"Tu vais vencer, Podes crer, Porque a nossa força é brutal. Mais de um século de histórias para contar. Sporting, tu nunca vais acabar" - osangueleonino.blogspot.com -

Sangue LEONINO

sexta-feira, outubro 31, 2008

Vergonha!



Continua a vergonhosa campanha na comunicação social (vejam o canto superior direito). O mais grave é que uns quantos imbecis continuam a oferecer matéria para que os pasquins enxovalhem o nosso clube - não tendo a certeza se até serão sportinguistas os autores das nojentas frases - mas atentem na diferença da natureza das notícias dadas sobre os dois rivais de Lisboa: em Alvalade é o caos, na Luz é um autêntico mar de rosas, paz e harmonia...

Leonino

quinta-feira, outubro 30, 2008

Não quero acreditar...

… na onda de pessimismo e negativismo que se apoderou dos adeptos sportinguistas.
Até parece que estão a sofrer de algum sindroma de divisionismo. Este sindroma é normalmente lançado do norte e tem o propósito de dividir para reinar.
Não costuma afectar as massas adeptas rivais somente os seus excelsos presidentes.
Contudo esta é uma onda que torna cada vez mais vã a palavra UNIÃO. Fazendo com que os apelos neste sentido pareçam sempre desprovidos de sentido algum.

Será que nesta altura precoce do campeonato se justifica tamanha histeria. Parece-me que a procissão ainda vai no adro e já existe quem queira virar o andor.
Será normal esta animosidade para com o treinador que já nos proporcionou grandes momentos de júbilo e que está a conseguir inverter um ciclo vicioso que se tinha instalado no clube.
Muitos esgrimem o argumento do futebol espectáculo dizendo que não existe e que anda arredado de Alvalade há muito tempo. Não posso contra argumentar porque se trata de um facto evidente.
Mas posso dizer que foi este mesmo tipo de futebol “resultadista” que já nos proporcionou troféus ganhos contra a melhor equipa portuguesa dos últimos 30 anos.
Permitiu-nos ficar por três épocas consecutivas em 2º lugar e garantindo o acesso á Champions.

Muitos falam na cultura de exigência e em como alguns se contentam com umas taças e com uns segundos lugares e até com as exibições pobres.
Contudo uma cultura de exigência não nasce de geração espontânea, adquire-se com o hábito de ganhar. Este é um hábito que está a regressar a Alvalade, mesmo que alicerçado num futebol pouco atractivo.
Este é um mérito que tem de ser atribuído exclusivamente ao treinador Paulo Bento.
Já nem falo da questão orçamental porque senão vem logo o argumento do Setúbal (Taça da Liga). Também podemos inverter este mesmo argumento e verificar que o Sporting já ganhou a equipas com orçamentos incomensuravelmente maiores, basta lembrar a vitória contra o Inter e mais recentemente contra o Shaktar.
Então este não é o mesmo futebol que levou a equipa a lutar até final pelo campeonato em duas das três épocas de Paulo Bento á frente do clube.

Sejamos honestos e sinceros, mas existe algum sportinguista que não queira a vitória do seu clube mesmo que alicerçada num futebol desprovido de estética.
Nos que amamos este clube queremos que ganhe sempre e conquiste troféus, depois de feitas as contas ninguém se lembrará se o futebol era bonito ou feio, mas a recordação das conquistas perdurará para sempre.

Gostaria ainda de desmistificar duas ou três coisas que são cada vez mais verdades absolutas na boca dos sportinguistas.
Não me parece que a falta de futebol espectáculo seja o factor determinante para o decréscimo da venda das gameboxs e consequentemente uma baixa nas assistências. Quando muito pode concorrer com outros factores como sejam a falta gritante de empatia entre esta direcção e a massa adepta ou ainda um marketing deficiente e pouco agressivo.
Quanto ao futebol espectáculo acho um tremendo equivoco porque com raras excepções consubstanciadas nos treinadores: Peseiro, Jozic e Bolloni, o que se tem assistido é a um futebol muito pobre. Não é preciso recuar muito para encontrar os nomes de: Fernando Santos, Carlos Manuel, Waseige, Cantatore e até mesmo a equipa campeã treinada por Augusto Inácio não praticava um futebol muito espectacular.
Por ultimo vou falar de uma coisa que sempre me incomodou e penso que incomoda todos os sportinguistas. A falta de disciplina que sempre aconteceu no futebol do Sporting. Este fenómeno vem de longe e é resultado de fracas lideranças sejam a nível de direcção, departamento de futebol ou mesmo ao nível dos treinadores.
Quando por fim surge um treinador disciplinador e que consegue colocar alguma ordem, todos se viram contra ele porque está a prejudicar os interesses do clube.


PS: Entretanto este jornaleco pegou nas palavras de João Moutinho e tenta criar mais um caso nacional. Pior que isto só os sportinguistas que se deixam embalar nestas armadilhas.



Verde CDV

quarta-feira, outubro 29, 2008

«Temos um grupo unido, solidário e forte»



Não há fome que não dê em fartura: depois de um longo e teimoso silêncio, tão criticado por tantos sportinguistas, aí está o director desportivo Pedro Barbosa em grande destaque em dois dos três diários desportivos, dando a cara pelo clube e fazendo a defesa do grupo de trabalho.

Frases a reter:

«Primeiro, em relação à situação de Moutinho, penso que é evidente ser um assunto completamente encerrado. Apesar da não saída dele e da firmeza e segurança que o Sporting manteve em todo o processo, ele tem dado uma resposta muito positiva em campo, no treino, no jogo e na forma como se entrega diariamente à defesa das cores do nosso clube. Parece-me que é um episódio ultrapassado.

Tenho a certeza de que não houve dois pesos e duas medidas em qualquer situação. São situações distintas. Também por parte do Simon foi manifestada vontade de sair, desde o início da época, e a resposta do Sporting foi sempre a mesma: não. É um jogador com potencial, que fez uma boa época e, portanto, fazia parte de um lote de 25 e teria de trabalhar como todos os outros para fazer parte das opções do treinador. São compreensíveis as expectativas de cada um, mas o que nós queremos é o sucesso colectivo, até porque o sucesso individual vem sempre atrás, havendo uns que se destacam mais do que outros, mas todos ficam a ganhar.

Vukcevic é um jogador com potencial, tem contrato com o Sporting e nós contamos com ele.

Conquistar o título está claramente no nosso horizonte, é para isso que caminhamos, é nesse objectivo que estamos focalizados…

É muito maior o ruído exterior do que aquilo que se passa internamente. Num grupo de trabalho com 25 jogadores, há situações que vão surgindo, e compete-nos geri-las e resolvê-las. Isso é perfeitamente natural. São situações que têm a ver com insatisfação e alguma tristeza, coisas que entendo e compreendo. No entanto, quando esses sentimentos passam os limites daquilo que é o razoável, fica mais complicado. Portanto, a insatisfação e a tristeza devem ser manifestadas de forma positiva em treino ou quando se é chamado a jogar, correspondendo ao que é pedido pelo treinador. Essa é a dinâmica.

Para quem tem acesso à informação - e o sportinguista dá atenção aos pormenores -, passa a imagem que isto aqui está tudo partido. E isso é mentira! Completamente falso! Eu, que estou com o plantel no dia-a-dia, sinto que temos um grupo unido, solidário, forte.

Os factos são empolados, toda a gente fala de futebol - porque é um fenómeno de emoções e paixões - e cria-se a ideia de que não há comando e que o balneário do Sporting está todo partido. Nada mais falso! Não quero entrar em comparações com aquilo que se passa nos outros clubes, mas garanto que muitas das coisas que se passam no Sporting são depois distorcidas e exageradas.

Miguel Veloso e Yannick Djaló foram afastados da convocatória para Paços de Ferreira pura e simplesmente por opção técnica. Tenho reuniões com os atletas, também com alguns empresários. Não vou dizer publicamente o que falámos, mas o que se passou na última sexta-feira foi uma conversa normal. Querem relacionar isso com a convocatória, mas são factos distintos, sem qualquer tipo de ligação. A dita reunião aconteceu nesse dia, como podia ter tido lugar noutra data. Foi posta a circular uma informação despropositada e desenquadrada.

Este projecto tem vindo a crescer, é sustentável, tem-se fortalecido. A SAD tem a mesma administração há três anos e meio, o treinador vai já na sua quarta época - é o segundo com mais tempo de permanência em toda a história do clube e isto quer dizer alguma coisa. E o Paulo Bento é, sem dúvida, um grande treinador! A estabilidade é a nossa grande virtude e isso, está visto, incomoda muita gente.

Sou reservado, discreto, é verdade, é a minha forma de estar. Falarei quando entender que tenho de falar. Ao contrário do que dizem, o Sporting não está desprotegido. Se há coisa que existe é total sintonia entre as ideias do treinador, as minhas e as da administração.

A exposição dele é normal. O Paulo [Bento] é o rosto. Fala antes e depois dos jogos. Se numa semana houver três jogos, ele falará seis vezes. Mas sempre sobre questões técnicas, sobre a gestão do plantel. Dos outros assuntos que houver tratará, obviamente, a administração.

Estamos claramente satisfeitos com os reforços. O Ricardo [Baptista] ainda não jogou, mas é um guarda-redes jovem com enorme potencial. Não concebemos um plantel para ser retocado em Janeiro. A lógica (anual) de recrutamento e construção do plantel assentou em três pontos: qualidade, conhecimento do futebol português e identificação com o clube.

O jogo que se segue é o mais importante. Temos de vencer em Vila do Conde. Depois, tentaremos bater o Shakhtar e atingir o grande objectivo de chegarmos aos oitavos da Champions. Por fim, a Taça, um jogo decisivo, mas é cedo para se falar do clássico. Mas são todos para ganhar! Nesta casa, ganhar tem de ser palavra de ordem.

[Stojkovic] No final da época passada, foi uma situação que tentámos resolver, comunicando ao jogador que pensávamos ser o melhor para todas as partes que se encontrasse uma solução noutro clube. Não foi possível. Faz parte do plantel, está inscrito em todas as competições e trabalha como todos os outros para ser opção. Em Janeiro, vamos ver, é um quadro que se pode manter… ou não.

Mas a situação do Stojkovic é claramente distinta da do Simon. Tentámos encontrar uma solução, não foi possível, mas está integrado no plantel. Em Janeiro, cada situação será avaliada consoante a sua especificidade. No caso de Stojkovic, porventura, poderemos voltar a tentar encontrar uma solução, procurando colocação noutro clube.

Olhando para as assistências, constatamos um número aquém das expectativas. Claro que temos de dar o nosso contributo. Vivemos numa altura em que as coisas não estão fáceis para ninguém. Acho que os adeptos têm correspondido, dentro das suas possibilidades, de uma forma bastante positiva, incentivando a equipa. Compete-nos dar o devido retorno. Mas há uma relação estranha entre resultados e assistências: nos últimos anos ganhámos e os números decresceram.

Gostava que o estádio estivesse cheio e acredito que com o Shakhtar, terça-feira, em jogo importante em que podemos alcançar um objectivo histórico, estará com muitos adeptos nas bancadas e, depois, com o FC Porto, também.

Temos sucesso desportivo e perdemos assistência. A conjuntura pode explicar alguma coisa, mas não tudo. É difícil.»

Leonino

terça-feira, outubro 28, 2008

Vira o disco e toca o mesmo...

Após as derrotas consecutivas frente a Benfica e Porto, rapidamente se veio por água na fervura, fazendo-se passar a mensagem de que não é nos jogos entre os grandes que se ganham campeonatos. Ora com os resultados alcançados nesses jogos pode não se ter perdido o campeonato, mas no confronto directo com qualquer uma dessas equipas e também num mini-campeonato a 3, o Sporting encontra-se em desvantagem e já não será fácil reverter essa situação (seria necessário vencer por 2-0 na recepção ao Benfica e por idêntico resultado no Dragão), o que faz com que seja obrigatório fazer mais um ponto que os seus concorrentes.

No entanto, o certo é que no jogo seguinte, contra um "pequeno", o Sporting volta a esbanjar pontos, não aproveitando, como de costume, o deslize de um adversário directo. "Pequeno" esse que estava, e está, em penúltimo lugar na tabela e tinha 1 ponto em 5 jogos.
Caso estivéssemos perante o Porto da época passada, neste momento já nos encontraríamos a 8 pontos da liderança, no ano passado por esta altura também já estávamos a 7. É neste ponto que muitos pegam para acreditarem no título, o de os adversários estarem fraquinhos, pelo menos por agora. Isto é aceitável? Em vez de sermos nós a ganhar, temos de esperar que os outros ainda consigam fazer pior que nós?

A convocatória para este jogo foi "estranha" e até um pouco enigmática. Ficaram de fora Caneira (esteve em dúvida para o jogo na Luz e já está de fora há 1 mês!), Vukcevic, Yannick e Miguel Veloso. A ausência destes dois últimos causa alguma estranheza. Yannick foi titular em quase todos os jogos do inicio da época e após a paragem desapareceu da equipa, em relação a Miguel Veloso, quantas vezes este falhou, nos últimos anos, uma convocatória por opção de Paulo Bento?

Paulo Bento disse também antes deste jogo que "Vukcevic trabalha pouco". Não vou à Academia assistir aos treinos por isso mesmo não posso emitir nenhuma opinião sobre esta observação do treinador do Sporting, gostaria era de lhe perguntar se é só o montenegrino que trabalha pouco, porque a julgar pelas amostras que vemos ao domingo parece que há mais gente a prevaricar. Todavia se aquilo que Paulo Bento afirma é verdade, porque é que o jogador não é castigado? Para que é que existem os processos disciplinares? Será que Paulo Bento tem azar, e os jogadores "indisciplinados" lhe vêm todos parar às mãos?

Na Mata Real vimos o Sporting do costume, o qual o Leonino apelidou, e bem, de "bocejo". Como o jogo tem pouca história, resolvi apenas destacar 3 aspectos. Primeiro, referir a boa exibição de Hélder Postiga, na minha opinião o melhor elemento do Sporting em campo. Destaco também mais uma vez o número inacreditável de passes longos errados, e dar-lhe esta designação é estar a ser simpático, protagonizados por Polga, Carriço em 3 ou 4 lances nunca fez uma asneira idêntica às do brasileiro. Por último gostaria de confirmar a pouca aptidão que João Moutinho tem para as acções realizadas no último terço do terreno, o número de assistências e golos marcados comprovam-no. Parece-me por isso certa a opção de Paulo Bento, quando coloca João Moutinho noutras posições que não a de nº10.

Continua a ser inaceitável, a história do tempo que se dá de avanço ao adversário, com o próprio Paulo Bento a verificar essa situação. De quem é a culpa? Ninguém é chamado à responsabilidade? Esta postura e discurso perante a mesma já roçam o ridículo. Temos uma equipa com vários jogadores que já jogam há anos juntos, mas a ideia que dá é que só se encontram nos dias de jogo. O futebol praticado é muito pobre, no entanto há quem não se importe e apenas dê valor ao resultado. Eu como sócio do Sporting sinto-me no direito e sobretudo no dever de exigir que se "jogue à bola" em condições, indo assim de encontro àquilo que grandes equipas do Sporting fizeram no seu passado centenário. Porque, tal como na vida o dinheiro não é tudo, no futebol ganhar também não!

Nota: A ser verdade a noticia do jornal "A Bola" fica desfeito o "enigma" em relação à ausência de Miguel Veloso e Yannick na última convocatória.

Lampard_1906

Casos e mais casos...



Desde Vukcevic estar prestes a saír a baixo preço, passando pelas pressões de Rochemback junto de Paulo Bento até chegarmos às ausências de Veloso e Djaló na lista de convocatórias, ora por acção do seu empresário, ora por supostas saídas nocturas, apenas pergunto: verdadeiras ou não, qual o grupo de trabalho que não seria afectado por este tipo de notícias?

É verdadeiramente preocupante que diariamente vejamos na comunicação social - desportiva ou generalista - o nosso clube ser badalado sempre pelas piores razões. Não estará na altura de se blindar o grupo de trabalho e simplesmente brindar os senhores da comunicação social - sempre tão ávidos de sangue - com um blackout até final da época?

Para grandes males, grandes remédios...

Leonino

domingo, outubro 26, 2008

Que bocejo...



Paços de Ferreira, 0 - Sporting, 0

Estádio da Mata Real, Paços de Ferreira

Árbitro: Olegário Benquerença (Leiria)

P. FERREIRA
Cássio; Ricardo, Ozeia, Kiko e Kelly; Paulo Sousa, Filipe Anunciação e Rui Miguel; Edson, William e Cristiano.

Suplentes: Bruno Conceição, Chico Silva, Pedrinha, Leandro Tatu, Prieto, Dedé e Guedes

Treinador: Paulo Sérgio

SPORTING
Rui Patrício; Abel (Derlei), Tonel (Daniel Carriço), Polga e Grimi; Rochemback, João Moutinho, Izmailov e Romagnoli Pereirinha); Postiga e Liedson

Suplentes: Tiago, Daniel Carriço, Pedro Silva, Adrien Silva, Derlei, Tiuí e Pereirinha

Treinador: Paulo Bento


Confesso que a Sport TV anda a prestar um péssimo serviço ao futebol português: num fim-de-semana onde nos oferecem um Everton- Manchester United, um Chelsea-Liverpool ou até um Villareal-Atlético Madrid que teve 8 golos, obrigar-nos a terminar o domingo assistindo a um autêntico bocejo de jogo, revela bem - por comparação - as debilidades que o futebol português tem e a pouca atractividade do futebol que por estas bandas se pratica.

Enfim, é o que temos...

Ainda por cima, quando oiço dizer que alguns meninos futebolistas não rendem porque coitadinhos andam desmotivados, só pergunto: que dizer dos portugueses que se levantam todos os dias às 6 da manhã, que só regressam a casa à noite e que no final do mês apenas recebem um ordenado de miséria? Tenham vergonha na cara, honrem a sorte que têm por fazerem aquilo que gostam e ainda serem principescamente pagos no final do mês!

Leonino

Figura da semana





Liedson da Silva Muniz

Natural de Cairu, Bahia. Nascido a 17 de Dezembro de 1977.

Clubes representados:

Coritiba
Flamengo
Corinthians
Sporting.


Leonino

sexta-feira, outubro 24, 2008

Liedson na selecção: Sim ou Não?



















Devo esclarecer que não sou grande apologista da integração de jogadores estrangeiros nas selecções nacionais. Este é um expediente que levado ao extremo proporciona situações caricatas como a da selecção Italiana de futsal que disputou o campeonato do mundo no Brasil com uma equipa composta por jogadores brasileiros naturalizados.
Estes são expedientes que podem desvirtuar as competições. Contudo é um expediente legal que pode ser utilizado enquanto o organismo máximo do futebol (FIFA) permitir que tal aconteça.

Relembro que até selecções fortes e ganhadoras como a Alemanha, Itália e a própria campeã da Europa Espanha utilizam esta prerrogativa.
Não fugindo à regra que pulula por essa Europa também a nossa selecção integrou no seu seio jogadores naturalizados.
Como acontece com a maioria das selecções europeias integrámos jogadores brasileiros.
Talvez o nosso caso seja um pouco diferenciado porque estes jogadores fizeram uma grande parte da sua formação em Portugal.
No meu ponto de vista a integração de Deco justificava-se depois da saída de Rui Costa, a nossa selecção ficaria órfã no que toca a um excepcional organizador de jogo.
Para não falar na categoria extra e no futebol perfumado que Deco traz a esta selecção.
Já a integração de Pepe é muito mais discutível porque esta não é uma posição em que estivéssemos carenciados.

Numa análise a esta selecção parece-me que as posições de maior carência são a de lateral esquerdo e de avançado goleador.
É nesta perspectiva que se enquadra a possível integração de Liedson na selecção portuguesa. Tornou-se um jogador extremamente prolífico ao longo dos anos que actua no nosso campeonato.
Temos vários avançados no futebol português mas nenhum com as suas características e tão letal dentro da grande área.
Tal como Manuel Fernandes também eu aconselharia o seleccionador nacional a convocar Liedson. Também acho que seria uma mais-valia para a selecção como afirma Rogério Alves.
Contudo existe quem tenha muitas dúvidas e levante algumas objecções.

Tornando-se ou não jogador da selecção nacional espero que continue a representar o Sporting e que prolongue o seu contracto que termina em 2010.
Eu formulo o mesmo desejo que o capitão Manuel Fernandes: “Que Liedson termine a sua carreira no Sporting”.



Verde CDV

quinta-feira, outubro 23, 2008

Afinal...

É assim que se ganha a ucranianos. Sporting style!

O que nos faltava mesmo era Liedson.

Gia

quarta-feira, outubro 22, 2008

Liedson entra na galeria dos históricos



Shakhtar, 0 - Sporting, 1

Garra, querer, concentração, espírito de sacrifício, entreajuda... e a classe de Liedson: estes foram os ingredientes que nos permitiram cozinhar uma bela vitória na Ucrânia - no terreno de um adversário muito complicado e que tanto havia feito sofrer o Barça - estando assim o Sporting a um passo de um feito histórico - chegar aos oitavos da Champions.

1.º Barcelona, 9 pontos
2.º SPORTING, 6 pontos
3.º Shakhtar, 3 pontos
4.º Basileia, 0 pontos

Destaque imenso para Liedson que marcou o valiosíssimo golo e que assim se tornou no nosso maior goleador nas competições europeias, entrando definitivamente na galeria de históricos do nosso clube. Só a sua presença, mesmo que ainda esteja longe do ritmo desejado, dá logo maior motivação e confiança aos colegas.

O Sporting não fez uma grande exibição, mas soube defender bem, neutralizar as movimentações dos talentosos brasileiros do adversário, tentando sempre desferir o contra-ataque por Liedson e Derlei, mesmo que as oportunidades tenham sido poucas. Valeu a eficácia!

Confesso que gostei pouco do nosso meio-campo, Rochemback não me impressiona, mas quando Izmailov e Romagonli saíram, entrando Pereirinha e Grimi, este para travar o talentoso Srna (grande jogador!), com a passagem de Moutinho para a sua posição predilecta no vértice mais avançado do losango, a equipa melhorou e ganhou maior ligação entre os sectores.

A equipa está de parabéns, na próxima jornada recebemos os ucranianos, pelo que se vencermos - o que não será nada fácil - estamos praticamente nos oitavos: Alvalade tem que encher para levarmos os nossos jogadores ao objectivo que todos queremos atingir!

Leonino

Sporting- FC Porto



E pronto, já está: vamos ter mais um Sporting-FC Porto, muito em breve.

O sorteio da quarta eliminatória da Taça de Portugal - hoje realizado - ditou mais um clássico entre as duas melhores equipas portuguesas, sendo mesmo uma final antecipada entre leões e dragões.

O jogos está marcado para 9 de Novembro, estando aqui uma óptima oportunidade para apagar a memória do último jogo realizado entre ambos no nosso estádio e para reeditar o desfecho de Maio último, no Jamor.

Leonino

E se fosse Rui Patrício?


















Não perco os jogos da Champions e ontem lá estava eu a assistir a mais uma partida. Não, não estava a ver o Porto, porque normalmente só vejo os jogos do Sporting e alguns estrangeiros. Ontem estive a ver o jogo do meu clube de predilecção além do meu clube de coração. Gosto do Manchester United não somente por Cristiano Ronaldo e Nani, mas porque me habituei a ouvir falar da fantástica equipa inglesa que o Sporting cilindrou na sua caminhada para a conquista da Taça das Taças.
Estava a ver este jogo e a ouvir a marcha do marcador nos outros campos, para meu espanto ouço o repórter da Sport TV anunciar que o Porto perdia por um zero. Final das partidas e a confirmação da derrota do Porto
Ligação ao estádio do dragão e entrevistas pós jogo e começo a ficar desconfiado com o discurso do repórter: “Foi um golo esquisito, a bola fez uma trajectória estranha, etc., etc.…”
Bem já estava em pulgas para ver um golo tão estranho e mais intrigado fiquei quando o guarda-redes nem foi questionado sobre o tal golo estranho.
Depois lá veio o tal golo esquisito e com uma trajectória estranha (talvez em ziguezague) que eu só posso chamar de “frango” num português perceptível e sem paninhos quentes. Os guarda-redes de nome Espírito Santo com mais de 20 anos de carreira também dão “grandes casas” com enorme prejuízo para o nome de Portugal.
Agora têm a sorte de estarem protegidos por uma imprensa amiga que é benevolente, subserviente e que sabe contra quem pode arremessar pedras.
Como diria um amigo meu: “O respeitinho é muito bonito!”.


Esperemos que mais logo Rui Patrício e sobretudo Liedson consigam fazer a diferença contra o Shaktar. Liedson regressou aos golos fantásticos em Leiria e readquiriu a sua veia goleadora. Que assim continue para poder bater o recorde do mítico capitão Manuel Fernandes.
Este pode ser um encontro decisivo para a passagem á próxima fase, pois se o Basileia perder, o 2º lugar será disputado entre Sporting e Shaktar. Assim um resultado positivo poderá abrir as portas da qualificação.
Como salientou o treinador, primeiro vamos á procura da vitória e se não for possível que venha o empate.
Devo recordar os mais distraídos que o jogo do Sporting não merece honras de transmissão em alta definição na Sport TV1. Essa distinção é para um clube que equipa de azul e que por acaso joga no campeonato inglês.
Assim o jogo do Sporting tem transmissão na Sport TV2 ás 19h 45m. Esperemos que também seja em alta, mas em alta voltagem e com um resultado a corresponder, pois as memórias recentes da Ucrânia são óptimas.


Já agora outra lembrança, mais logo por volta das 15h o Sporting defronta o Mafra na estreia da Liga Intercalar. O confronto terá lugar na Academia Sporting/Puma com entrada gratuita para os sócios.



Verde CDV

terça-feira, outubro 21, 2008

A era Paulo Bento
















Faz hoje precisamente três anos que Paulo Bento comanda a equipa do Sporting. Depois de uma saída atribulada de José Peseiro e com um campeonato de juniores ganho na primeira época como treinador Filipe Soares Franco apostou neste ex jogador do clube.
Viu nele a continuidade do projecto inovador e ambicioso lançado na Academia do Sporting. Uma aposta com riscos mas lógica pois Paulo Bento seria o mais apto a lidar com os jovens emergentes da formação.
Não podendo contratar técnicos de renome internacional recorreu á prata da casa para dar continuidade a uma aposta na juventude. Aposta totalmente ganha com o lançamento de novos talentos a par de uma equipa formada maioritariamente por portugueses.

Nunca foi um treinador consensual entre os adeptos sportinguistas pois muitos não lhe reconhecem experiência suficiente para treinar um clube desta dimensão.
Nunca foi um treinador muito bem quisto na imprensa nacional por causa da sua frontalidade e por não pactuar com determinadas coisas.
Esta é a mesma imprensa que conseguiu passar para a opinião publica um Paulo Bento sempre azedo e conflituoso que não sabe mais nenhuma táctica além do losango e outras patranhas ainda mais graves que foram sendo assimiladas por muitos sportinguistas e que hoje se tornaram verdades inelutáveis, pelo menos para alguns.

O meio futebolístico é cruel e assemelhasse a um rolo compressor e quem não tiver atitude, carácter, pulso firme e convicções arreigadas não pode resistir e sobreviver.
Pode é correr o risco de ser vexado e enxovalhado como aconteceu recentemente com um ex treinador do Sporting.
Portanto aqueles que teimam em ser rígidos, disciplinadores e que contestam o status quo instalado são apontados e mais tarde ou mais cedo pagam caro por essa insubordinação.

Não foi um reinado perfeito nem isento de criticas. Foi feito de altos e baixos contudo os altos superam os momentos menos conseguidos (ver aqui).
Mais que quaisquer elogios ou críticas os números falam por si como aqui se pode comprovar.
Também eu tenho criticas a apontar mas encontro mais virtudes que defeitos. Aceitou comandar um projecto de risco com todas as suas inerências e apesar da sua inexperiência foi capaz de ganhar mais troféus em três anos que nos vinte e cinco anos anteriores.
Conseguiu restaurar o espírito ganhador que muita falta fazia a esta equipa. É um facto indesmentível que o futebol apresentado não é o mais belo do mundo mas a um treinador exige-se sobretudo vitórias e troféus e felizmente esses não têm faltado.

Assim no final desta época vai fechar-se o ciclo de Paulo Bento á frente desta equipa.
É minha convicção que dificilmente continuará no Sporting conquiste o campeonato ou não.
Primeiro a intolerância dos adeptos é por demais evidente, depois já se pode alcandorar a outros voos porque alcançou alguma notoriedade e tem mercado no estrangeiro.
Por ultimo deve ser-lhe difícil compreender que em Portugal se continue a não gostar do que é genuinamente português e se bajule e idolatre todo o que vem de fora.


Que tenhas toda a sorte do mundo á frente da equipa do Sporting porque o teu sucesso será a nossa glória.



Verde CDV

segunda-feira, outubro 20, 2008

Aqui não se vendem jornais.

Aqui não se vendem jornais. E pelas contas do Leonino as coisas em termos de audiências até vão muito bem. Por isso o que me merece destacar da chegada tardia de Vukcevic é a confirmação do motivo da seu atraso e das palavras de Paulo Bento “o jogador fez um contacto com o departamento a dizer que estava com febre e não podia viajar e é a versão em que nós acreditamos”. Claro que se tivesse um jornal para vender preferiria destacar “Não sou médico, não estava em Montenegro, e também não trabalho no aeroporto para saber onde é que ele está. Não sou espião, sou treinador do Sporting”. Qualquer sportinguista alarmado ou os nossos adversários satisfeitos com mais um “caso” são capazes de prescindir de uns cêntimos para se inteirarem das notícias. Não sei se vai haver ou não continuidade do caso Vukcevic e nem sequer espero pela convocatória para o jogo de Donetsk. As coisas são bem claras: o jogador se quiser jogar tem que treinar. Se não quiser continuar no Sporting tem uma cláusula de rescisão para pagar e boa sorte. Não dou crédito a rumores de jantares com representantes de clubes adversários. Contactos com intenção de contratar um jogador são feitos em sigilo. Para desestabilizar são feitos em público e não serei eu a dar-lhes força.

Joga-se esta semana uma grande parte da nossa sorte no caminho da afirmação europeia pretendida para esta época. A deslocação à Ucrânia reveste-se de enorme importância por se tratar do jogo com um adversário que nos pode roubar o sonho de alcançar o 2º lugar. Quarta-feira não há lugares para hesitações, contemplações ou meio jogo de avanço. Os resultados dos jogos disputados até agora parecem indicar que a decisão poderá depender dos jogos que se disputarão entre nós e os ucranianos e que ainda por cima serão seguidos. A Ucrânia é demasiado longe e onde não existe uma comunidade lusa que possa dar apoio. É a altura deste grupo de trabalho mostrar até onde se pode contar com eles.

Não gostei do que vi em Leiria. Mas a verdade é que esse jogo já terminou e seguimos caminho e esse faz-se caminhando. Eu continuo persistentemente fiel ao principio de que é preferível ser sportinguista no excesso de tanto acreditar do que descrer por defeito.

verdão(sl)

sábado, outubro 18, 2008

Bastaram os serviços mínimos... e Liedson



U. Leiria, 0 - Sporting, 1

União de Leiria: Fernando, Márcio (Pateiro, 44), Wagnão, Luiz Carlos, Patrick, Tiago, Marco Soares, Luís Manuel (Vanderlei, 81), João Pedro, Ouattara (Pedro Cervantes, 57) e Cássio.

Suplentes: Ricardo, Pateiro, Paulo Vinicius, Correa, Bruno Miguel, Pedro Cervantes e Vanderlei.

Sporting: Tiago, Pedro Silva (Abel, 91), Anderson Polga, Tonel, Grimi, Miguel Veloso, João Moutinho, Izmailov, Romagnoli (Rochemback, 78), Hélder Postiga (Derlei, 71) e Liedson.

Suplentes: Ricardo Batista, Carriço, Derlei, Yannick, Bruno Pereirinha, Rochemback e Abel.

Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco).

Acção disciplinar: Cartão amarelo para Tiago (65) e Luiz Carlos (73).

Assistência: 3.586 espectadores.

Marcador: 0-1, Liedson, 30 minutos.


Leonino

Nao estou de acordo e prontos!!


Ontem no Correio da manha!

– Admite que a equipa não joga bem e por isso não chama público aos jogos?

– Jogamos mal, está na moda dizê--lo.

Queremos ter qualidade durante mais tempo e sermos menos intermitentes. Se for por não sermos campeões, aceito que não venham. Se for pela falta de títulos nos dois últimos anos, já não estou tão de acordo.

O Sporting, nos últimos 25/30 anos, se calhar não ganhou muito. Jogava melhor, talvez. Encantava mais.

É uma opinião. Prefiro encantar menos e ganhar qualquer coisa do que encantar muito e não ganhar nada. São filosofias, e vou com a minha até ao fim. Depois, eu e a minha equipa seremos avaliados.

Eu discordo, sei que muitos nao sao da minha opiniao mas eu depois de um jogo mal jogado e de uma vitoria ao vir para casa venho com uma sensacao de desilusao e frustacao e quase sempre digo para mim, se ao menos tivesse-mos perdido eles tinham que rectificar o que fizeram de errado assim pensam que fizeram tudo bem so porque ganharam.

A quanto tempo nao vemos a nossa equipa a "JOGAR BONITO" aquele futebol que traz os adeptos ao estadio, quem e que gosta de ir ver o jogo e passar mais tempo a refilar com os jogadores do que apoia-los pelas exelentes jogadas.

So mais uma coisa, eu tambem sou daqueles que depois de um bom jogo da minha equipa e um empate ou uma derrota bato palmas e grito de alegria pela exebicao conseguida.

SL

The Best One

sexta-feira, outubro 17, 2008

Venha a Taça!



















Depois de um longo interregno para compromissos da nossa selecção temos de volta as competições nacionais.
Após levarmos dois murros no estomago esperávamos que a selecção servisse de paliativo mas nem isso conseguimos ter, portanto é hora de inverter este ciclo negativo.
Amanhã vai começar verdadeiramente a Taça de Portugal com a inclusão das equipas da 1ª e 2ª Liga. Não temos confrontos entre clubes da 1ª Liga mas temos alguns confrontos interessantes a começar pelo União de Leiria – Sporting que se disputa amanhã pelas 20h com transmissão televisiva na Sport TV1.

Temos uma deslocação que não se afigura fácil, pois todos nos lembramos do último confronto em Leiria e das marcas traumáticas que deixou.
Apesar disso o Sporting parte para esta competição com legitimas aspirações a ganhar o troféu não fosse o actual detentor.
Esperasse uma equipa com outra alma e com outra chama muito diferente da dos últimos desafios. Deseja-se que a subida de forma de uns e que a motivação da estreia de outros seja suficiente para levar de vencida este opositor.
Assim este é um desafio propício para lançar alguns jogadores e dar minutos aos que pouco têm actuado.
É com enorme expectativa que aguardo a estreia do jovem Daniel Carriço porque fiquei deveras agradado com a sua exibição ao serviço da selecção de sub-21. Onde demonstrou uma enorme aptidão para a função e um sentido posicional apuradíssimo aliando a tudo isso uma técnica acima da média.
Também se aguarda o desempenho de jogadores como: Tiago, Pedro Silva, Adrien e Tiuí (herói da ultima Taça de Portugal), para aquilatar da sua possível inclusão no lote de convocáveis para mais um ciclo terrível que se inicia.


Duas notas finais:

- O regulamento do Congresso foi aprovado pelo Conselho Leonino e posteriormente será levado a votação em AG.
Mesmo para aqueles que afirmam que será um evento destituído de sentido e que não servirá para alterar nada peço que não deixem de participar e emitir a vossa opinião.

- Gostaria de chamar a vossa atenção para este artigo que ilustra bem a enorme influência de João Moutinho em toda a orgânica do futebol sportinguista.



Verde CDV

quinta-feira, outubro 16, 2008

E agora Portugal?



















Com a paupérrima exibição de ontem a nossa selecção pode ter colocado em causa a qualificação para o Mundial de 2010.
Uma primeira parte muito fraquinha e jogada a ritmo bastante lento não augurava nada de bom.
O que se confirmou numa segunda parte jogada sobretudo com muito coração e pouca cabeça.
Este resultado é fruto de uma sobranceria extrema perante um adversário efectivamente mais fraco, mas resulta muito mais do mar de equívocos com que esta equipa viveu ao longo dos 90 minutos.

O mais grave desta situação prendesse sobretudo com a perca de 5 pontos em nossa casa. Tornando as contas extremamente complicadas e o apuramento uma tarefa cada vez mais difícil.
Não sendo tarefa impossível temos contudo que recuperar estes pontos em terreno alheio. Não se afigura fácil porque temos duas deslocações muito complicadas á Dinamarca e Hungria.

Poderia desfiar aqui um mar de criticas a Carlos Queiroz e aos jogadores da nossa selecção, contudo não o vou fazer.
Aproveito somente para deixar um apelo aos jogadores: “Não desistam e entreguem-se a 100% porque nada está perdido. Será difícil e complicado mas vocês têm capacidade de sobra para o conseguirem”.
Se Portugal não se qualificar para o Mundial de 2010 será um grande retrocesso para o nosso futebol e uma tremenda desilusão para os portugueses.



Verde CDV

quarta-feira, outubro 15, 2008

Contas aprovadas

Decorreu ontem mais uma Assembleia Geral para aprovar o relatório de gestão e contas referente ao exercício que terminou em 30 de Junho de 2008.
Esta AG contou com a fraca participação dos sócios que se traduziu no número de 130, correspondente a 1.048 votos. Este relatório colheu 806 votos a favor (76,91%), 101 contra (9,64%) e 141 abstenções (13,45%).

Antes de analisar estes números queria deixar aqui alguns considerandos prévios.
Primeiro queria desmistificar esse rumor que circulou pela blogosfera de que esta era uma AG marcada ás escondidas para que a suposta oposição não estivesse presente.
Não conheço os estatutos do clube e não sou perito em legislação portanto não posso confirmar ou desmentir que os possíveis interessados (somente sócios com as quotas em dia) têm de tomar conhecimento da mesma com 8 dias de antecedência.
Contudo é público e notório que todos sabíamos; pelo menos a partir de dia 10 de Outubro (ver aqui), qual o dia em que se ia realizar a AG.
Concordo plenamente com aqueles que se insurgem por não ver a sua publicitação com mais antecedência no sítio do clube.
Mas dia até fazerem afirmações gratuitas e destituídas de verdade vai um grande passo.

Outro ponto que queria dar nota prendesse com certos argumentos que volta e meia são lançados para a blogosfera e que são desenterrados quando são mais convenientes e servem os interesses de alguns.
Falo da ideia de cada sócio ter somente direito a 1 voto nas decisões dos clubes, acabando com a correspondência do numero de anos de sócio com o numero de votos.
Actualmente e ao que consta todos os clubes sem excepção; se estiver equivocado que me corrijam, utilizam este método nas suas votações, pois deriva dos seus estatutos.
É um assunto deveras interessante e que merecia um amplo debate noutro tempo e local.
Para uns é uma regra discriminatória, enquanto outros afirmam que premeia a fidelidade ao clube. Compreendo os argumentos de ambos os lados mas parece-me que se divide os sócios em: sócios de 1ª e de 2ª.
O que não aprovo é que se usem estes argumentos somente em determinadas alturas e contra certas pessoas e que ainda se façam apelos hipócritas.

É bastante triste verificar que este relatório foi aprovado por uma grande maioria mas que essa maioria foi conseguida com somente 130 sócios.
Mesmo com a desmobilização não deixa de ser uma maioria esmagadora.
Existem vários factores que podem ter contribuído para este acontecimento. Desde logo a marcação para o meio da semana, para quando AG´s somente á sexta-feira.
A deficiente divulgação e a pouca antecedência com que foi publicitada. O fraco interesse do tema apresentado, pelo menos a ver pela fraca adesão.
O que me intriga é que os críticos atentos de Soares Franco não tenham conseguido angariar mais apoios e mais votos para obviar a mais um acto de gestão ruinosa, pelo menos segundo as suas opiniões.
Não se podem escudar no argumento da data e da falta de informação, talvez como já li algures não tenham consigo os sócios com mais poder de voto.
Pergunto-me se os mesmos que no Pavilhão Atlântico conseguiram obviar a aprovação total do projecto proposto por Soares Franco estarão também eles a sofrer um processo de desmobilização. Porque alguns movimentos nascidos na blogosfera conseguiram e com mérito arregimentar muitos sócios para a sua causa mas agora devem ter achado que o prejuízo apresentado não é preocupante ou estará bem justificado e portanto não merece a sua contestação.
Talvez esteja aqui a explicação para tamanha desmobilização e para a aprovação por larga maioria. Contra factos evidentes e óbvios não existem argumentos.



Verde CDV

terça-feira, outubro 14, 2008

A importância dos símbolos
























Todas as equipas precisam de ter um símbolo que represente em campo a sua personalidade, a sua entrega e o seu carácter. Como tal o nosso clube não foge a esta regra.
Sei que vou proferir uma frase polémica mas faço-o na mesma e com a plena convicção do que afirmo.
O símbolo maior desta equipa é o nosso capitão João Moutinho.
È um dos jogadores com mais anos de casa apesar de ser dos mais jovens do plantel. Fez toda a sua formação no Sporting e nunca precisou de sair do clube para se afirmar.
A sua transição de júnior para sénior foi exemplar e cedo ganhou a titularidade neste plantel. Onde impôs sempre toda a sua categoria aliada a uma entrega e perseverança impares.
Para se perceber a sua importância nesta equipa basta ver que mesmo actuando fora das posições preferenciais atinge sempre alto rendimento.
Teve uma afirmação infeliz e despropositada no tempo e local. Mas só se compreende a sua repercussão e amplificação por ser quem é e por representar o que todos sabemos.
Depois de passar esta onda de choque continuo a afirmar que este jovem; com todas as suas virtudes e defeitos, deveria servir de modelo a muitos outros que frequentam as nossas academias.


Existem outros símbolos importantes no Sporting e o maior de todos é personificado pelos seus adeptos que o amam e idolatram.
Hoje numa entrevista á Antena1 Soares Franco fez um apelo que tenho vindo a fazer neste blogue. Não querendo parecer chato e repetitivo vou reiterar esse apelo.
Não estaremos nós dispostos a ajudar o clube que tanto amamos, porque como símbolos também temos a obrigação moral de contribuir.
Não será possível dar um contributo precioso numa altura difícil, pois iremos contribuir somente em favor do clube e não de A ou B.
Será pedir muito que cada adepto se transforma num sócio e que despenda a quantia de 55€ por ano ou seja menos de 5€ por mês para tornar o clube ainda maior.
Nós que criticamos e que fazemos determinadas exigências também temos de fazer parte da solução.



Verde CDV

segunda-feira, outubro 13, 2008

Terceira via

Agora que se regista mais um longo interregno no campeonato e em que os nossos espíritos estão mais apaziguados gostaria de partilhar uma reflexão convosco.
Ainda que continue tão ou mais chateado que este amigo ou ainda que gostasse de fazer este apelo, contudo hoje quero falar de outro assunto.
Assunto muito importante e que deveria preocupar seriamente todos os sportinguistas empenhados porque além do bom ou mau futebol praticado, além de discutir o treinador existem outros valores e opções a tomar que serão muito mais determinantes para o futuro do clube.

Claro que é sempre gratificante ganhar e conquistar títulos, mas independentemente disso existem outros factores em jogo e esses é que vão determinar o rumo futuro.
O que me preocupa seriamente nem são tanto as conquistas no imediato é mais a falta de alternativas e projectos para um futuro melhor.
A poucos meses das eleições angustia-me bastante a falta de alternativas a esta direcção.
Porque também acho que esta alternativa já mostrou á saciedade que não serve para comandar os destinos desta grande instituição.
Não discuto a pessoa e os seus méritos passados no clube, discuto e ponho em causa os seus métodos pouco ortodoxos.

Por isso faço alusão a uma terceira via que gostaria muito de ver aparecer e candidatar-se á presidência do nosso clube, contudo o tempo urge e não a vislumbro.
Nesta conjuntura económica difícil e numa altura de alguma descrença sportinguista seria de extrema importância que aparecesse um projecto inovador e revigorante.
Na minha perspectiva precisamos de um grande timoneiro que reúna as características de um João Rocha eclético e ganhador, de um Sousa Cintra mobilizador de massas e de um Soares Franco financeiramente rigoroso.
Talvez seja pedir muito pois este é o conceito de um super presidente, contudo para o meu clube quero sempre o melhor.
Será que entre tantos sportinguistas não haverá esse tal homem que traga o tal projecto inovador e que faça renascer aquela mística sportinguista de outros tempos.


PS: Este post foi escrito antes das entrevistas dadas por Soares Franco mas depois desta declaração: “Nunca tive da parte de nenhum membro que seja face visível da oposição a apresentação de um projecto de alternativa. Corro o risco de ser injusto. Mas acredito que se o Sporting não tivesse tomado as medidas que tomou há três anos, hoje, face à realidade actual do mundo, podia estar em riscos de estar numa situação muito parecida à que esteve o Boavista, o incumprimento total das suas obrigações.” tornou-se ainda mais actual.


POR UM SPORTING SEMPRE MAIOR!



Verde CDV

domingo, outubro 12, 2008

Notas das entrevistas de Soares Franco

Em relação às entrevistas dadas por Soares Franco, presidente do Sporting, à comunicação social, aqui ficam algumas notas finais que considero relevantes:

Entrevista ao Diário Económico:

- De acordo com Soares Franco, as questões que mexem com a estrutura organizacional do Sporting devem ser votadas por referendo, medida da qual não faz a mínima ideia se pode ou não ser bem sucedida junto dos sócios.

- Refere que o Sporting ganhou a Taça da época passada, o Torneio do Guadiana, os primeiros três jogos da Liga e estava em primeiro lugar, e não houve uma reacção positiva a estas manifestações de êxito.

- Sobre a possível venda de jogadores, referiu que o ano passado não vendemos nenhum e que não é natural que consigamos manter-nos dois anos consecutivos sem vender. Sendo que, até porque os activos valorizam-se e têm mercado, e eles próprios querem mudar.

- Este Conselho Directivo, como órgão de gestão das empresas do Sporting, futuramente tem que ser remunerado. Refere que não faz sentido nenhum pessoas que dão 50% e 60% do seu tempo ao Sporting o façam numa base de voluntariado...



Entrevista ao DN:

- O Sporting tem 94 mil sócios e só cerca de 55 mil é que são pagantes. Destes, só à volta de 30 a 35 mil é que são sócios efectivos, com mais de 18 anos de idade.

- Sobre os preços dos bilhetes para os jogos do Sporting em Alvalade, refere que os proveitos têm de adequar-se aos custos. Não existe elasticidade nos custos do Sporting, tem que ter-se uma boa política, agressiva, de receitas, segundo Soares Franco.

- Sobre a tal falta de militância sportinguista, fico-me por este exemplo dado por Soares Franco: Irá um sócio do Sporting ver um jogo a Braga num domingo às 21h00? Nem Soares Franco vai , e é o presidente, referindo se no dia a seguir tiver uma obrigação às nove da manhã, no clube.

- Em relação à visão sobre o SCP, refere que deve ter as modalidades e um conjunto de receitas. E todo o resto do património afecto ao futebol profissional deve ser integrado na SAD, mesmo que isso implique que o SCP perca a maioria da SAD.

- Acha Paulo Bento um excelente profissional em todas as suas componentes. Na competência, na dedicação, no espírito de missão, na disciplina, na autoridade, na motivação, acha-o um treinador completíssimo.

- Não conhece em profundidade, o dossier do Apito Dourado, não se sentindo com as melhores condições de se pronunciar efectivamente sobre ele.

- Sobre o assistir aos jogos ao lado de Pinto da Costa, referiu que essa excepção foi criada pelo presidente do Porto, o ano passado. E que resolveu mantê-la.



Entrevista ao desportivo Record:

- Lamenta a fraca afluência de público ao estádio. A fraca qualidade do espectáculo oferecido pode ser uma das razões, segundo Soares Franco.

- Sobre uma notícia que dizia que o FC Porto tinha sondado o Vukcevic, desta última vez, disse mesmo a Pinto da Costa que ele escusava de lhe ter ligado, pois partia do princípio que o FC Porto não teria aquela postura para com o Sporting. Disse-lhe mesmo, e ele concordou, que se a notícia fosse verdadeira não valeria a pena falar com Soares Franco, pois as relações teriam terminado ali. Espera, aliás, que não voltem a conversar por causa de situações destas pois o Sporting nunca agiria desse modo e naturalmente parte do princípio que o FC Porto, ou qualquer outro clube, também não.

- Para Soares Franco, o Sporting tem de chegar mais longe e portanto tem de activar os sportinguistas adeptos que estão espalhados pelo país e pelo Mundo fora. Refere que não se pode pedir que sejam sócios efectivos do Sporting, uma vez que não podem desfrutar de serem membros efectivos do Sporting, pois não têm a possibilidade de participar na vida associativa do clube e porque não vêm a jogos.

- O Conselho Directivo do Sporting também deveria ser reduzido, talvez para cinco elementos, pois não faz sentido que seja composto por onze. Ou então optar por um Conselho Directivo mais alargado mas composto por elementos executivos e não executivos. Só agora se apercebe que o Sporting ganharia muito se todas as sociedades tivessem sempre administradores elementos do CD.

- Ainda existe muita gente que quer apurar e ajustar contas do passado e imputar responsabilidades. Soares Franco refere que não contem com ele nesse filme, dizendo que não entra nele nem como actor nem como espectador.



Uma última referência, para a subida de forma de J. Moutinho que hoje esteve ao nível daquilo que normalmente faz bem - que é jogar futebol - apesar de Portugal não ter conseguido alcançar a vitória, mercê também de um árbitro que não marcou um penálti a favor de Portugal de uma "forma" tipicamente italiana.

Lion King

sexta-feira, outubro 10, 2008

Polémico?

Agora que já todos leram as entrevistas (devo ressalvar que quando fiz a minha, na quarta-feira, não fazia a menor ideia do que seria abordado pelos meus colegas. Portanto se são cópias, como alguém diz, é sinal de coerência) vou tecer alguns comentários.
Parece-me que FSF tem algo a que nós, jornalistas, não estamos muito habituados: franqueza. Daquela que dá manchetes inoportunas. Confesso que estou farta dos discursos redondos, em que ninguém se compara a ninguém, em que há pruridos em tudo, o favorito é sempre o outro, estamos a vender dentro das expectativas mas não revelamos quanto, etc. Se mais crédito nenhum lhe dermos, FSF tem esse: assume quando a coisa dá para o torto.
Se querem que vos diga, não acredito lá muito que se recandidate. Não vê que esteja a ser bem aceite no clube e não se vai colocar numa posição em que ande mais uns anos a ser contestado. Quando saí do edifício Visconde de Alvalade, dei por mim a pensar: quem de seu perfeito juízo quereria ser presidente do Sporting? Um clube com um passivo monstruoso, adeptos que se fartam de criticar toda a gente mas pagar as quotas que é bom nada e um enguiço histórico no que a ganhar campeonatos diz respeito.

Não é tudo perfeito neste clube, longe disso. E as pessoas são isso mesmo - pessoas, que fazem coisas bem e coisas más como cada um de nós nas nossas profissões. Mas desde quando ser do Sporting é fonte de amargura? Isso, não entendo.

Gia

Entrevistas de Soares Franco

O presidente Filipe Soares Franco aborda hoje a vida do Sporting Clube de Portugal em três entrevistas a jornais nacionais.
Vamos fazer uma resenha dos temas que nos parecem mais importantes e que suscitam mais controvérsia entre a família sportinguista.

A sua recandidatura não é tabu e a sua decisão deverá ser anunciada no primeiro trimestre de 2009, espaço temporal em que acontecerá o tão desejado congresso.
Segundo ele a avaliação dos adeptos pode ser bastante positiva quanto ás promessas eleitorais cumpridas quase integralmente, com o grande senão do pavilhão novo.
Contudo assume integralmente as culpas de não conseguir cativar a massa adepta e o rotundo fracasso da campanha de angariação de sócios e do decréscimo de vendas das gameboxs e das assistências.

Se concorrer vai tentar comunicar melhor e fazer passar melhor a sua mensagem talvez através de campanhas televisivas. Tentar trazer a família sportinguista ao estádio, contudo espera que os sportinguistas percebam que têm de ser mais militantes e aderir mais para serem melhores e maiores.

Considera que o divórcio existente entre o clube e a os adeptos não se deve a factores desportivos mas meramente a uma falta de empatia com este projecto e com estes dirigentes.
Faz uma avaliação negativa do seu desempenho e considera um fracasso não conseguir implementar um militantismo maior no clube.
Para haver mais militantismo seria necessário apresentar um futebol mais atractivo mas no imediato existem limitações orçamentais que obstam a tal pretensão.

Quanto ao preço dos bilhetes não os considera muito caros em comparação com os outros grandes e acha que o preço da gamebox é bastante competitivo.
Discorda em absoluto dos horários dos jogos do Sporting mas está vinculado aos direitos televisivos da Liga.
No que ao canal de TV diz respeito é um assunto em aberto, mas que não terá um desfecho a curto prazo.

Quanto ao futuro do Sporting considera que se deve fazer um debate entre a opção de modalidades amadoras ou profissionais. Lançando o tema na base do futebol como modalidade nobre ter de suportar os prejuízos inerentes a essas modalidades.
Considera que o clube só será viável quando atingir um passivo na ordem de 120/130 milhões de euros, pois de outro modo os encargos com juros serão insuportáveis.
Uma novidade é a possibilidade de auscultação dos sócios do Sporting através de referendos a realizar nos núcleos.

No que toca á oposição transcrevo na íntegra as suas palavras: “Nunca tive da parte de nenhum membro que seja face visível da oposição a apresentação de um projecto de alternativa. Corro o risco de ser injusto. Mas acredito que se o Sporting não tivesse tomado as medidas que tomou há três anos, hoje, face à realidade actual do mundo, podia estar em riscos de estar numa situação muito parecida à que esteve o Boavista, o incumprimento total das suas obrigações.”

Já no que ao futebol diz respeito reitera a sua ideia de que Paulo Bento é um óptimo gestor e continua a confiar no êxito desportivo. Mesmo não ficando no Sporting futuramente gostaria de continuar a ver Paulo Bento á frente da equipa de futebol.
Não concebe assobios aos 15/20 minutos de jogo e gostaria que os adeptos se pronunciassem no final dos jogos.
Na perspectiva de presidente do clube e não de mero adepto não consegue analisar com isenção o futebol praticado pela equipa.

Quanto aos casos Moutinho e Vukcevic diz que não interfere nesses assuntos, sendo que são competências do treinador e director desportivo.
Contudo acrescenta que os contratos são para se cumprirem e que as duas partes estão obrigadas a determinadas premissas.
Já no caso Stoi afirma que o jogador não se integrou bem no grupo de trabalho e assume que foi uma contratação falhada. Foram dadas todas as oportunidades ao jogador para resolver o seu futuro e este não aproveitou como tal foi novamente reintegrado.
Neste seguimento deixou bem vincado que acredita bastante em Rui Patrício.

Para finalizar falou do sistema vigente que não funciona correctamente e que precisa de ser alterado e da criação prioritária de um Tribunal arbitral do desporto.
De como o Sporting foi o único clube que avançou com um projecto para modificar o regulamento disciplinar e de como uma maioria vetou liminarmente esse projecto inovador.


Espero ter conseguido abordar os assuntos mais interessantes das várias entrevistas, contudo posso não ter colocado o enfoque em algum assunto que considerem importante e como tal tenho de pedir humildes desculpas por tal facto.
Assim num espaço que se quer aberto e de debate não se acanhem e lancem para a discussão outros temas que achem importantes.




Verde CDV

Meo Sporting?

Recebi há dias um mail proveniente da Rede S3G, muito gostam eles de arranjar este nomes bonitos, no qual davam conta de "vantagens exclusivas para sócios do Sporting" na adesão ao Meo.

Ora, apesar de em principio não estar interessado em aderir, lá fui eu ver quais eram então as vantagens para nós, sócios do Sporting. Existia então uma proposta que englobava vários serviços e que tinha uma mensalidade no valor de 49,54€ durante 12 meses, após este período o valor subiria 4,90€. Era também referido que ofereciam a 1ª mensalidade, bem como a instalação e activação do serviço.

Até aqui tudo bem, no entanto para aferir das reais vantagens de que beneficiaríamos em relação aos demais, fui ao site do Meo verificar quais eram os preços praticados para um serviço semelhante ao que me havia sido proposto.

Eis que verifico que o preço era exactamente o mesmo, com a mesma história do desconto de 4,90€ no primeiro ano, e que também ofereciam a 1ª mensalidade, a instalação e a activação.
Ao procurar bem, tanto num lado como no outro, a única diferença que consegui encontrar prendia-se com os prazos de adesão, existia uma diferença de 15 dias. Será esta a grande "vantagem exclusiva" que os sportinguistas têm?? É com estas vantagens que os sócios do Sporting "recuperam largamente o dinheiro gasto em quotas" como foi dito pelo presidente Soares Franco aquando da apresentação do novo cartão??

É por imbecilidades destas que a campanha de angariação de novos sócios está a ser um fiasco e a venda de Gameboxes teve um decréscimo significativo em relação aos últimos dois anos.
Até quando vai continuar a reinar a incompetência no Departamento de Marketing??

Lampard_1906

quinta-feira, outubro 09, 2008

Soares Franco dá três entrevistas

Saem amanhã três entrevistas dadas esta semana por Filipe Soares Franco ao Diário Económico, Record e Diário de Notícias. Todas tiveram ângulos diferentes, como seria de esperar. Penso que haverá várias novidades que irão interessar (muito) aos sócios e adeptos do clube – embora tenha a certeza que muitas coisas serão polémicas!!!!

Gia

P.S. Depois da minha primeira entrevista com FSF, há três semanas, a sobretaxa de 5 euros em dia de jogo foi suspensa.

Gameboxes em queda



Más notícias no reino do Leão: a quebra de assistências, e sobretudo de gameboxes, é um facto indesmentível e que deve preocupar seriamente os responsáveis do nosso clube. É imperioso que se faça uma análise séria e profunda no sentido de se detectarem as causas que estão por trás de tais decréscimos e que logo de seguida se adoptem as medidas correctivas necessárias.

Inegavelmente existe um ambiente económico pouco propício a que se dispenda dinheiro na aquisição de bilhetes ou de gameboxes - também elas um bilhete, com carácter anual - mas quando percebemos que a crise é mundial, ao mesmo tempo vemos estádio ingleses, italianos e alemães cheios. Poderão contra-argumentar que apesar de tudo esses países têm maior poder de compra, sendo isso um facto, mas também é verdade que os bilhetes de época nesses países - em regra - são bem mais caros do que em Portugal. E nalguns casos, como no dos ingleses, falamos de uma grande diferença!

Algo que é descurado e que também pode ter alguma - ou muita - influência na decrescente ida aos estádios é o factor DIVERTIMENTO. Muitos dirão que o futebol é uma coisa séria onde os resultados são fundamentais e a meta número 1, mas eu mantenho que o principal objectivo da maioria que se desloca a um estádio é desfrutar de uma hora e meia de divertimento e poder assistir a uma partida de futebol bem jogada, emocionante e viva. Será que é isso que se vê nos relvados portugueses, e no caso, em Alvalade? Será que conquistar taças de Portugal, supertaças e presenças na liga milionária é suficiente para motivar a família leonina a deslocar-se a Alvalade?

Diria que não, e como exemplo basta atentarmos à assistência do último Sporting-Basileia...

Como afirmava há uns tempos Paulo Bento: "se me quero divertir ou ver um espectáculo vou ao cinema".

Provavelmente o seu conselho foi seguido e muitos sportinguistas estão assim a trocar Alvalade pelas salas de cinema.

Leonino

terça-feira, outubro 07, 2008

"A culpa, Brutus, não está nas estrelas, mas em cada um de nós!”

Quando, após a vitória na Supertaça, aqui deixei esta reflexão, tinha absoluta consciência de que eram as nossas eternas fragilidades que mais poderiam obstaculizar o nosso percurso do que a categoria dos nossos adversários. A forma como vimos perdendo pontos e ânimo com adversários ao nosso alcance, e também eles à procura do seu melhor, confirma os meus piores receios. A nossa equipa cria mais problemas a si própria do que aos adversários. Estamos longe de ser a equipa personalizada que fomos na final da Supertaça, que, afinal, não foi assim há tanto tempo. Era suposto evoluirmos, mas encontramo-nos a discutir mais ao menos as mesmas coisas que há um ano atrás e os fantasmas de então parecem regressar. Afinal a pretensa vantagem de termos o grupo formado já se esboroou.

Paulo Bento, cujas qualidades pessoais são admiradas por todos, tem sofrido um intenso desgaste por erros próprios e por não ter uma estrutura que o proteja. Será ele o primeiro a reconhecer que não é com este futebol que chegaremos ao título. Da nossa parte continua a crença de que nada está perdido, mesmo que não gostemos de ver esta equipa jogar e não gostemos constatar que o aumento do orçamento não tem tido a devida correspondência na qualidade do futebol apresentado. O fcp, por exemplo, não é por ter muito dinheiro que tem 2 guarda-redes que lhe dão garantias. Urge explicar no jogo praticado o porquê das aquisições onerosas de Rochemback e Grimi, por exemplo. Eu não me convenço de que não é possível compatibilizar a qualidade do brasileiro com Veloso, Moutinho, Izmailov Pereirinha, Adrien e Vuk. A falta de qualidade é mais difícil de conciliar.

Julgo não estar enganado ao afirmar que é ao grupo de trabalho que compete dar um sinal de que são dignos da confiança que nele depositamos no inicio da época. Mais do que as opiniões de quem está fora, mesmo que a de muitos sportinguistas que dão tudo pelo seu clube, interessam os diagnósticos e a escolha das melhores soluções de quem conhece por dentro o grupo de trabalho. A paragem no campeonato, ao contrário da 1ª, pode-nos ser favorável, se for aproveitada para fazer uma reflexão séria, inteligente e com a abertura suficiente, (humildade se preferirem), que não permita esconder os problemas debaixo do tapete ou atrás da porta. São necessárias convicções firmes mas dispensáveis os caprichos e insistências no erro. Urge simplificar. Urge demonstrar competência.

Neste quadro não consigo compreender o sportinguismo dos que só falam na hora da derrota. Parecem viver num eterno esforço de nos provar a todos que, na hora de escolher quem nos representa, pelo menos soubemos escolher o mal menor. Como também dificilmente aceito a falta de estratégia do Dep. Futebol, que mais uma vez diz apenas o óbvio. Pelo menos assim o esperamos, sr. Pedro Barbosa, que estejam de facto insatisfeitos com o rumo dos acontecimentos. Já agora pergunto: se fosse o fcp a sofrer um golo como nós sofremos o 1º, quem teriam eles imolado: o jogador ou o árbitro e juiz-de-linha? É que foi mesmo falta!

verdão(sl)

segunda-feira, outubro 06, 2008

Canal de História

Para domesticar a azia que desde ontem me atropela o estômago, fui buscar as cassetes VHS em que tenho gravadas as festas do campeonato de 2000 e 2002. Assim como uma terapia, para me fazer lembrar de que as vitórias compensam todas as derrotas.
Arrepio-me toda a ver aquelas imagens, a ouvir aqueles sons distantes de épocas em que tudo correu como devia: bem. De ontem, só sei dizer que não entendo. Substituições duvidosas, uma defesa em obras, falhanços de baliza aberta... Encolho os ombros, aplaudo na mesma, espero por dias melhores.

Infelizmente, parece-me que é o início do fim da era Bento em Alvalade. E a seguir...?

P.S. Ah granda Leixões!!!!!

Gia

Queremos mais alegria!



Depois de mais um jogo contra um adversário directo e de mais uma derrota, com 45 minutos de avanço mais uma vez concedidos....
Já cansa repetir sempre o mesmo sobre os jogos do SPORTING, a equipa parece triste sem ideias e isso vê-se na falta de sorrisos e angústia de todos ligados ao clube.
Eu vejo o futebol como diversão, algo onde se pode tirar alegria, bons tempos e acima de tudo fazer esquecer as coisas más da vida.E o que se vê hoje em dia em Alvalade é um ar sombrio, uma incerteza em relação à equipa e pouca diversão.

ALGUEM PODE DIZER AO SR.PAULO BENTO PARA SORRIR MAIS E DAR MAIS ALEGRIA A TODOS QUE O RODEIAM?
MESMO QUANDO O SPORTING MARCA GOLOS, ELE PARECE TRISTE, EXCEPTUANDO O JOGO CONTRA O SLB DA TAÇA DO ANO PASSADO. O HOMEM NÃO CORRE, NÃO SALTA, COMO SE O GOLO NÃO FOSSE ALGUMA COISA PARA SE ENTUSIASMAR.
ISSO TUDO ISSO SE REFLECTE NO FUTEBOL DA EQUIPA .
FALTA ALEGRIA E MAIS SORRISOS PARA NOS PODERMOS RIR TODOS.

A falta de classe desta equipa é notória, e desta vez não tem a desculpa de ser nova, nem que não teve investimento porque o clube não tem dinheiro etc, etc... não me lembro do sporting virar um jogo contra uma grande equipa, com excepção do tal jogo da taça do ano passado, e em que mais uma vez se estava a ver uma 1.ª parte horrivel.
Depois dos primeiros 5 jogos em que já jogámos contra alguns dos mais fortes adversários nesta prova, e 2 jogos da champions, eu me pergunto se aqueles que diziam que esta época este plantel foi muito bem feito e que é melhor do que o do ano passado continuam com a mesma opinião?
Há algum tempo eu disse aqui que este plantel é uma anedota, mas como sempre os defensores do nosso FERGUSON DE ALVALADE saltaram logo em defesa dele, e ontem notou-se a falta de IZMAILOV e de VUCKEVIC: que falta fazem os jogadores criativos a esta equipa...
4-GUARDA REDES
4 -DEFESAS DIREITOS (ABEL,PEDRO SILVA,CANEIRA E PEREIRINHA)
5-CENTRAIS(TONEL,CARRICO,POLGA,CANEIRA E MIGUEL VELOSO)
4-DEFESAS ESQUERDOS(GRIMI,RONNY,CANEIRA E MIGUEL VELOSO)
4-TRINCOS(ADRIEN,VELOSO,MOUTINHO E ROCHEMBACK)

... e aí começa a minha divergência em relação ao tal tão bom plantel e a jogadores polivalentes o suficiente; a prova é que têm sido utilizados nas tais posições mas creio que se poderia ter optado por melhores escolhas.
Do meio-campo para a frente faltam jogadores para quando for preciso abrir o jogo pelas alas ou ter jogadores que sejam bons no 1 para 1, como os 2 acima citados para que não se note tanta falta de classe.
Numa equipa amputada dos 2 únicos criativos o facto de se tirar o Romagnoli da equipa só revela falta de ideias ou desnorte.
Pelo futebol que se vê hoje em dia por este mundo fora nas melhores ligas, me pergunto o porquê deste tipo de jogadores serem os mais caros e mais bem pagos do mundo, e porque motivo o clube que se diz um dos melhores em termos de formação não os produzir.
Também não percebo nem entendo como é possível o Sporting ser tão pobre em termos de jogo jogado. Não se vê pressing, não se vê a equipa trocar 3 passes, não se vê movimento, velocidade e imprevisibilidade. Nada! Sempre do mesmo: pelo meio e muito mais fácil de parar pelos adversários.

Quero acreditar que se vai mudar alguma coisa no futebol da equipa, não digo o treinador, mas sim ele perceber que como está não pode continuar. Caso saia, a mim não me deixa saudades nenhumas, não vou ser hipócrita dizendo o contrário porque acho que há qualidade dentro da equipa, desde que tenhamos alguám que a acorde.

Eu me pergunto o porquê de tanto treino à porta fechada, tantos estágios para isto...
Já devem estar fartos das caras uns dos outros, que quando chega a hora dos jogos mal se podem ver.
Aqui em INGLATERRA os jogadores não fazem estágios, depois dos jogos vão-se divertir, e no entanto correm o jogo todo e dão tudo que podem, ou atá mais um pouco, por isso não percebo quem está errado: se eles, ou nós em PORTUGAL.

Eu me pergunto qual o técnico que em Portugal teve melhores condições de trabalho que o Paulo Bento? Tem uma Direcção que lhe deu apoio sem precedentes em Portugal, pode não ter tido milhões como os treinadores adversários mais directos, mas em termos de uma academia, estabilidade e paz, não vejo outro.

Pode-se dizer que ele vendeu o melhor jogador do Sporting dos últimos anos (Nani) mas este ano até teve a possibilidade de não perder nenhum jogador que considerava importante e ainda reforçou a equipa. E o que se vê? O mesmo futebol desligado, sem coerência, o tal dos últimos anos.
Eu adoro ver futebol - e bom futebol - e depois da semana passada ver o Arsenal-Porto, bem se pode ver para que serve um trabalho de base, e com futuro.
A formação tem um fio de jogo, das escolas aos júniores, por isso não seria mais fácil integrar jogadores na equipa se o sistema de jogo fosse o mesmo?
O Paulo Bento diz que continuou o trabalho anterior, tudo bem, mas em 3 anos não seria possível melhorar o jogo da equipa?
Eu vejo o Arsenal em Inglaterra, como o Sporting, entre os 3 grandes de Portugal, e porquê? Dos grandes é o vendedor, o que em termos de compras tem menos dinheiro e que só pode competir com os outros através de um orçamento menor, tendo a formação como seu fornecedor-mor, mas se compararmos o futebol jogado pelas equipas, a diferença é abissal. Já sei o que pensam sobre o facto do bom futebol não ganhar títulos, mas traz os estádios cheios, o pagamento das dívidas e o poder de investir melhor, ano a ano, e chegar às vitórias nos campeonatos.

Ismas

domingo, outubro 05, 2008

Mais do mesmo...



Sporting, 1 - FC Porto, 2

Ponto prévio: o FC Porto mereceu vencer, mesmo sem fazer uma exibição esplendorosa.

Tal como acontecera na Luz fico com a nítida sensação de que mais do que o mérito do adversário foram os nossos erros que ditaram a segunda derrota seguida perante um adversário directo. Mas uma vez mais o nosso opositor aproveitou esses erros alheios... e bem.

Em relação ao onze inicial - estranhamente não anunciado pelo speaker no estádio - fiquei logo com algumas reticências ao ver que Paulo Bento abdicava da estratégia que tão bons resultados lhe tem dado frente a este adversário: jogar com 3 atacantes e despovoar o meio-campo, deixando Romagnoli no banco, revelou-se - na minha opinião - decisivo.

No lance que origina o primeiro golo, havendo falta ou não sobre Grimi, este não pode ser tão anjinho e esperar que o árbitro apite: tem que tirar logo a bola dali e o resto é conversa. Fez-me lembrar a ingenuidade de Stojkovic no Dragão...

Depois da igualdade, através da grande penalidade marcada com grande classe por Moutinho, deixar que os andrades marcassem logo de seguida, pelo carniceiro Alves, creio que marcou o jogo e deu outra serenidade ao adversário para abordar a partida.

Fala-se que na segunda parte o nosso domínio foi enorme e a resposta muito boa mas eu apenas vi jogadores muito complicativos a lançar os lances de ataque, pouca rapidez e escassas oportunidades de golo. Quantidade não é, nem nunca será sinónimo de qualidade.

Confesso que não gosto da descrença que se vive nas bancadas, do facto de se assobiar ao primeiro erro e de não haver empatia com a equipa. Por outro lado, mantenho que mesmo tendo sido um jogo particular, a derrota sofrida perante o Real Madrid marcou o estado anímico da equipa. Talvez por isso seja importante abordar até esses jogos particulares com outra seriedade.
Nada está perdido, apenas nos arriscamos a ver os adversários directos a 2 pontos de distância, mas mantenho que é nestas alturas que as grandes equipas se revelam, erguendo-se dos desaires sofridos. Haja humildade, coesão, suor e garra.

Leonino

Hoje é para ganhar!



Hoje, o objectivo de qualquer 'verdadeiro' leão - seja em Alvalade ou a vários kms de distância - só pode ser um: apoiar a equipa o máximo que puder, transmitir toda a energia positiva que conseguir e obviamente guardar no bolso os assobios aos jogadores leoninos.

É imperioso arrancar uma boa exibição e conquistar os três pontos que nos permitirão consolidar a liderança e aumentar a vantagem em relação ao adversário mais perigoso, mostrando a uma comunicação social amestrada e a 'comentadeiros' de gel no cabelo que o Sporting tem uma equipa competente, unida e ambiciosa.

Temos que cerrar fileiras, mobilizar a família sportinguista e fazer com que o nosso maravilhoso estádio de Alvalade seja um inferno para o adversário e não para os nossos jogadores e técnicos.

Como dizia esta semana Hélder Postiga, em resposta a uma infeliz afirmação de um argentino que prometia vingança em Alvalade e dizia que o Sporting pagaria a factura, face à humilhação que havia sofrido em Londres:

"Pagar a factura? Vamos devolver com o IVA!"

No que a mim diz respeito, tudo farei na bancada para que a equipa seja forte e que no final do jogo permita a Postiga passar o devido recibo. E já agora: se mais logo virem alguém com uma camisola do Sporting e um cachecol do Arsenal, provavelmente serei eu!

Leonino

sábado, outubro 04, 2008

Nojenta vassalagem



Será que neste fim-de-semana se defrontam as duas melhores equipas portuguesas dos últimos anos?

Será que neste fim-de-semana se defrontam campeão nacional e vice-campeão?

Será que neste fim-de-semana se defrontam as duas equipas que actualmente jogam na liga dos campeões?

Será que neste fim-de-semana se defrontam as duas últimas equipas portuguesas a terem estado em finais europeias?

Parece que não...


Leonino

De regresso

Ainda não eram sete da manhã. O telemóvel tocou, emitindo o sinal de SMS. Agarrei nele estremunhada, ansiosa; a milhares de quilómetros de onde eu estava, acabava o jogo na Luz. "O benfica ganhou 2 a zero". Foi apenas isto, e no entanto senti-o como um murro no estômago. Jurei que não me chateava, fosse qual fosse o resultado, que podiam dizer-me. Mas na verdade, nem tinha ponderado a hipótese de perder. Aquele nó na garganta, aquela má disposição súbita, a vontade de torcer as cobertas da cama e de já não descer para o pequeno-almoço, de já não sair para a feira de tecnologia, de lhes dizer que estava doente, porque o meu Sporting tinha perdido.

Eu, a oito horas de distância num fuso horário insuportável, não vi uma única imagem desse jogo. Reprimi a angústia e fui trabalhar.

Chego a Portugal, e o que vejo? Os adeptos do Sporting que tiveram o privilégio de ir apoiar o clube à casa do "inimigo" são os mesmos que o assobiam depois, na sua própria casa.

Peço imensa desculpa. Aceito todas as explicações possíveis. Mas jamais irei concordar com assobios à minha equipa. Eu ando ali para os apoiar, não para os vexar. Caramba! Que a família não se põe em causa! E Domingo lá estarei a agitar o cachecol. E hei-de fincar pé até ao fim, gritar até ao fim, mesmo que o resultado seja outra vez uma vergonha.

Gia

sexta-feira, outubro 03, 2008

Pontos de vista

Como os assobios de 4ªfeira ainda estão na ordem no dia, resolvi emitir a minha opinião sobre esse assunto. Quem tem acompanhado os meus posts e comentários neste blog tem conhecimento de que não sou adepto dessa prática, nem de virar as costas à equipa quando atravessa momentos menos bons. No entanto, também já demonstrei que abomino ainda mais o "conformismo" com que algumas pessoas encaram determinados assuntos, como por exemplo a qualidade, ou falta dela, do futebol praticado pela equipa do Sporting. Por isso mesmo, apesar de não assobiar os jogadores por uma questão de principio, compreendo até certo ponto aqueles que o fazem, desde que não seja de forma sistemática e leviana.

O que não compreendo é que jogadores do Sporting, como Abel e Miguel Veloso, venham contestar os assobios, comparando os nossos adeptos com os de outros países, de forma injusta como demonstrámos ainda na semana passada na deslocação à Luz. Ora se assim é, também nós temos o direito de comparar o seu empenho/desempenho com atletas de outros países. Porque não podemos dizer que em Inglaterra se canta os 90minutos qualquer que seja o resultado e depois esquecermo-nos que os jogadores se empenham ao máximo e dão ao jogo uma intensidade muito acima do que se vê em Portugal. Ainda ontem tive oportunidade de ver o V.Guimarães-Portsmouth através de um canal britânico, e no final da partida um comentador inglês na analise que fazia ao jogo dizia: "...Aquilo que mais me surpreendeu foi a falta de pernas da equipa do Guimarães na 2ªparte...". É tudo muito bonito quando só vemos a parte que nos interessa...

O que também não venho compreendendo são frases como: "Ainda vamos em 1º", "Para o campeonato só perdemos em casa do nosso maior rival", "Perder por 2-0 na Luz não é nada do outro mundo", isto já para não falar da recorrente, "Nunca tinhamos ido 3 vezes seguidas à Champions". Para mim todos estes argumentos são falaciosos e passo a explicar o porquê. Os que dizem que ainda vamos em 1º, na sua generalidade, são os mesmos que no ano passado quando o Sporting descolou diziam que ainda havia muito campeonato pela frente, e essa é a realidade, o caminho ainda é longo e estar no final da 4ªjornada com 1 ponto de vantagem sobre a concorrência só pode ser considerado como importante para equipas como o Nacional ou o Leixões que sabem que mais tarde ou mais cedo vão vir por aí abaixo. Em relação à derrota na Luz, o que está em questão não é ter-se perdido o jogo, é a forma como se perdeu! Ir à Luz defrontar um Benfica forte é uma coisa, ir lá jogar contra uma equipa ainda em fase de construção, sem alguns jogadores e acabada de sofrer 6 golos em 2 jogos, é outra coisa! Mas há quem prefira meter tudo no mesmo saco. Relativamente à questão de estarmos presentes na Champions League pela 3ª época consecutiva, algo que nunca havia acontecido, pergunto a quem usa e abusa desse argumento quantas vezes Portugal já teve a oportunidade de colocar duas equipas directas na prova e uma na última pré-eliminatória?? Isto num campeonato onde o Sporting é uma das três equipas que habitualmente ocupam as três primeiras posições. Fico à espera da resposta.

Falando agora do próximo jogo, gostaria de começar também com uma pergunta: não é no minimo contraditório pedir um estádio cheio e colocar o bilhete mais barato a 25€? Para os mais esquecidos recordo que contra o Basileia estiveram em Alvalade 23mil, é comparar com as assistências em outros estádios e ficar de boca aberta, a culpa como sempre deve ser dos adeptos. No jogo jogado, não vou exigir que o Sporting faça um golo a uma equipa que podia ter levado 7 ou 8 na 3ª feira no Emirates Stadium, porque posso ser mal intrepertado. Pela mesma razão também não vou exigir que a equipa jogue bem. Posso exigir pelo menos que corram, ou nem isso?

Lampard_1906

Ciclo dos Bês

Agora que demos por encerrado este curto mas difícil ciclo de jogos é tempo de fazer um balanço. Os resultados não foram 100% vitoriosos mas não podem desiludir os sportinguistas.
Poder-se-ia ter feito o pleno, contudo temos de notar que o Sporting defrontou duas boas equipas da Liga na sua própria casa. Terrenos onde deixou pontos na época passada.
Foi um ciclo de altos e um baixo, porém um baixo muito significativo para a massa associativa visto ter redundado numa derrota em casa do nosso maior rival.

A 2ª jornada trouxe uma deslocação ao terreno do Braga num jogo que se antevia muito complicado por causa da valia do opositor e da derrota humilhante da época transacta.
O jogo não defraudou as expectativas e conseguiu-se uma vitória á custa do querer e da determinação.
Contra o Belenenses em casa assistiu-se a uma vitória tranquila num jogo não muito bem conseguido.
No derbi a nossa expectativa era imensa tendo em conta o passado recente onde o Sporting se tinha imposto ao rival com alguma facilidade. A vitória colocaria o rival a 7 pontos e permitiria uma moralização acrescida.
Viu-se um Sporting amorfo e displicente que nunca quis assumir os riscos do jogo e que fez do empate um resultado positivo. Não percebendo que quem joga para empatar normalmente perde, facto que se verificou.
Na recepção ao Basileia viu-se uma equipa tolhida e ansioso em face da derrota no derbi que se libertou somente na 2ª parte onde arrancou uma vitória justa.

No final deste ciclo encontramo-nos em 1º lugar na Liga e em 2º na Champions com boas perspectivas de alcançar a fase seguinte.
Todavia continua a levantar-se uma questão bastante pertinente que preocupa bastante os adeptos. Será o Sporting capaz de manter estas posições se não conseguir elevar o nível do seu futebol.
A continuação das vitórias mesmo não proporcionando grandes espectáculos será suficiente para chamar mais público ao estádio.
Gostaria de ter grandes espectáculos e vitórias não podendo ter ambos prefiro as segundas porque são elas que fazem os clubes campeões.
O que me aflige não é a falta de bom futebol porque esse anda arredado da nossa Liga. Preocupa-me muito mais a falta de atitude verificada na 2ª parte do derbi e na 1ª parte contra o Basileia.
Porque uma equipa que não tem alma e chama dentro dela não pode almejar grandes conquistas.

Para o próximo domingo o que peço é atitude e entrega dos jogadores e do público.



Verde CDV

quinta-feira, outubro 02, 2008

A cultura do assobio

Esta é uma cultura que está enraizada em Portugal e nos povos latinos. Somos emotivos, impacientes e aproveitamos os jogos de futebol para descarregar as frustrações acumuladas.
Em contraponto com os britânicos temos uma maneira totalmente oposta de ver e sentir o futebol. Os povos britânicos fazem do futebol uma festa e são incansáveis no apoio ás suas equipas. Depois de erradicarem o hooliganismo conseguiram aliar ao futebol jogado o espectáculo vindo das bancadas. Agora produzem o maior espectáculo futebolístico do mundo.
Se em termos de futebol estamos muito distantes, já em termos de apoio poderíamos caminhar nesse sentido, visto que a nossa paixão é tão ou mais exacerbada que a deles.

Não sou favorável ao assobio, mas não posso negar que faz parte do espectáculo e que todo o espectador pagante tem o direito de vaiar quando se sente defraudado.
Já não me parece muito correcto que o faça durante a actuação dos artistas.
Normalmente esperasse pelo final para avaliar a prestação global dos intervenientes e depois cada qual faz o seu juízo e diz de sua justiça.
Alguns pensam que o assobio vai colocar os artistas em sentido e que os vai despertar para a realidade. Pensam que aplicados no momento certo serão um estímulo para melhores prestações.
Por norma sucede exactamente o posto, a força anímica diminui a ansiedade aumenta e a predisposição para o erro dispara. Em suma temos uma acção/reacção que vai estimular reflexos cada vez mais condicionados.

Alguns pegam no argumento da exigência ou seja querem estimular uma cultura de exigência á força de assobios.
Todos queremos uma cultura de exigência no nosso clube, porque todos gostamos do clube e queremos um clube ganhador sempre.
Não, não nos contentamos somente com as taças e outros troféus, ainda que não sejam menores como alguns querem fazer crer.
Agora não podemos é exigir mundos e fundos quando não temos os meios necessários para alcançar tais desideratos.
O que já não parece nada normal é que a equipa seja assobiada aos 20 minutos de jogo. Não deixando porém de reconhecer que a exibição estava a ser muito fraca. Contudo não será á lei de assobio que a equipa vai mudar radicalmente e passar a jogar bom futebol num ápice.
O que já não me parece normal é a intolerância que existe para com esta equipa, já não falando para com Paulo Bento, porque dessa já se encarregou a nossa imprensa desportiva.
Mesmo não praticando o futebol mais espectacular do mundo será aceitável que se assobie tanto uma equipa que segue em primeiro no campeonato e que tem boas perspectivas de passar á próxima fase da Champions.

Vou fazer um pedido a todos os que forem ao estádio no próximo domingo. Sei que não será fácil de cumprir, porque o futebol é paixão e emoção, contudo vou faze-lo na mesma.
Apoiem a equipa durante os 90 minutos e se tiverem a tentação de assobiar que o façam somente no final.



Verde CDV

quarta-feira, outubro 01, 2008

Para assobiar fiquem em casa!



Sporting, 2 - Basileia, 0

Das duas uma: ou muitos sócios do nosso clube andam a emprestar a sua gamebox a amigos adeptos dos nossos rivais, ou então agudiza-se a tendência masoquista e até suicidária na nossa massa associativa. Dão tiros no pé que é uma fartura!

A equipa não brilhou, teve uma primeira parte pálida, mas manteve sempre o controlo das operações e esteve sempre mais perto do golo. Se alguns sócios julgam que é pelo exercício do assobio que apoiam ou espevitam a equipa, então façam o favor de ficar em casa a assobiar... para o boneco! E podem começar já no próximo domingo.

Uma partida cinzentona, pobre em emoção e vivacidade, um adversário sem grande classe e um Sporting realista e pragmático que arrecadou 3 pontos graças aos golos de Romagnoli e Derlei, aos 55 e 86 minutos respectivamente.

Por último: muchas gracias, Messi. Graças à vitória de Alvalade e ao talento argentino estamos agora no 2.º lugar!

Leonino

Ganhar, ganhar e ganhar
















Depois do que se passou na 1ª jornada da Champions League não existe outro resultado possível que não seja a vitória diante do Basileia.
Torna-se imperioso ganhar para manter em aberto a possibilidade de apuramento para a fase seguinte.
Nas anteriores participações o Sporting claudicou sempre em casa ao averbar alguns deslizes comprometedores.
Para se acalentar a esperança de uma passagem á fase seguinte é fundamental conseguir o pleno dentro de portas e tentar amealhar mais uns pontos em terreno alheio.
Normalmente um pecúlio de 10/11 pontos é suficiente para a alcançar a tão desejada qualificação.


Para logo o que se pode exigir dos jogadores é atitude, entrega, empenho e que nunca virem a cara á luta, porque uma equipa que entra para dentro de campo com este espírito de perseverança estará sempre mais perto de alcançar o desiderato da vitória.
Que os exemplos recentes tenham servido de alerta e que não se voltem a repetir.


Lista de convocados:

Guarda-redes: Rui Patrício e Tiago

Defesas: Polga, Tonel, Abel, Grimi, Carriço e Pedro Silva

Médios:
Miguel Veloso, Rochemback, Vukcevic, Romagnoli, Moutinho e Pereirinha

Avançados:
Liedson, Djaló, Postiga e Derlei


O meu Onze:
Rui Patrício, Abel, Tonel, Polga, Grimi, Veloso, Rochemback, Moutinho, Vukcevic, Djaló e Postiga.



O jogo vai ser arbitrado pelo Italiano Nicola Rizzoli e vai ter transmissão no canal Sport TV1 pelas 19h 45m. De salientar ainda que Rochemback está em risco de falhar o próximo jogo se for admoestado com um cartão amarelo.


Porque existem sportinguistas que não vão poder ver o jogo ao vivo ou via Sport TV, espreitem aqui ou aqui.



Verde CDV