril, o que vamos votar é se concordamos com a marcação de uma AG para votar, sem debate prévio e por voto secreto, o plano de reestruturação financeira (nº2, art. 78)

Para que tal seja possível é necessário introduzir nos Estatutos do Clube uma disposição transitória, que passara a corresponder ao seu artigo 78.

Para acontecer uma alteração dos Estatutos é necessário o voto favorável de três quartos do número de associados presentes e, também, três quartos dos votos dos associados presentes.(nº3 e 5 do Código Civil , art. 70 dos Estatutos)

Nota: A votação não é correspondente a 1 sócio = 1 voto, vigorando a proporcionalidade de anos e votos correspondentes.


Assembleia-Geral de 11 de Maio (Auditório do Estádio José Alvalade – 18 horas)

Esta Assembleia está condicionada à aprovação da alteração dos Estatutos do Clube ou seja terá de ser aprovada a disposição transitória correspondente ao artigo 78.
Destina-se exclusivamente aos accionistas da Sociedade Desportiva de Futebol, SAD, que irão votar os pontos que pode visualizar aqui.


Assim e só depois de percorrida toda esta tramitação é que o Plano de Reestruturação Financeira poderá ser colocado à votação dos sócios do Sporting Clube de Portugal, numa Assembleia-Geral a realizar posteriormente.
Como todos podem constatar o percurso é longo, moroso e bastante escrutinado, logo parecem-me infundados os alarmismos que se apoderaram de alguns sportinguistas.
A primeira e a última palavra serão sempre dos sócios do Sporting Clube de Portugal.
Confesso que não domino muito esta matéria, mas penso que para haver aprovação do plano terá de haver uma maioria de 2/3 de votos favoráveis.



Verde CDV

quarta-feira, abril 08, 2009

Pacto de regime leonino

Ano após ano, época futebolística após época futebolística, assisto no nosso clube a discussões da mais variada natureza: desde modelos de financiamento, de gestão, de treinadores, de jogadores, de presidentes, de cultura sportinguista, de defesa da facção A, de ataque à facção B, de insultos entre sportinguistas...

É um dado adquirido que a sabedoria popular dita que da ‘discussão nasce a luz’, mas pelos vistos a troca de ideias e a argumentação no nosso clube, deixaram de ser um meio, passando a ser exclusivamente um fim.

Há décadas que se procura dentro da nossa casa um consenso que nos leve ao lugar de topo que nos pertence no desporto português – e mais concretamente, no futebol – mas entretanto o nosso rival FC Porto vai cimentando a sua liderança nacional, já nos ultrapassou em número de campeonatos conquistados, já se sagrou duas vezes campeão europeu, arrecadou uma taça UEFA, consolidou uma cultura de exigência, de ambição e de vitória... e nós continuamos a procurar um caminho.

Começa a ser angustiante assistir a uma visão tacanha de se discutir nomes, vias, culturas, enquanto o fosso face ao rival do norte se vai alargando.

Não terá chegado a altura de se dar um murro na mesa e finalmente se colocar o supremo interesse da nossa instituição acima de querelas pessoais, de vaidades egocêntricas e de disputas entre ‘quintinhas’?

Não terá chegado a altura de se cimentar um pacto de regime onde a prioridade passe pela agregação das várias – e legítimas – tendências no seio da família leonina?

Não terá chegado a altura de voltar a colocar o nosso clube no seu lugar de referência no desporto português?

Esta forma mesquinha de se procurar alcançar o poder através de manobras sub-reptícias nos corredores sombrios da conspiração, da sabotagem, da informação e da contra-informação, apenas têm contribuido para que a carruagem da liderança cada vez nos pareça mais longínqua. Pena que alguns desses doutos e iluminados sportinguistas não consigam ou não queiram ver para além dos seus egos.

Leonino

terça-feira, abril 07, 2009

Agitação dentro e fora de campo

Fora de campo são as eleições e a próxima AG que fazem com que a agitação atinja níveis bastante altos.
O pré-candidato, Pedro Pinto Souto vai reunir-se com FSF, depois de ter recusado o convite para estar presente no jantar promovido pela oposição.

A propósito da próxima AG, Soares Franco proferiu as seguintes declarações:

"Na próxima AG vai-se decidir aquilo que todos os sportinguistas querem e que muitos têm exigido: dizer que o Sporting tem de ser devolvido aos sócios. Vamos fazer com que uma decisão tão importante para o Sporting, como é a reestruturação financeira, possa ser votada por um maior número de sportinguistas".

A oposição pela boca de Abrantes Mendes contrapôs:

"Não deve realizar-se uma AG da qual podem sair medidas fracturantes antes de um acto eleitoral. Não faz sentido que o próximo presidente seja confrontado com uma decisão tão determinante para a vida do clube, em nome da união e do bom senso".



Dentro de campo as coisas também não estão nada fáceis, pois aconteceu uma verdadeira hecatombe no meio campo leonino.
Contudo é nesta alturas que pode despontar mais uma pérola da formação leonina.
Assim de cabeça posso apontar dois nomes que podem colmatar as possíveis ausências: Diogo Rosado e André Martins.



PS: Vejam aqui o que o Conselho Directivo propõe para a AG que se irá realizar após a de 17 de Abril.


Verde CDV

segunda-feira, abril 06, 2009

Visto de longe

Vendo de muito longe e sem poder acompanhar o dia a dia, talvez me preocupe mais o futuro do clube a médio e longo prazo. É aí que vejo que tudo continua na mesma. Como no vergonhoso futebol nacional. O projecto de sustentabilidade financeira apresentado pelo Presidente Soares Franco é até agora a única solução viável. Até o candidato a candidato parece alinhar pela mesma via. Para mim só há tanta discussão porque no futebol os resultados e as exibições são pobres. Se o Sporting estivesse à frente do campeonato, como devia, Soares Franco ganhava de goleada. Assim, vai ganhar à Paulo Bento: à rasquinha. Isto é, arrisca-se a empatar por falta de maioria e perder o campeonato da remodelação do clube.

(É com o orgulho que volto de bem longe, para umj curto período de férias, e continuo a ver o meu nome aqui na ilustre lista de editores do melhor blogue sobre o Sporting. O meu amigo Leonino faz o favor de me manter aqui, apesar de não conseguir ser tão assíduo como fui em tempos.)

verdão(sl)

domingo, abril 05, 2009

Vitória arrancada com eficácia e suor



Leixões, 0 - Sporting, 1

Estádio do Mar, em Matosinhos
Árbitro: Pedro Proença (Lisboa)

LEIXÕES - Beto; Laranjeiro, Nuno Silva, Élvis e Angulo; Jean Sony, Roberto Souza, Bruno China e Hugo Morais; Chumbinho e Diogo Valente.

Treinador: José Mota.

Suplentes: Berger, Ruben, Sandro, Vasco Fernandes, Zé Manuel, Braga e Rodrigo Silva.

SPORTING - Rui Patrício; Abel, Daniel Carriço, Polga e Caneira; Pereirinha, Rochemback (Adrien), Romagnoli (Veloso) e João Moutinho; Derlei (Yannick) e Liedson.

Treinador: Paulo Bento.

Suplentes não utilizados: Tiago, Tonel, Ronny e Postiga.

Golo: 0-1 Derlei



Leonino

sábado, abril 04, 2009

Lutar contra o infortúnio e algo mais...



















Nesta ponta final do campeonato o Sporting vai atacar o título sem uma das suas principais armas.
A época terminou mais cedo para o médio Simon Vukcevic, depois de se ter lesionado ao serviço da selecção do Montenegro.
O atleta vai submeter-se a uma intervenção cirúrgica ao ombro direito e só voltará na próxima temporada.
Pelo crescendo de forma, pela raça e entrega colocadas em campo esta pode ser uma baixa difícil de colmatar.
Esperemos que esta contrariedade sirva para estimular ainda mais os restantes companheiros. O espírito guerreiro e a determinação postas em campo pelo médio têm de passar para todos os colegas e servir de lema até ao final do campeonato.

Alguns tenta atingir-nos e enfraquecer-nos através de campanhas sistemáticas e ignóbeis que se vêm perpetuando no tempo.
É o caso de um jornal desportivo que teima em perseguir o nosso clube desde há muito tempo. Contudo as mentiras e calúnias acentuaram-se após a proibição da sua entrada nas instalações do nosso clube.
Desta vez o alvo foi o jogador Grimi, que supostamente esteve envolvido num caso de polícia. Os factos relatados foram prontamente desmentidos pelo jogador através do sítio do clube.
A notícia seria banal e corriqueira, não fosse existir um pormenor deveras importante.
Segundo o dito jornal houve uma rapariga que foi obrigada a acompanhar o jogador contra vontade. Se forem verdadeiros, estes factos podem indiciar crime de coacção ou sequestro puníveis com pena de prisão.
Não contentes com a primeira notícia, surge agora outra onde aparece uma testemunha conveniente que corrobora os factos relatados.
Por enquanto não se conhecem mais reacções por parte do jogador ou do clube.
Se Grimi estiver de consciência tranquila só pode agir em conformidade e processar judicialmente o jornal.
O clube deve apoiar o jogador, mas nunca descurando os aspectos profissionais de mais um caso extra futebol.

Aos sportinguistas peço que não se deixem intoxicar por campanhas vis e ignóbeis que nos tentam desviar do nosso rumo.
Podem tentar desestabilizar em nome de terceiros, mas nem assim conseguirão atingir o vosso desiderato.
Depois da famigerada final da Taça da Liga estamos mais unidos que nunca e juntos trilharemos o caminho do sucesso, a começar já amanhã em Matosinhos.



Verde CDV

sexta-feira, abril 03, 2009

Um herói na defesa do associativismo

João Mineiro terá provavelmente sido na Secção "Sustentabilidade Financeira", o Homem mais isolado do Congresso. Diz quem viu que resistiu como um Leão na defesa da sua dama, o associativismo. Numa pequena homenagem, aqui deixo um dos seus textos.
Bem-haja, João.
"Toda a modalidade desportiva profissional está sujeita a ciclos exógenos e endógenos. Os primeiros são marcados pela conjuntura económica, influenciando a forma como são geradas as receitas. Os segundos resultam da variabilidade do sucesso desportivo.
Ora em qualquer actividade, a diversificação permite dirimir o risco e tornar menos variável o ambiente de gestão. Foi essa diversidade (ecletismo) que permitiu manter o estatuto do Sporting Clube de Portugal enquanto associação desportiva durante as décadas de 80 e 90, apesar do insucesso verificado na modalidade mais popular – o futebol. Inversamente, nos últimos anos, verificou-se um gravíssimo afastamento dos Sócios e adeptos, e consequentemente das receitas potenciais de quotização, bilheteira e merchandising.
O ecletismo deve ser assumido como essencial para a grandeza do Clube, em respeito pela sua história e como forma de garantir níveis relevantes de receitas da forma mais independente possível dos ciclos económicos e desportivos.
É no entanto notório que várias modalidades não são capazes de se auto-sustentar, pelo menos de forma consistente e directa. Mas, indirectamente, são elas que corporizam muito do que foi e é o Sporting e a sua marca.
Porém a marca Sporting está hoje desgastada, facto que se repercute no número reduzidíssimo de Sócios efectivos pagantes. E mais do que Sócios, modalidades ou património, nestes últimos anos perdeu-se parte da alegria e orgulho em ser do Sporting. Os Sócios estão distantes e desinteressados. Perderam as tardes de desporto e convívio em Alvalade, o discurso tornou-se demasiado comercial e financeiro. Os Sócios tornaram-se clientes ora do Clube, ora da SAD.
Acontece que as decisões (leia-se despesas) dos Sócios são em grande medida irracionais do ponto de vista económico. Quando estes passam a ser clientes, passam também a tomar decisões racionais do ponto de vista económico. Um exemplo simples de apontar são as muitas Gamebox adepto adquiridas por ex-Sócios.
Há que garantir que os Sócios são sempre tratados como tal, e nunca como clientes, por uma questão de genética associativa, mas também para maximizar as receitas.
Assumindo então um Clube de Sócios, e aceitando que algumas modalidades são deficitárias, há que garantir que o Clube como um todo é viável. Importa apurar as receitas que o Clube gera (incluindo futebol), e decidir quanto alocar a cada modalidade.
É portanto fundamental definir a Unidade e Solidariedade do Sporting como base de qualquer estratégia de futuro. Quando a SAD precisou do Clube, o Clube salvou a SAD. Quando o Clube precisar da SAD, esta terá de estar totalmente disponível – sem quaisquer restrições!
Vender acções da SAD é uma forma de criar restrições, alimentar interesses terceiros, e roubar ao Clube as receitas extraordinárias cíclicas que são geradas pelo futebol – necessárias às sustentabilidade do Clube como um todo e ao abatimento do passivo.
Deverá portanto optar-se pela total recusa da emissão de VMOCs como solução financeira do Clube, devendo ser pensada, se algum dia se revelar possível, a recompra das acções em bolsa, com as seguintes condições:
- Recompra, a 5 euros, das acções ainda detidas pelos Sócios que participaram na primeira oferta pública (quota suplementar)
- Recompra a valor de bolsa ou ao valor nominal das restantes acções no mercado
- Criação de clausulas estatutárias que obriguem a SAD ao mesmo tipo de divulgação de informação pública a que está hoje obrigada
Como alternativa deverá promover-se uma operação que alivie a tesouraria do Clube. Duas opções a considerar:
- Emissão de empréstimo obrigacionista, remunerado à taxa fixa de 3%, com prazo de 3/4 anos
- Criação de um fundo, remunerado à taxa fixa de 3%, usado para comprar dívida do Clube à banca. O fundo seria criado com remuneração garantida e não teria prazo de vencimento definido. Deverá ser garantida alguma liquidez às unidades de participação
Num período de 3 anos esta operação, num montante de cerca de 40 M.€, permitiria:
- Poupar entre 0,5 e 1,1 M.€ em juros, face a um juro bancário de 3,5% ou 4,0%, ou mais em caso de subida repentina das taxas de juro
- Desafogar a tesouraria num montante superior a 10 M.€, devendo garantir-se que a maior parte deste valor é usado para redução do restante passivo bancário
- Envolver Sócios e Adeptos numa solução não fracturante, sem venda da SAD, e remunerando o investimento
- Remunerar parte do juros em serviços Sporting, tentando aproveitar um possível efeito fiscal
O investimento seria por exemplo de apenas 1.000 €, para 40.000 investidores (Sócios ou adeptos).
Face ao exposto, recomenda-se:
1) Assumir o ecletismo como forma de garantir a grandeza do Sporting e receitas indirectas, desde que exista Unidade e Solidariedade no Clube
2) Manter sempre a relação com os adeptos na vertente “Sócio”, e nunca como “Cliente”
3) Recusar a alienação de qualquer participação adicional na Sporting SAD
4) Que seja estudada uma operação financeira que alivie a tesouraria do Sporting, desde que seja evitado o aumento das despesas correntes"
João Mineiro em Leão de Verdade
Abraço de Leão,
Verdão

quinta-feira, abril 02, 2009

Sangue novo ou talvez não...
























As eleições para a presidência do Sporting Clube de Portugal estão marcadas para breve e no horizonte surgiu um nome totalmente desconhecido.
Até este momento, Pedro Manuel Pinto Souto, é o mais forte pré-candidato.
Não podemos falar em candidatos, pois ainda ninguém se apresentou formalmente.
A informação vai sendo disponibilizada a conta-gotas, talvez seja estratégia ou mera precaução.
O pretenso candidato já fez saber que não se candidata contra nomes como: Soares Franco, Bettencourt ou Ribeiro Telles.

A maioria dos sportinguistas deseja ver sangue novo à frente dos destinos do clube.
Contudo poderemos baralhar, partir, dar de novo e ficar tudo exactamente como antes.
É plausível que os que ponderam concorrer só o revelem depois das duas Assembleias-Gerais que decorrerão no mês de Abril.
Pois estarão à espera das decisões que saírem dessas Assembleias.
Estas irão determinar muito do futuro do clube e até dos futuros candidatos.
Se as propostas do Conselho Directivo forem aprovadas, esta direcção sairá de tal modo fortalecida que não seria descabido pensar na recandidatura de Soares Franco ou até na candidatura de Ribeiro Telles.
A não ser que surja o tal candidato de consenso que consiga fazer a ponte entre a estrutura actual e a oposição.
Poderá ser Pedro Manuel Pinto Souto? Veremos…

Entretanto vão-se sabendo algumas ideias-chave: (Fonte: Diário de Noticias)

- Forte investimento no futebol
- Equipa de gestão reduzida
- Grande rigor orçamental
- Insuflar nova ambição nos adeptos



Verde CDV